Beneficiadas pelo “bonde da propina” continuam recebendo do GDF

A Secretaria de Saúde alega que “não há previsão legal para a suspensão de pagamentos. “Se o serviço foi prestado, o processamento da fatura para pagamento é obrigatório”, justifica. Apenas este ano, empresas e instituições atendidas por emenda batizada receberam R$ 61,7 milhões

Mirelle Pinheiro

Mesmo com as denúncias de cobrança de propina por parlamentares da Câmara Legislativa para destinar sobras orçamentárias, a Secretaria de Saúde continua pagando as empresas e instituições citadas no suposto esquema. A pasta alegou, por meio de nota, que “não há previsão legal para a suspensão dos pagamentos. Se o serviço foi prestado, o processamento da fatura é obrigatório”. De acordo com o GDF, das seis beneficiárias pagas com recursos da “emenda batizada” da Mesa Diretora alvo de investigação do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e da Polícia Civil, três ainda recebem recursos públicos: o Instituto de Cardiologia do DF (ICDF), a Intensecare e a Oxtal.

Além das três, foram beneficiadas com a emenda parlamentar os hospitais Home Ortopédico, Santa Marta e São Francisco. Todos contratados para oferta de leitos em unidades de Terapia Intensiva (UTIs) a pacientes da rede pública. Segundo a pasta, entre 2014 e 2015, receberam quase R$ 200 milhões. Este ano, a conta chegou a R$ 61,7 milhões. O valor desembolsado até agora é o dobro do que foi destinado pela emenda de R$ 30 milhões no final de 2015.

Leia mais em Metrópoles.com

Send this to a friend