Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Leonny Fontes e o fisioculturismo em Brasília

Publicado

em

Eles são muito musculosos, malham pesado e têm alimentação rigorosa. Tudo isso para competir em campeonatos de fisiculturismo. No Distrito Federal, vários atletas têm este estilo de vida e participam de competições nacionais e fora do País.

O Brasília de Fato e o programa Ebulição, que vai ao ar todos os sábados na JK FM 102.7,  foram conhecer um dos atletas do DF, Leonny Fontes.

O que faz? O que evita?

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Uma das principais curiosidades que a população em geral tem dos fisiculturistas é saber a rotina: O que fazem? O que comem? O que evitam:

A alimentação de um fisiculturista deve conter quantidades adequadas de cinco tipos de alimentos: proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais. Água também é um fator importante para este tipo de alimentação, com uma função básica: hidratar o organismo

Chamado de hipertrofia, o crescimento dos músculos acontece quando a taxa de síntese protéica excede a taxa de degradação, acarretando um saldo positivo para o organismo. A síntese proteica muscular pode permanecer por até 48 horas pós-exercício, dependendo da quantidade ingerida pelo indivídio. Lembrando que, normalmente, essas pessoas são orientadas por profissionais da nutrição e educação física.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Proteínas: a ingestão de proteínas é uma das maiores preocupações, já que este é o nutriente responsável pela construção dos músculos. Proteínas completas são encontradas na carne, ovos, leite, peixe, etc. Seguindo um programa de treinamento intenso, uma pessoa poderá ter suas necessidades proteicas de 1,5 – 2,0 g por kg, ao dia. Para um fisiculturista que treina intensamente e faça uso de farmacológicos, esta necessidade sobe para 3,0 – 4,0 g/Kg dia.

Carboidratos: eles são permitidos! Durante o dia, devem ser consumidos carboidratos com baixo índice glicêmico (ou seja, que têm menos açúcar e demoram mais para ser absorvidos pelo organismo). Além de evitar a oscilação dos níveis de insulina, eles ajudam a manter a energia na corrente sanguínea até durante o treino. No caso do crescimento muscular, logo após o treino deve-se optar por carboidratos com alto índice glicêmico com uma fonte protéica. Está formula é fundamental para a explosão da insulina, pois direciona os aminoácidos para o músculo, para o crescimento muscular.

Gorduras: fisiculturistas devem-se evitar as gorduras ruins (saturadas e trans). Substituindo-as pelas gorduras essenciais que aumentam a queima de gordura corporal, baixam o colesterol, produzem energia, transportam oxigênio e aumentam a sensibilidade à insulina.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Vitaminas e minerais: fisiculturistas, assim como os demais atletas, podem ter as necessidades de vitaminas e minerais aumentadas. Vitamina C e B6 são as recomendadas. A primeira, ajuda a controlar a produção de cortisol para que a testosterona seja aproveitada para o crescimento muscular. Já a segunda, naturalmente é encontrada em carnes, cereais, verduras e legumes e ajuda a metabolizar aminoácidos, também importante para o crescimento dos músculos.

Se liga nesse bate papo de um dos apresentadores do programa, Rodrigo Daher:

 

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *