Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Cruzeiro se afunda cada vez mais em dívidas

Brasília de Fato

Publicado

em

cruzeiro

Têm sido tempos sombrios para os torcedores do Cruzeiro. Após ter sido rebaixado para a série B na última temporada (2019) do Campeonato Brasileiro, a equipe mergulhou num poço sem fundo com dívidas multimilionárias sendo executadas por seus credores. Sofrendo continuas investigações sobre esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro de seus gestores, o clube tenta sobreviver a maior crise de sua história.

A equipe celeste vinha fazendo um bom campeonato mineiro na temporada 2020, mesmo com o rebaixamento, continuou como um dos clubes mais evidentes dentre os sites especializados em apostas esportivas como o Bet365 Brasil, em meio a pandemia.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Porém, recentemente o clube mineiro foi punido pela Fifa e vai começar o campeonato brasileiro, série B, já com um défice de seis pontos negativos. A punição se deu por conta de uma dívida contraída com o clube Al Whada, dos Emirados Árabes Unidos, envolvendo o empréstimo do Jogador Denilson, no ano de 2016.

O débito originário foi de 850 mil euros e atualmente já bate a casa dos R$ 5,3 milhões. O clube deveria ter efetuado o pagamento até a última segunda (18), mas o mesmo não foi honrado. A decisão já transitou em julgado e não existe mais possibilidade do Cruzeiro recorrer. Após a perda desses 6 pontos, começará a correr um prazo de 5 meses para a quitação do débito, sob a pena de sofrer uma punição mais grave, como por exemplo, o rebaixamento imediato para a série C do Brasileirão.

Não bastasse ter sido punido, o turbilhão de desastres no dia a dia do clube só aumenta, já que outras equipes movem ações junto à Fifa cobrando débitos feitos pela Raposa. O novo golpe sofrido diz respeito a transação envolvendo o jogador Willian, atualmente no Palmeiras. O jogador chegou ao Cruzeiro em 2013, por empréstimo, sendo consolidada a compra no ano seguinte, a qual a equipe celeste também não honrou.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Em 2017 a dívida girava na casa dos R$ 3,8 milhões, alcançando em 2019 o valor de R$ 5,6 milhões. Para evitar uma nova punição o Cruzeiro tem que pagar a “bagatela” de R$ 11 milhões ao Zorya, da Ucrania, até o dia 29 deste mês. Infelizmente, para a equipe mineira essa é só a ponta do iceberg, visto que também é cobrada pelo Independiente del Valle-EQU, Defensor-URU, Tigres-MEX e Morelia-MEX. De acordo com levantamento feito pelo próprio Cruzeiro, o débito total na Fifa supera os R$ 80 milhões.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *