Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Assessoria diz que Neymar não será preso e ataca DIS: “Escravidão acabou”

Avatar

Publicado

em

“Felizmente, sentimento não compartilhado pelo ganancioso Grupo DIS, Neymar não será preso”, diz empresa que gere a carreira do astro, em nota ao GloboEsporte.com

O caso envolvendo a transferência de Neymar para o Barcelona ganhou mais um capítulo nesta semana. A Audiencia Nacional, equivalente ao Superior Tribunal de Justiça da Espanha, negou na segunda-feira o recurso das partes envolvidas no caso DIS. São elas: o Barcelona, o Santos, a mãe de Neymar, a N&N (empresa do pai do craque) e o próprio jogador. Procurada pela reportagem do GloboEsporte.com para dar a sua versão sobre a decisão da Justiça, a NN Consultoria, empresa responsável pela gestão da carreira do atleta, garantiu que não houve crime, descartou a possibilidade de prisão e atacou a empresa responsável pela ação, citando o artigo publicado por um advogado especialista o jornal “La Vanguardia”.

– Estamos seguros que no final do processo será reconhecido que não foi praticado nenhum crime, prevalecendo, sem dúvida, que qualquer atleta profissional, não só o Neymar, tem o sagrado direito de escolher onde quer trabalhar, independentemente da condição financeira oferecida, ou seja, como afirmado pelo advogado especialista, a escravidão acabou. Pensar em qualquer solução diferente é jogar no lixo todos os direitos e garantias fundamentais conquistados em um Estado Democrático de Direito, seja no Brasil, seja na Espanha. Felizmente, sentimento não compartilhado pelo ganancioso Grupo DIS, o Atleta da Seleção Brasileira Neymar Jr. não será preso – diz um trecho do comunicado da empresa, enviado ao GloboEsporte.com.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

A sentença divulgada nesta semana, que fala em “indício de corrupção”, é definitiva e não cabe mais recurso. Agora, o juiz De la Mata definirá a data do julgamento, provavelmente ainda para este ano. Segundo a empresa que cuida da carreira de Neymar, a decisão da Audiencia Nacional não traz grandes novidades desde que o processo foi reaberto no fim do ano passado.

“Estamos seguros que no final do processo será reconhecido que não foi praticado nenhum crime, prevalecendo, sem dúvida, que qualquer atleta profissional, não só o Neymar, tem o sagrado direito de escolher onde quer trabalhar, independentemente da condição financeira oferecida, ou seja, como afirmado pelo advogado especialista, a escravidão acabou”

– Tecnicamente a Audiência Nacional repetiu a decisão anterior, proferida no ano passado e amplamente divulgada, entendendo que, por ora, não deve excluir ninguém preliminarmente do processo, devendo os fatos e condutas serem analisados, as defesas apresentadas, as provas produzidas para, ao final, caso entendam que realmente não há crime, ser proferida uma sentença absolutória. Isto significa que não há neste momento nenhuma possibilidade de decretação de prisão de nenhuma das partes envolvidas.

“Não há crime”

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

No recurso negado, Neymar alegou que vive dedicado a jogar futebol e não a examinar contratos. Apesar disso, ele será julgado criminalmente, e o o fundo de investimento pede que o camisa 10 da Seleção seja condenado a cinco anos de prisão e fique impossibilitado de jogar futebol durante esse período. Já a promotoria requisitou dois anos de prisão e € 10 milhões de multa para o atacante brasileiro.

 

Lucas Loos
Rio de Janeiro

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *