Seleção caseira encara a Colômbia com a meta de ganhar pontos com Tite

Formada por atletas que atuam no Brasil, a equipe brasileira terá um ataque inédito, com Robinho, Dudu e Diego Souza.

Uma seleção sem suas principais estrelas internacionais, mas com jogadores querendo mostrar serviço para o técnico Tite. É esse o Brasil que entra em campo nesta quarta-feira à noite, no Engenhão, para o “Jogo da Amizade” com a Colômbia.

Sem tempo para preparar a equipe – o elenco só ficou completo duas horas antes do treino desta terça-feira -, Tite não fez nenhum mistério. Mas o aguardado retorno da dupla Diego e Robinho terá que aguardar um pouco nesta quarta à noite, já que o técnico preferiu colocar o meia do Flamengo entre os reservas.

Quem ganhou espaço no time titular é Dudu, escalado na direita de ataque. “Tenho que trabalhar como estou trabalhando no Palmeiras. Se a gente estiver bem e fizer um bom jogo, tenho certeza de que o Tite vai lembrar em algumas outras convocações”, disse o jogador. “Estou muito feliz e quero aproveitar bastante essa oportunidade.”

A defesa será composta por Rodrigo Caio, medalhista de ouro nos Jogos do Rio, e Pedro Geromel, que há tempos Tite vinha cogitando para a seleção. O zagueiro do Grêmio, que fará sua estreia entre os titulares do Brasil, espera por um grande jogo, mas afirmou que o placar final não fará diferença nesta quarta à noite. Ele lembrou grande rivalidade que Brasil e Colômbia construíram nos últimos anos, especialmente após a Copa do Mundo de 2014, mas disse que desta vez ela ficará de lado.

“É uma situação difícil, delicada. A Colômbia foi o melhor adversário que o Brasil poderia ter escolhido, pela homenagem e solidariedade deles. É um jogo amigável, e como o Tite mesmo disse, o resultado é o que menos importa”, ponderou o defensor.

Rodrigo Caio, por sua vez, não escondeu a vontade de conquistar um bom resultado.

“Sabemos da importância do jogo. É uma questão mais social, por tudo que aconteceu, mas dentro de campo vamos fazer nosso trabalho”, afirmou o zagueiro do São Paulo. “Se a gente chegou à seleção foi por merecimento de cada um, e dentro de campo vamos dar o nosso melhor para vencer o jogo.”

Mesmo sendo uma partida de caráter beneficente, o amistoso seguirá as regras da Fifa para partidas internacionais. Assim, Tite poderá fazer até cinco substituições diante da Colômbia, além da possibilidade de ainda trocar ainda o goleiro.

IstoÉ

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

15 − nove =

Mais lidas

Send this to a friend