Cresce suspeita de que fitas divulgadas por Liliane Roriz foram editadas

Cresce a suspeita de edição nas gravações feitas pela deputada distrital Liliane Roriz (PTB) para denunciar um suposto esquema de corrupção na Mesa Diretora da Câmara Legislativa, sob investigação da operação Drácon. Conforme reportagem do portal Metrópoles, existiriam pelo menos duas versões de um diálogo gravado pela parlamentar. Uma estaria em posse do Ministério Público (MP), que investiga o caso junto com a Polícia Civil. Outra circularia pela cidade desde o começo do escândalo.

Segundo o texto assinado pelo repórter Carlos Carone, a versão “pública” omite uma fala comprometedora para Liliane, autora da denúncia contra a cúpula da Câmara e sua ex-vice-presidente. Na conversa se fazia referência ao repasse emendas para o pagamento de dívidas de empresas de UTI com a Secretaria de Saúde. Na versão em mãos do MP, Liliane disse: “do jeito que eles queriam”. O trecho levantaria a suspeita de que a distrital tinha conhecimento do suposto esquema de cobrança de propina na liberação de emendas parlamentares para a quitação de dívidas de empresários.

Leia mais em Metrópoles.com

 

Send this to a friend