Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Palmeiras vira sobre o Novorizontino fora de casa e fica com um pé na semi

Publicado

em

Palmeiras

Com gols de Dudu, Borja e Róger Guedes (expulso por comemorar com a torcida), Verdão vence de virada e se aproxima da classificação

O Palmeiras levou um susto, mas virou em grande estilo sobre o Novorizontino, na noite deste domingo, em Novo Horizonte, na partida de ida das quartas de final do Paulistão. Com a vitória por 3 a 1 fora de casa, o Verdão poderá até perder por um gol de diferença no jogo de volta e ainda assim se classificará para a semifinal do torneio. O jogo de volta será na sexta-feira, às 21h, no Pacaembu, já que a arena do Palmeiras será palco de mais um show musical.

Roberto abriu o placar para o Novorizontino logo no início do jogo. Dudu empatou ainda no primeiro tempo. Borja e Róger Guedes marcaram para o Verdão na etapa final, sendo que o último acabou sendo expulso pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira por ter comemorado com a torcida no alambrado (ele já tinha cartão amarelo).

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
EXPULSÃO POLÊMICA

A expulsão de Róger Guedes, por comemorar o gol com a torcida no alambrado (ele já tinha amarelo), foi muito criticada pelos jogadores do Palmeiras. O atacante chegou a chorar no banco de reservas, revoltado com a decisão do árbitro Luiz Flávio de Oliveira. “Perdemos um jogador porque extravasou. Não faltou o respeito com ninguém, tem coisas no futebol que tem de mudar. Se tivesse mostrado o dedo do meio, mandado tomar naquele lugar, tudo bem, mas não é só com o Palmeiras, vi o Cueva fazer gol na Vila Belmiro e tomar cartão, o Ricardo Oliveira… É momento de extravasar, alegria. Não existe”, disse Felipe Melo.

O Novorizontino, empurrado pela sua torcida, não se limitou a apenas tentar se defender. Pelo contrário. Com cinco minutos de jogo, o time do técnico Silas já havia criado uma chance clara de gol, desperdiçada por Everaldo. O Palmeiras respondeu aos 7, com um chute de Egídio, de fora da área, que bateu no travessão. Mas foi mesmo o Novorizontino quem abriu o placar, com Roberto. O atacante ganhou no corpo uma dividida com Edu Dracena, disparou pela direita, invadiu a área e chutou sem chance para Fernando Prass, aos 11 minutos. O técnico Eduardo Baptista escalou o Palmeiras no 4-2-3-1, com Tchê Tchê como volante ao lado de Felipe Melo, Dudu centralizado e Willian aberto pela esquerda e Róger Guedes na direita. A ideia era dar suporte a Borja, referência no ataque. Não demorou para que o ímpeto inicial do Novorizontino diminuísse frente à pressão do Verdão. O gol do empate surgiu aos 38. Após bate-rebate na área, a bola sobrou para Dudu, em posição legal, mandar para a rede.

No segundo tempo, o Palmeiras continuou muito melhor em campo. Aos 8, Borja quase virou o placar, mas a cabeçada do colombiano parou no travessão. O Novorizontino chegou a assustar com Doriva, em chute de fora da área, mas Fernando Prass fez uma defesaça. A virada palmeirense veio aos 20. A zaga do time da casa tentou afastar, Mina jogou a bola de volta na área e Borja, em posição legal, completou para o gol. Já nos acréscimos, Róger Guedes aproveitou cruzamento de Érik para fazer o terceiro e deixar bem encaminhada a classificação alviverde. O problema: ao comemorar o gol com a torcida no alambrado, o atacante do Verdão recebeu cartão amarelo. Como já havia sido advertido, levou o vermelho… por simplesmente celebrar um gol.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *