Derrotado na Vila, Cristóvão explica substituições: “Queria segurar a bola”

Técnico vê Corinthians em evolução, apesar da derrota de virada para o Santos, na Vila Belmiro

O Corinthians deu um baile no Santos no primeiro tempo. Abriu o placar e teve chances para matar o jogo. Na etapa final, porém, recuou e deu espaço para o rival crescer, empatar e virar, vencendo por 2 a 1. Com o resultado, o Timão ficou na quarta posição com 40 pontos, um a mais do que o próprio Santos.

As substituições feitas por Cristóvão foram muito contestadas por torcedores corintianos, especialmente nas redes sociais. A primeira foi a saída de Gustavo, único centroavante do elenco, para a entrada de Marquinhos Gabriel, quando o time vencia por 1 a 0. Depois, já com 1 a 1, o volante Willians entrou na vaga de Giovanni Augusto. Por último, com a equipe já perdendo, Romero substituiu Lucca.

Cristóvão Borges Corinthians (Foto: Marcos Ribolli)
Cristóvão Borges, no jogo entre Santos e Corinthians, na Vila (Foto: Marcos Ribolli)

Na coletiva de imprensa após o jogo, Cristóvão explicou o que queria com as substituições:

– Nós estávamos com a vantagem, seria natural que o Santos nos pressionaria. No segundo tempo tivemos dificuldade de segurar a bola no ataque, e isso facilitou a pressão que o Santos vinha fazendo. Minha tentativa foi para que o time segurasse a bola, e só conseguimos isso no final do jogo, quando o Santos já tinha virado – disse Cristóvão.

– A orientação era pra continuar do mesmo jeito. Jogamos o tempo inteiro marcando pressão, em cima, e fazer isso por 90 minutos é difícil. Para que nos continuássemos marcando bem, precisávamos ter mais posse de bola. A defesa não conseguia subir, e isso facilitou a vida do Santos. Eles estavam perdendo, era natural que eles procurassem fazer pressão – completou o treinador.

Apesar da derrota, Cristóvão disse que o time do Corinthians está evoluindo na competição.

– Nós entendemos que a equipe melhorou em termos de atuação, isso vem acontecendo nas últimas partidas. Assim aconteceu hoje, principalmente no primeiro tempo, no segundo não. Nas últimas três partidas já foi diferente daquela que oscilava bastante. É necessário confirmação de resultados. Se seguirmos nesse caminho isso vai acontecer, porque a equipe está jogando bem – disse o técnico.

– Temos consciência do que fizemos, e fizemos também coisas boas. O jogo estava para nós, e escapou… temos essa consciência. Permitimos isso. Vamos analisar, já conversamos um pouco mas vamos ver o jogo inteiro porque sabemos que no segundo tempo permitimos a virada – completou.

Cristóvão evitou reclamar do lance do pênalti de Vilson em Luiz Felipe, que gerou o primeiro gol do Santos, marcado por Vitor Bueno.

– Arbitragem eu não discuto, é todo mundo querendo fazer o melhor, acertar, e todos nós erramos também.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

16 − 11 =

Send this to a friend