Siga o Jornal de Brasília

Grande Brasília

Desemprego no DF se mantém estável em abril

Publicado

em

Taxa no último mês caiu 0,2 ponto porcentual em relação a março. Índice consta da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), apresentada nesta quarta (31) na Secretaria do Trabalho

A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) de abril no Distrito Federal apontou estabilidade no índice de desemprego se comparado ao de março. Nos últimos dois meses, a taxa de desemprego caiu apenas 0,2 ponto porcentual: de 20,7% para 20,5%.

A coordenadora de pesquisas do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Adalgiza Amaral, apresenta os dados da PED-DF

A coordenadora de pesquisas do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Adalgiza Amaral, apresenta os dados da PED-DF. Toninho Tavares/Agência Brasília

Das 14 mil vagas preenchidas no mês passado, 8 mil (13,6%) foram na área da construção civil, e o comércio contribuiu com 2 mil ocupações (0,9%). Em abril, 14 mil pessoas também estavam aptas a entrar no mercado de trabalho.

O balanço apresentou aumento no contingente de assalariados do setor privado (1,6%) e redução no do setor público (-3,4%). O número daqueles com carteira assinada cresceu 1,1%, e a quantidade de autônomos subiu 2,8% em relação a março.

Ainda segundo a pesquisa, Brasília emprega cerca de 1,3 milhão de pessoas, e há 336 mil desempregados na cidade.

1,3 milhão Número de pessoas empregadas no DF

Segundo o presidente da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan-DF), Lucio Rennó, essa alta taxa de desempregados resulta da grande procura por empregos e da inexistência de vagas para atender a essa demanda, mesmo com o aumento constante de vagas em diversos setores nos últimos seis meses — com exceção da administração pública.

“Isso cria uma certa expectativa para o futuro com novas oportunidades de emprego e uma preocupação, porque não há uma tendência de queda no número de desemprego”, analisa Rennó.

Comportamento em 12 meses

Entre abril de 2016 e abril de 2017, a taxa de desemprego total passou de 17,5% para 20,5%. No período em análise, a quantidade de desempregados aumentou em 67 mil pessoas, consequência do crescimento insuficiente do nível de ocupação, com 37 mil postos para 104 mil pessoas.

Quanto à posição na ocupação, o grupo de assalariados apresentou variação negativa (-0,5%), em decorrência da diminuição no setor público (-8,1%) e do crescimento no setor privado (3,1%). Nesse setor, elevou-se o número de pessoas com carteira de trabalho assinada (1,9%) e sem carteira (10%).

A PED mostra, ainda, um aumento no número de autônomos (24,2%) e de empregados domésticos (14,9%). Entre março de 2016 e março de 2017, o rendimento médio real cresceu entre os ocupados (4,6%), os assalariados (11,3%) e os trabalhadores autônomos (7,3%).

O levantamento mensal de emprego e desemprego no DF é feito pela Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, pela Companhia de Planejamento e pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Acesse a íntegra da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) no DF de abril de 2017.

 

Cibele Moreira, com edição de Raquel Flores
Agência Brasília

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta