Siga o Jornal de Brasília

Esporte

Brasileiros batem 11 recordes na Paralimpíada 2016

Avatar

Publicado

em

Além de protagonizarem momentos emocionantes, marcarem presença em diferentes pódios, o atletismo brasileiro conquistou quebras de recordes mundiais e paralímpicos durante os Jogos da Rio 2016. Das 11 marcas estabelecidas por brasileiros, todas são de modalidades do esporte.

Confira os nove atletas brasileiros que bateram 11 recordes, mundiais e paralímpícos, durante a Paralimpíada 2016:

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

1 – Revezamento 4x100m T11-T13 

Os meninos do revezamento 4x100m T11-T13, Diogo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Mendes e Felipe Gomes, lideraram a prova de ponta a ponta e bateram novo recorde paralímpico do revezamento com o tempo de 42s37, levando o ouro.

Diogo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Mendes e Felipe Gomes levaram o ouro no revezamento 4x100m T11-T13
Creative Commons – CC BY 3.0Diogo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Mendes e Felipe Gomes levaram o ouro no revezamento 4x100m T11-T13 – REUTERS/Ricardo Moraes / Direitos reservados

2- Claudiney Batista 

No arremesso de peso, Claudiney Batista conquistou ouro na categoria F54 com direito a recorde paralímpico, de 45,33m. Na categoria F56, apesar de não levar medalha, o brasileiro também bateu recorde mundial de 42,74m.

Claudiney Batista conquistou ouro no arremesso de peso categoria F54
Creative Commons – CC BY 3.0Claudiney Batista conquistou ouro no arremesso de peso categoria F54 – Alaor Filho/MPIX/CPB
3 – Alessandro Silva 

Já no arremesso de disco F11, Alessandro Silva foi medalha de ouro com o recorde paralímpico de 43,06m.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Alessandro Silva levou o ouro no lançamento de disco
Creative Commons – CC BY 3.0Alessandro Silva levou o ouro no lançamento de disco – Fernando Maia/MPIX/CPB
4- Rodrigo Parreira

Por saltar 5,62m, na categoria T36, Rodrigo Parreira estabeleceu o recorde paralímpico no salto em distância. Nesta categoria, Parreira ficou com a prata no critério de desempate contra Brayden Davidson, da Austrália. O atleta brasileiro também conquistou o bronze na corrida de 100 metros T36.

Rodrigo Parreira, levou a prata no salto em distância T36 e o bronze nos 100m T36
Creative Commons – CC BY 3.0Rodrigo Parreira, levou a prata no salto em distância T36 e o bronze nos 100m T36 – Fernando Maia/MPIX/ CPB
5 – Petrucio Ferreira

Outra marca do atletismo paralímpico brasileiro veio com Petrucio Ferreira nos 100m T47, que levou o ouro e ainda marcou dois recordes mundiais de 10s57 e 10s67.

Petrucio Ferreira estabeleceu recorde e depois ele próprio bateu a marca
Creative Commons – CC BY 3.0Petrucio Ferreira estabeleceu recorde e depois ele próprio bateu a marca – Alexandre Urch/MPIX/CPB
6 – Mateus Evangelista

Nos 100m T37, Mateus Evangelista cravou 11s47 centésimos marcando o recorde paralímpico. O atleta ainda levou a prata no salto em distância T37. Evangelista também disputou os 400m na mesma classe.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Mateus Evangelista Foto-Marcio RodriguesMPIXCPB
Creative Commons – CC BY 3.0Mateus Evangelista Foto-Marcio RodriguesMPIXCPB – Marcio Rodrigues/MPIX/CPB
7 – Daniel Martins

Outro que voou na pista de atletismo foi Daniel Martins nos 400m T20: ele garantiu o ouro e marcou o recorde mundial com o tempo de 47s22 centésimos.

Daniel Martins garantiu o ouro nos 400m T20
Creative Commons – CC BY 3.0Daniel Martins garantiu o ouro nos 400m T20 – Daniel Brasil/MPIX/CPB
8 – Ariosvaldo Silva

Na classe T53 dos 100 metros, o recorde paralímpico foi estabelecido por Ariosvaldo Silva, o Parré, que marcou 14s69 centésimos. Apesar do tempo estabelecido, o atleta ficou em quarto na final e desclassificado na final dos 400m T53 por ter invadido a raia ao seu lado na pista do Estádio Olímpico.

Ariosvaldo Silva, o Parré, marcou 14s69 centésimos, nos 100 metros T53
Creative Commons – CC BY 3.0Ariosvaldo Silva, o Parré, marcou 14s69 centésimos, nos 100 metros T53 – Marco Antonio Teixeira/MPIX/CPB
9 – Verônica Hipólito

O atletismo feminino brilhou com Verônica Hipólito que levou a prata nos 100m T38 e marcou o recorde paralímpico com 12s,84 centésimos. A jovem atleta também conquistou o bronze nos 400m T38.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Verônica Hipólito levou prata nos 100m T38 e bronze nos 400m, na mesma classe
Creative Commons – CC BY 3.0Verônica Hipólito levou prata nos 100m T38 e bronze nos 400m, na mesma classe – Daniel Zappe/MPIX/CPB

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *