Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Polícia Federal aguarda informações para intimar Dátolo a depoimento

Avatar

Publicado

em

Segundo o órgão federal, ainda não há uma data específica para o jogador prestar esclarecimentos sobre os R$ 150 mil apreendidos no aeroporto do Galeão

Por GloboEsporte.com

Belo Horizonte

A Polícia Federal ainda aguarda informações sobre o caso Dátolo para poder intimar o jogador argentino a prestar esclarecimentos sobre os R$ 150 mil apreendidos no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, na última semana. O meia já admitiu que é dono do valor, mas se defendeu dizendo que a origem do mesmo é lícita. Entretanto, segundo a PF, a origem do dinheiro ainda não foi comprovada, mas os dois amigos de Dátolo, presos com a quantia na capital carioca, já foram liberados. A quantia apreendida continua com a Polícia Federal.

Caso seja indiciado pelo crime de evasão de divisas, Dátolo vai ser enquadrado no artigo 22, da Lei nº 7.492/86. A mesma fala em “efetuar operação de câmbio não autorizada, com o fim de promover evasão de divisas do País”, sob pena de reclusão de dois a seis anos, além de multa. O artigo trata de tentativa de saída de moeda ou divisa para o exterior, ou nele mantiver depósitos não declarados à repartição federal competente, no caso o Brasil.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Dátolo informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não irá se pronunciar mais sobre o assunto. O jogador já contratou serviços de um advogado para defendê-lo no caso. Segundo Francis Melo, assessor do atleta, a defesa agora passa a tratar dos trâmites burocráticos da situação.

– Quem está conduzindo essa situação são os advogados. Ele (Dátolo) não vai se pronunciar a respeito. O que aconteceu, na verdade, é que eles foram pegos com o dinheiro, mas, na mesma hora, pagaram a fiança e não passaram nenhuma noite lá. Pagaram a fiança e saíram, é um crime fiançável. Não passaram nenhuma noite lá. Eles estão no Brasil. O advogado foi lá no Rio, na Polícia Federal, para se inteirar sobre o assunto. Agora são os trâmites legais e normais. O advogado voltou para Belo Horizonte. Ele foi para o Rio para ter acesso aos depoimentos dos dois amigos do Dátolo. O dinheiro continua retido lá (na Polícia Federal) – explicou Francis.

Versão de Dátolo

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Dátolo; Atlético-MG (Foto: Reprodução/ TV Globo Minas)

Dátolo já se explicou sobre a origem do dinheiro apreendido (Foto: Reprodução/ TV Globo Minas)

Segundo Dátolo, houve um mal-entendido com dois amigos de infância que lhe prestam serviços. O meio-campista garantiu que a origem do montante é lícita, proveniente de seu salário. Quando publicou a nota oficial, ele ainda assegurou que prestará esclarecimentos às autoridades competentes que investigam o caso. Mas ainda não foi chamado.

Os argentinos presos no Galeão, no Rio de Janeiro, tentaram viajar com R$ 150 mil, de acordo com a Polícia Federal. Eles foram detidos na zona de embarque na tarde da quarta, dia 28 de setembro. Ainda segundo a PF, as autoridades alfandegárias brasileiras não tinham conhecimento da quantia que estava com os argentinos. Durante a abordagem, policiais federais do Rio identificaram que o dinheiro teria sido sacado da conta bancária do atleta do Atlético-MG.

A PF informou que o caso vem sendo investigado há dois meses e que um dos presos tinha 21 registros de entradas e saídas do Brasil, sempre tendo como origem/destino a Argentina. O Atlético-MG se colocou à disposição do atleta, caso o mesmo solicite, para prestar assistência jurídica, mas informou que não irá se pronunciar sobre questões pessoais do atleta.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *