Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Tudo pronto para a Corrida de Reis

Publicado

em

Tradicionalmente realizada em 6 de janeiro, Dia de Reis, a corrida foi adiada para o dia 9 de junho

O Governo do Distrito Federal (GDF) vai realizar a 49ª edição da Corrida de Reis no próximo dia 9 de junho. Tradicionalmente realizada em 6 de janeiro, Dia de Reis, a corrida foi adiada porque, quando a nova gestão assumiu em 1º de janeiro, constatou que não havia processo licitatório em andamento para garantir a infraestrutura da prova. “Chegamos na secretaria e vimos que não tínhamos o processo licitatório necessário para adquirir toda a infraestrutura e insumos necessários para a corrida”, explicou o secretário de Esporte e Lazer, Leandro Cruz.

A licitação para o maior evento esportivo do DF sequer havia sido lançada. “Tivemos que dar tempo para a produção, que não é feita de um dia para o outro”, afirmou o secretário. “Seria absolutamente impossível fazer em janeiro”, ressaltou. A corrida, feita com verbas da Secretaria de Esportes e Lazer e apoio do BRB, custará R$ 700 mil. O secretário de Esporte disse que, a partir do ano que vem, o GDF pretende retomar a prova para o início do ano.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Serão 16 mil vagas para competidores a partir de 16 anos, sendo 10 mil vagas para a prova de 10 km e 6 mil para os 6 km. A participação dos atletas será feita por sorteio. Será permitida apenas uma pré-inscrição por CPF, em único lote, no dia 16 de maio, a partir das 12h30, pelo site da Secretaria de Esporte e Lazer. O sorteio será realizado no dia seguinte, às 12h30.

Segundo Leandro Cruz, a última edição da Corrida de Reis teve de 100 mil inscritos para o sorteio. “A participação tem que ser por sorteio porque 100 mil corredores nem caberiam nas ruas de Brasília. Esse é o evento esportivo de maior participação do povo brasiliense, não seria justo com a população não realizar a Corrida de Reis neste ano. Essa é uma corrida muito querida e espetacular. Nós fizemos questão de fazer”, destacou.

Percurso

A largada da prova, que ocorre no Eixo Monumental, está prevista para às 8 horas, em frente ao Estádio Nacional de Brasília. Os percursos de 6 e 10 quilômetros passam por pontos turísticos importantes como a Esplanada dos Ministérios e a Torre de TV. No percurso de 10km, os atletas passarão pela Rodoviária e seguirão pela Esplanada até a Alameda dos Estados, em frente ao Congresso Nacional. Na corrida de 6km, os participantes retornarão na altura da Rodoviária do Plano Piloto.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Todos os participantes ganharão medalhas. Na prova de 10km, os melhores colocados, de cada categoria, serão contemplados com medalhas especiais. Para crianças entre 4 e 15 anos, a Secretaria de Esportes e Lazer vai promover uma corrida mirim, que vai ocorrer em 9 de junho, às 10h30, no estacionamento do Mané Garrincha. Com percursos que variam entre 25 e 300 metros, em baterias divididas de acordo com a faixa etária, a etapa mirim abre inscrições no dia 27 de maio, às 12h30. O sorteio das mil vagas será realizado no dia 29 de maio, às 12h30. No dia da corrida, serão sorteadas 50 bicicletas entre todos os participantes.

Os kits dos adultos e das crianças com camiseta, número de identificação do corredor, chip eletrônico — que cronometra o tempo e colocação — serão entregues em 7 e 8 de junho, das 10h às 19h, nas tendas específicas do evento no Mané Garrincha. Na hora da retirada do kit é obrigatória a entrega de 5 kg de alimento não-perecível. A doação dos alimentos será repassada para instituições beneficentes apoiadas pelo GDF.

Criada com o objetivo de trazer à capital atletas de outras unidades da Federação e corredores internacionais que vinham ao Brasil disputar a São Silvestre, em São Paulo, a Corrida de Reis teve a primeira edição em 6 de janeiro de 1971. A primeira largada ocorreu no fim do Eixo Rodoviário Sul, e a chegada, na W3 Sul, em frente à antiga sede da TV Brasília. Pelo trecho de 8 quilômetros, correram 42 atletas — quase metade deles estrangeiros, como os futuros campeões olímpicos Frank Shorter, dos Estados Unidos, e Lasse Viren, da Finlândia. No ano seguinte, a prova foi para a W3 e tempos depois ganhou o Eixo Monumental.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *