Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Serena Williams vence checa e o forte calor para passar às quartas na Austrália

Publicado

em

A norte-americana Serena Williams literalmente suou bastante para avançar no Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada de 2017.

Nesta segunda-feira, a tenista dos Estados Unidos enfrentou um calor de 33ºC em Melbourne para derrotar a checa Barbora Strycova por 2 sets a 0 – com parciais de 7/5 e 6/4, em 1 hora e 46 minutos de jogo – e se classificar às quartas de final.

Diferentemente das duas vitórias anteriores sobre a rival da República Checa – em Wimbledon e no Aberto da Austrália de 2012 -, Serena Williams teve muito trabalho, especialmente no primeiro set. Foram quatro quebras de seu serviço e 46 erros não forçados, muito para uma tenista do calibre da norte-americana. No seu serviço, o aproveitamento no primeiro saque foi de apenas 46%.

“Não tive meu dia com meu melhor saque, mas fiz bons pontos, espero melhorar mim serviço no próximo dia”, afirmou Serena Williams. “É bom saber que tenho um plano B. Eu gosto da pressão”, completou a norte-americana, atual número 2 do ranking da WTA.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Nas quartas de final, a sua adversária será a britânica Johanna Konta, que teve grande atuação diante da russa Ekaterina Makarova e venceu por 2 sets a 0 – com parciais de 6/1 e 6/4, em apenas 68 minutos de partida. A nona melhor tenista do mundo chega, assim, perto de sua melhor campanha em Melbourne – foi semifinalista no ano passado.

Com mais facilidade, a checa Karolina Pliskova avançou às quartas de final. Com um duplo 6/3, em 1 hora e 12 minutos, a número 5 do mundo eliminou Daria Gavrilova e acabou com as chances da última representante da Austrália em Melbourne. Com o título conquistado em Brisbane na primeira semana do ano, agora são nove vitórias seguidas nesta temporada.

Sua próxima adversária será a veterana croata Mirjana Lucic-Baroni, de 34 anos, que bateu a jovem norte-americana Jennifer Brady por 2 sets a 0 – com parciais de 6/4 e 6/2. Apenas a 79.ª colocada do ranking da WTA, ela não chegava tão longe em um Grand Slam desde 1999 em Roland Garros. No confronto direto contra Pliskova, o histórico é favorável à checa por 3 a 2.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta