Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Nenê decide nos acréscimos, e Vasco vence o Fluminense em jogo de cinco gols

Publicado

em

O clássico já gerava expecativa antes mesmo deste sábado. Afinal, após 12 anos, Vasco e Fluminense voltariam a se enfrentar em São Januário.

Em tarde de casa cheia, o que se viu foram as equipes entregando um jogo movimentado – sobretudo no segundo tempo – e emocionante. Em duelo com duas viradas, o Cruz-Maltino fez valer seu mando de campo e venceu o Tricolor com gol marcado aos 47 minutos: 3 a 2 para os donos da casa.

Foram duas viradas, uma para cada time. O Vasco sairia na frente com gol de Luis Fabiano no primeiro tempo. No começo da segunda etapa, o Tricolor ficaria na frente com dois gols de pênaltis convertidos por Henrique Dourado. Aguerrido, o time do técnico Milton Mendes virou com gols de Manga Escobar e Nenê – ambos sairam do banco de reservas no decorrer do jogo.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Os primeiros 20 minutos do clássico foram muito truncados, e os dois times não encontravam muito espaço rumo ao ataque. O Flu pressionou o quanto podia pela esquerda, contando com as investidas de Richarlison. O Vasco, por sua vez, vinha na velocidade pelos dois lados. Em uma das tentativas pela ponta, Pikachu cruzou na medida para Luis Fabiano abrir o placar de cabeça, aos 25. O atacante cruz-maltino subiu sozinho, sem marcação, e não deu chances para o goleiro Diego Cavalieri: 1 a 0.

Na frente, o Vasco passou a ter mais domínio do meio de campo, atrapalhando ainda mais a criação do Fluminense. A atuação dos volantes da casa, segura até ali, também ajudava. A melhor chance do Tricolor foi aos 39 da primeira etapa: após escanteio batido por Scarpa, o zagueiro Nogueira subiu mais alto que a marcação, mas a bola quicou e parou no travessão.

O segundo tempo permitiu um jogo mais aberto desde o princípio, com chegada mais claras dos dois lados. No começo da etapa, o Fluminense levaria perigo primeiro com chute de Scarpa, que parou na defesa em dois tempos de Martin Silva. No entanto, o panorama mudaria a partir dos 12 minutos: Após cruzamento de Henrique Dourado na área, Jean colocou a mão na bola. O juiz então assinalou pênalti, e o próprio Dourado cobrou e marcou o gol de empate.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

NENÊ E MANGA: DO BANCO PARA RESOLVER

Atrás no placar, no entanto, o Vasco não se intimidou e seguiu rumo ao ataque. Milton Mendes fez na substituição que mudaria o jogo: colocou Nenê e Manga Escobar no time (nos lugares de Pikachu e Kelvin), e fez a dupla atuar próxima de Luis Fabiano. Foi premiado aos 29 minutos: Manga recebeu pela esquerda, limpou bem a marcação e conseguiu bater no canto do goleiro Cavalieri. Tudo igual de novo no placar.

O jogo continuaria intenso até os minutos finais. Em casa, o Vasco não se conformava fácil com o empate e acabou premiado já nos acréscimos. Também vindo do banco de reservas no decorrer do duelo, Nenê – até pouco tempo titular do time – foi premiado. Aos 47, Manga passou pela marcação de Orejuela. A bola então sobraria para Nenê, que mandou a bola no cantinho: 3 a 2.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

 

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta