Siga o Jornal de Brasília

Literatura

Pe. Fábio de Melo lança livro em Brasília

Brasília de Fato

Publicado

em

Evento de lançamento de Por onde for o teu Passo, que lá esteja o teu coração acontece dia 17 de março na livraria Leitura do JK Shopping, e terá distribuição prévia de senhas

No próximo domingo, 17 de março, o padre, cantor e compositor Fábio de Melo receberá o público de Brasília para uma sessão de autógrafos do livro Por onde for o teu Passo, que lá esteja o teu coração. Lançamento da editora Planeta, a obra é um convite do padre Fábio para que os leitores repensem suas vidas. Segundo o sacerdote, é em vão procurar por uma resposta quando ainda não se fez a pergunta certa, pois “o conflito seguirá infértil se o indivíduo não receber o benefício da lucidez, que só o enfrentamento das perguntas proporciona”. O livro, que traz um diálogo entre um homem e sua consciência, é um chamado a essa transformação, com um itinerário para os que pretendem renascer.

O evento acontecerá na livraria Leitura do JK Shopping, localizado no Setor M-Norte, às 16h. Serão disponibilizadas 500 pulseiras e somente o portador da pulseira terá acesso ao local do evento. A fila será organizada por ordem de chegada e não pelo número da pulseira, que estará disponível somente na livraria leitura do JK Shopping, a partir do dia *15/03/2019 – Sexta-feira, somente para quem adquirir o novo livro: Por onde for o teu Passo, que lá esteja o teu coração.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre o autor

Padre Fábio de Melo é mineiro da cidade de Formiga, graduado em Filosofia e Teologia, pós-graduado em Educação e mestre em Teologia Sistemática. Ele se dedica ao trabalho de evangelização pela arte em diversas áreas de atuação: como padre, professor universitário, escritor, cantor e compositor. É autor de vários livros, entre eles: Tempo de esperas, Orfandades, É sagrado viver, Crer ou não crer e Quem me roubou de mim?, todos lançados pela Editora Planeta.

Ficha técnica
Por onde for o teu passo, que lá esteja o teu coração
Autor: padre Fábio de Melo
232 páginas
R$ 44,90


Serviço
JK Shopping
Endereço: Avenida Hélio Prates, QNM 34 – entre Taguatinga e Ceilândia
Horário praça de alimentação e lazer: segunda-feira a sábado das 10 às 22h. Domingos e feriados das 12 às 22h.
Informações: (61) 3246-8601
www.jkshoppingdf.com.br

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entretenimento

Livro da exposição “Ato – Teatro e Dança por Mila Petrillo” tem lançamento na próxima terça

Avatar

Publicado

em

O livro “Ato – Teatro e Dança por Mila Petrillo” ganha lançamento no dia 21 de maio, às 19h, no Museu Nacional

Em cartaz desde o dia 17 de abril, na Galeria Acervo do Museu Nacional Honestino Guimarães, a exposição “Ato – Teatro e Dança por Mila Petrillo” tem chamado atenção do público. A mostra, que tem curadoria de Carmem Moretzsohn e expografia de Bené Fonteles, traz um bom apanhado da produção em teatro e dança no DF entre os anos 1985 e 2000, sob o olhar da fotógrafa Mila, enquanto ela atuava como fotojornalista de importantes veículos da capital.

Na próxima terça-feira, 21 de maio, às 19h, a Galeria Acervo do Museu recebe o lançamento do livro de mesmo nome da exposição, com imagens de Mila e textos do jornalista Severino Francisco. Os exemplares serão vendidos sob o valor de R$ 80 na ocasião do lançamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Ato – teatro e dança por Mila Petrillo” é parte do projeto “Por Outras Lentes”, de recuperação e digitalização de cerca de 10 mil imagens do acervo pessoal de Mila Petrillo. A primeira exposição, “Momento em Movimento”, contou com fotos de momentos marcantes do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro registrados por Mila, e foi exibida na parede externa do Cine Brasília, durante a última edição do festival, em 2018.

Em “Ato – teatro e dança”, segunda exposição do projeto, são momentos e artistas dos palcos do Distrito Federal que ganham holofotes. Imagens marcantes das artes cênicas ganham vida nas paredes do Museu Nacional, em diversos formatos. É uma exposição que retrata a produção cênica de Brasília do período de 1985 até o ano 2000 – espetáculos que, inevitavelmente, refletiam momentos político-sociais intensos no Brasil – pelas lentes de Mila, relembrando algumas das montagens e personagens marcantes.

A exposição, que conta com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, segue em cartaz até 30 de junho. A visitação acontece de terça a domingo, das 9h às 18h30. Pessoas com deficiência têm auxílio de intérpretes de LIBRAS e de audiodescrição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre Mila Petrillo

Mila Petrillo fotografa profissionalmente desde 1978, tendo passado pelas áreas da fotografia de cena para cinema, reprodução de obras de arte, publicidade e fotojornalismo, especialmente na área cultural e social. Em sua carreira, já realizou 32 exposições individuais, publicou três livros e participou de outros 17, além de somar diversos prêmios.

Fotografou para o Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Folha de São Paulo, revista Veja, Isto é, Marie Claire, Vogue, Elle, Globo Rural, Revista Educação, Revista Nova Escola entre outros veículos de comunicação. Suas fotos ilustram os relatórios sociais de instituições como UNICEF, UNESCO, USAID, BID, UNFPA, BNDES, Fundação AVINA, Petrobras entre outros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Desde 1985, Mila fotografa os povos indígenas, tendo um vínculo forte com o Comitê intertribal. Registrou momentos importantes culturais, religiosos e políticos, tais como o Quarup no Xingu, manifestações por direitos no Rio de Janeiro, Brasília e outros. Foi fotógrafa oficial e fez exposições na Aldeia Karioca durante a Rio 92 e a Rio + 20. Também fotografou os jogos indígenas na Rio +20.

Serviço

Lançamento do Livro “Por outras lentes”
Quando:
21 de maio, às 19h
Onde: Galeria Acervo – Museu Nacional Honestino Guimarães
Preço do livro: R$ 80 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Exposição “Ato – teatro e dança por Mila Petrillo”
Quando:
entre 17 de abril até 30 de junho de 2019
Onde: Galeria Acervo – Museu Nacional Honestino Guimarães
Visitação: terça a domingo, das 9h às 18h30
Informações: 3325-6410

Continue lendo

Literatura

Fotógrafa e ativista brasileira escreve livro sobre sete anos de histórias e lutas em alto-mar

Brasília de Fato

Publicado

em

A carioca Bárbara Veiga lança, no dia 25 de abril, em Brasília, o livro Sete anos em sete Mares, com experiências para salvar a natureza entre piratas e baleeiros em mais de 80 países

Depois de navegar o mundo por sete anos para defender o meio-ambiente, enfrentar piratas, prisões e tempestades em alto-mar, a fotógrafa e ativista Bárbara Veiga decidiu transformar sua história em livro. As experiências a bordo do veleiro Papaya e as missões realizadas de uma ponta a outra do planeta preencheram as páginas de Sete anos em sete mares, que tem lançamento marcado para o dia 25 de abril em Brasília, na livraria Sebinho. A escrita em primeira pessoa, em formato de diário de bordo, reflete as aventuras, emoções e descobertas da carioca de 35 anos, que teve a escrita como companhia diária em diferentes oceanos.

Bárbara já fez parte do Greenpeace e da Sea Shepherd e descobriu a vontade de lutar pelas causas ambientais ainda na adolescência. A preocupação com o lixo que encontrava diariamente em trilhas e praias transformou-se em impulso para participar de causas maiores. A defesa pela manutenção e respeito a biodiversidade do planeta em que vive tornou-se prioridade. Além das dificuldades e de abdicar de uma vida mais comum, a ativista acumula uma enorme bagagem de aprendizados e experiências transformadoras.

“Muita coisa acontece na sua vida em sete anos. Eu embarco na defesa das causas ambientais há mais de 15 anos. No livro, relato as experiências nesses últimos anos de missões. Quando voltei de viagem percebi que acumulei mais de 50 caderninhos cheios de alegrias e decepções. Sete Anos em Sete Mares fala sobre aprendizados, dificuldades, dúvidas, lutas e muito amor. Desejo mostrar a urgência que o tema pede”, destaca a fotógrafa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aventuras em alto-mar

O livro em formato de diário de bordo tem escrita intimista e mostra as experiências e desafios enfrentados no cotidiano de uma ativista no mar. A escrita ajudava a refletir sobre o que vivia diariamente, transformando em palavras momentos de força, entrega e dificuldades. Bárbara dá protagonismo aos impactos ambientais causados pela displicência dos homens. “Eu queria lembrar daquilo no futuro e a escrita me colocava mais perto dos meus sentimentos. O importante é cada um, à sua maneira, agir em prol de todas as formas de vida existentes na Terra”, lembra a fotógrafa e documentarista.

Entre os desafios enfrentados, a autora foi presa duas vezes no Brasil e uma no exterior. O que era para ser um protesto pacífico no Caribe transformou-se em momentos difíceis. Foram dois dias em uma solitária, sem comer e beber. Bárbara teve que se declarar culpada por entrar ilegalmente no porto, teve sua fiança paga pelo Greenpeace e foi proibida de voltar ao local por dez anos. Depois disso, a realidade foi além da ficção e a autora esteve frente a frente com piratas no Golfo de Áden, que separa o Iémen da Somália.

“Com quatro homens a bordo, vestidos de trapos brancos e surrados, o outro barco lança sua âncora a 15 metros de distância do Papaya. Enquanto isso, entro às pressas, de maiô, toda molhada, buscando algo para cobrir meu corpo por inteiro, coloco uma burca, enquanto sinalizo via rádio que estamos sendo abordados por estranhos. Estranhos com forte potencial de se revelarem piratas somalis. Locky permanece do lado de fora, tentando se comunicar com os homens à medida que eles se aproximam do nosso veleiro, a bordo de um bote. Os homens não falam nada. Tento manter o sangue-frio, consciente do risco que corremos.

Não seria justo morrer agora, desse jeito tão estúpido.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bárbara atuou como espiã entre baleeiros para conseguir impedir uma matança nas Ilhas Feroe e se deparou com os perigos do mar ao acompanhar grandes tempestades. Ela sabotou navios de pesca ilegais, enfrentou a destruição de fazendas de atum e lutou contra o desmatamento da Amazônia. O amor pela natureza e pela biodiversidade, principalmente a marinha, motivam a luta constante e a dedicação diária de sua vida em busca das causas que defende e acredita.

A partir das peculiaridades e diferenças culturais de cada país visitado, Bárbara Veiga acumula aprendizados e transformações. A magnitude da natureza desperta reflexões sobre a própria existência. A cada experiência, no mar ou na terra, encontros fortes e profundos fazem a fotógrafa se reinventar constantemente como ser humano, quebrando estereótipos e enriquecendo sua visão de mundo. Mais do que contar histórias, a autora busca criar novos diálogos com o leitor e chamar ainda mais atenção para a importância das causas que defende,

Sobre a autora

Barbara Veiga é fotógrafa documentarista com experiência de atuação em mais de 80 países. Uniu o jornalismo à fotografia e posteriormente ao audiovisual em parceria com organizações mundiais como Greenpreace, Sea Shepherd, Amazon Watch e Avaaz. Fez, pela Rede Globo, uma série de videorreportagens para o Fantástico, além de ter seus registros publicados em veículos como o site da BBC, matérias pelo The Guardian, The Los Angeles Times, The Australian e Vanity Fair. Através da fotografia foi premiada pela National Geographic pelo trabalho “Pelo Homem, Pela Natureza”, exposto em Paris, no Jardin des Plantes (2011), além de Cannes, neste mesmo ano, durante o Festival de Cinema.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sinopse do livro

‘Sete Anos em Sete Mares’ é a jornada de uma mulher que escolheu se lançar ao mundo com vinte e poucos anos, abrindo mão dos amigos e do conforto, para se entregar a causas que possam ajudar a melhorar o planeta. Após cruzar oceanos, atuar em causas socioambientais em mais de 80 países e visitar as regiões mais inóspitas do mundo, Barbara Veiga, fotógrafa, documentarista e jornalista, conta suas emocionantes experiências ao passar sete anos morando no mar. São relatos sobre a paixão pela vida marinha e seus ensinamentos, aprender a confiar nas pessoas, ser uma mulher em um meio predominantemente masculino, a solidão e saudade de casa, aventuras em meio a piratas e prisões no Caribe, mas, acima de tudo, sobre uma vida trabalhando em causas de impacto socioambiental


Serviço
Lançamento: Sete anos em sete Mares
Local: Livraria Sebinho
Data: 25 de abril
Horário: 19h
Entrada gratuita

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continue lendo

Literatura

Feira da Torre de TV recebe 3ª edição da Feira Literária

Brasília de Fato

Publicado

em

Feira da Torre de TV recebe 3ª edição da Feira Literária. Foto: Kizy Melo

Point cultural do Plano Piloto é palco de leituras, música, teatro, poesia, saraus, lançamentos e vendas de livros

A Feira de Artesanato da Torre de TV de Brasília, point cultural da capital, recebe a 3ª Edição da Feira Literária da Torre de TV nos dias 2 e 3 de fevereiro, sábado e domingo, das 10h às 19h. O evento, que acontece no primeiro fim de semana de cada mês, conta com leitura, poesia, saraus, lançamentos e vendas de livros, com entrada franca. A programação cultural inclui também música ao vivo e apresentação teatral, contação de histórias para crianças com Fátima Venzi e o projeto “Dialogando” que promove bate-papo com poetas e participantes do cenário cultural.

Organizada pela Associação dos Expositores da Feira de Artesanato da Torre de TV (ASSEAPMA), a Feira Literária tem como objetivos a visibilidade dos escritores autônomos e da produção literária e cultural de Brasília, além de ampliar a programação cultural do espaço conhecido pela tradicional feira de artesanato, gastronomia e variedades que é referência para moradores e turistas da capital.

Feira da Torre de TV recebe 3ª edição da Feira Literária. Foto: Kizy Melo

Feira da Torre de TV recebe 3ª edição da Feira Literária. Foto: Kizy Melo

Nesta edição, o projeto recebe a presença do poeta Nicolas Behr, um dos expoentes da poesia brasileira ainda em atividade, que abraça o projeto como um dos maiores destaques da programação pela sua importância na cultura brasileira e dezenas de obras publicadas. O poeta participa do quadro “Dialogando” no sábado, às 16h. Os escritores Noélia Ribeiro, Sóter e Rafael Daher também fazem parte do palco de recitais e poesias da Feira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em sua 3ª edição, a Feira Literária da Torre de TV já realizou outras edições em novembro e dezembro de 2018. Sempre com programação cultural variada e foco em escritores da região, a Feira Literária se mostrou um sucesso entre o público frequentador da Feira de Artesanato da Torre, com participação de diversos públicos, desde crianças, jovens e adultos. Os participantes foram inscritos através de um chamamento aberto ao público durante o mês de janeiro.

Feira da Torre de TV recebe 3ª edição da Feira Literária. Foto: Kizy Melo

Feira da Torre de TV recebe 3ª edição da Feira Literária. Foto: Kizy Melo

“A Feira da Torre sempre foi um palco da cultura desde sua concepção, quando era uma feira de artesãos. O objetivo da Associação é resgatar essa cultura agregando outros artistas, como, por exemplo, os escritores, musicistas. O brasiliense, que já tem a Feira da Torre na tradição do seu fim de semana, ganha mais opções e enriquece a sua experiência”, explica Rubens Aguilar, diretor de comunicação e eventos da Associação dos Expositores e coordenador da ação.

PROGRAMAÇÃO

SÁBADO:

10:00
Abertura

DIALOGANDO – Hézio Teixeira entrevistando Silas Andrade, Presidente da Ler Mais Brasil

11:00
AVÁ – Editora Artesanal
Pedro Marra, com Projeto Poesia na Casca
Será anunciado o lançamento oficial de livros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

12:00 às 14:00
Basilina Pereira e os Músicos da ALMUB
– Academia de Letras e Música de Brasília

14 às 16:00
Dinorá Couto Cançado com a AIAB
– Academia Inclusiva de Autores Brasilienses

16:00 às 17:00
DIALOGANDO – Hézio Teixeira entrevistando o escritor Nicolas Behr

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

17:00 às 19:00
CELEIRO LITERÁRIO BRASILIENSE – Poesia, histórias, música e teatro
POETAS PARTICIPANTES: Antonio Lima; Custódia Wolney; Denise Viana Toledo; Didi Cordeiro; Elias Antunes; Eloy Barbosa; Felipe Vitelli; Flora Benitez; Ismar Lemes; Nara Fontes; Noélia Ribeiro; Pedro César Batista; Pietro Costa; Rafael Daher; Ronaldo Mousinho; Sóter
Música: Domicio, Zen, Oldeney.
Gege Brasil
Música & Poesia: 
Negro Vatto
Contação de história: Fátima Venzi
Teatro
Jirlene Pascoal
Vanderlei Costa

Nicolas Behr. Foto: Divulgação

Nicolas Behr. Foto: Divulgação

DOMINGO:

10:00
DIALOGANDO
– Hézio Teixeira entrevistando Pietro Costa, Presidente da Academia Cruzeirense de Letras
11:00
Noélia e Vitelli
12:00
DJ ógenes
13:00 às 13:30
Solange Cianni (Coletivo Maria Cobogó Leitura-performance)
13:30 às 14:30
DE SONHOS E LUTAS com Elias Antunes entrevistando Pedro César Batista, escritor, poeta e jornalista.
14:30 às 15:00
Margarida Drumond – AIAB falará sobre seus livros e apresentará a AJEB DF
15:00
Maria Félix, Gustavo Dourado e Samuel Lila na Cítara
16:00 às 19:00
SARAU MUSICAL E POÉTICO

PARTICIPANTES DO RECITAL: Afonso Gomes; Ana Barros; Araian Poeta; Cristiane Sobral; Denise Viana Toledo; Luh Veiga; Sandra Fayad; Stefanie Santos.
MÚSICA: Samuel Lila; Jeremias – saxofone; Zeca Mendes – violão e voz (MPB); João – violão e voz

Sobre a Feira da Torre

A Feira da Torre encontra-se aos pés da Torre de TV, em Brasília, e funciona de quinta a domingo das 9h às 18h. Também conhecida como feira de artesanato, a Feira da Torre foi fundada em maio de 1964 e desde então é um ponto turístico indispensável para todos que moram ou visitam a capital federal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Atualmente, o complexo está revitalizado com ótima estrutura e diversidade de produtos e opções gastronômicas, que não deixam a desejar para nenhum outro centro comercial de Brasília nesses moldes. Nos 480 boxes, a clientela pode encontrar movelaria, souvenirs, acessórios, roupas, objetos para decoração, produtos exotéricos e uma praça de alimentação com iguarias das principais regiões do Brasil. Além do recém inaugurado Esquina Luso-Brasileira, que serve os principais pratos da cozinha portuguesa.

Além da oferta comercial, a Feira de Artesanato da Torre de TV realiza diversos projetos artísticos culturais além da Feira Literária, como a Dança Charme, rodas de Samba e Choro, Forró, Rock e Blues nos encontros de Motos, além de oficinas de artesanato para crianças e adultos.


3ª Feira Literária da Feira da Torre de TV
Dias 2 e 3 de fevereiro
Tenda principal
Feira de Artesanato da Torre de TV
SDC, Eixo Monumental, Brasília – DF
Operações: 480 boxes
Alimentação: 30 boxes
Funcionamento: Sábado e Domingo, das 9 às 18h
Telefone: (61) 98131-2465
Entrada Franca

Continue lendo

Literatura

Escritores e críticos literários indicam nomes para ‘ficar de olho’ em 2019

Avatar

Publicado

em

Literatura

A perspectiva para 2019 na literatura não é das mais tranquilas: com a crise nas grandes redes de livrarias, as editoras devem buscar métodos alternativos de difusão dos livros e, por enquanto, só se pode especular o que o embate frequente entre a classe artística e o governo federal vai resultar.

Ainda no fim de 2018, porém, pedimos indicações de nomes a seis escritores, críticos e leitores atentos à literatura contemporânea nacional: o que esperar da literatura brasileira em 2019?

Os “jurados” foram: Walnice Nogueira Galvão, Silviano Santiago, Marcelino Freire, Heloísa Buarque de Hollanda, Ana Paula Maia e Schneider Carpeggiani. Os nomes que eles indicaram, respectivamente, foram: Eugênia Zerbini, Conceição Evaristo, Sued Hosana, Adelaide Ivánova, Gustavo Pacheco e Socorro Acioli. Saiba nesta página o que cada um dos autores planeja para os próximos 12 meses.

SILVIANO SANTIAGO

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Indica: Conceição Evaristo

“A escritora traz de volta a ideia de que o livro tem função e a literatura, missão a cumprir. Não tenho a intenção de angariar adeptos à causa do livro e da literatura no mundo pós-moderno. Sou anarquista, graças a S. Benedito. Solto a frase como a um foguete em praça pública. Que espoque nos céus conturbados de 2019 e, ainda que por um minuto, nos ilumine.”

Conceição Evaristo – Planos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A escritora não pôde atender a reportagem por estar em viagem de férias, mas sua assessoria informou que os planos são de se dedicar à escrita este ano. Em 2018, Conceição participou de dezenas de eventos em várias partes do Brasil, foi homenageada no Flink Sampa e concorreu a uma vaga na Academia Brasileira de Letras. Mesmo com a agenda cheia, ela lançou o romance ‘Canção Para Ninar Menino Grande’ (Unipalmares, trecho abaixo).

“Uma carta escrita em papel de seda, abandonada tal qual o corpo violentado de uma mulher, ao lado de um não desejado homem adormecido depois do gozo, jazia sobre a mesa. Em letras desenhadas com esmero, podia-se ler a repetida frase: “Eu te amo, eu te amo”. Fio Jasmim pousou sobre a folha, que balançava ao vento, um descuidado olhar; já sabia de cor todo o conteúdo. Tina lhe escrevia quase sempre. Ele tinha inúmeras cartas dela e não sabia mais o que fazer com tantas folhas. Muito menos, com o amor da moça. Devolver as cartas, podia; mas, sem elas, como convencer a sua mulher que ele, primeiramente, havia sido vítima do assédio sexual e, com o tempo, do amor louco da moça?”

*Silviano Santiago é escritor e crítico literário, autor de, entre outros, ‘Uma Literatura nos Trópicos’, que em março ganha edição comemorativa pelo selo CEPE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ana Paula Maia

Indica: Gustavo Pacheco

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Autor do ótimo livro de estreia Alguns Humanos. Para 2019 ele aposta em mais uma publicação.”

Gustavo Pacheco – Planos

São dois projetos para 2019. O primeiro é a publicação de um livro (Mundo Equívoco, título provisório) com as crônicas do autor publicadas na revista Época e outros locais (trecho abaixo). “As colunas não falam de assuntos correntes (não de maneira direta), foram pensadas para serem lidas com interesse a qualquer tempo. Contam histórias de personagens reais, a maioria escritores e poetas.” O outro projeto é seu segundo livro de contos, que chama provisoriamente de O Livro Verde.” “Já escrevi um dos contos, mas o livro provavelmente só será concluído em 2020”, diz.

Trecho:

“Conheci o escritor português Gonçalo M. Tavares na Feira do Livro de Guadalajara, no México. Ele participava de uma mesa de literatura europeia contemporânea (…). O esforçado mediador perguntou aos participantes da mesa o que eles recomendariam como leitura aos jovens estudantes da rede pública que formavam a maioria da plateia. (…) Ao chegar a vez do Gonçalo, ele disse que sempre se espanta quando encontra alguém que lê livros ruins, porque somos todos mortais e, portanto, não teremos tempo para ler todos os livros do mundo. Assim, se há tantos livros bons para ler e uma pessoa escolhe ler livros ruins, ela se comporta como se tivesse tempo de sobra; como se fosse imortal. ‘Então, quando conheço uma pessoa que lê livros ruins, tenho vontade de dizer: muito prazer, é a primeira vez que encontro um imortal’”, disse ele ao concluir sua fala, produzindo um silêncio perplexo na plateia.

*Ana Paula Maia é escritora, autora de ‘Assim na Terra Como Embaixo da Terra’, vencedora do Prêmio São Paulo de Literatura 2018 na categoria romance.

Schneider Carpeggiani

Indica: Socorro Acioli

“Indico o novo romance da escritora cearense Socorro Acioli, o primeiro quase cinco anos após o elogiado Cabeça de Santo. A obra parte da história real de uma igreja no Ceará, na região dos índios tremembés, que ficou enterrada por mais de 40 anos. O nome deve ser Oração para Desaparecer. Em termos de literatura estrangeira, a Todavia prometeu o segundo volume dos diários de Ricardo Piglia.”

Socorro Acioli – Planos

Socorro tem quatro novos projetos para 2019. Dois livros saem pelo selo Seguinte: um sobre construção de narrativas e um romance juvenil, Ópera do Medo, ambientado no Theatro Municipal de São Paulo. Em abril, a editora Dummar lança Sobre os Felizes, reunião de 50 textos publicados no jornal O Povo entre 2015 e 2019. O quarto é Oração para Desaparecer (trecho abaixo). “O romance é fundamentado na mística dos tremembés de Almofala, os legítimos donos da terra, homens e mulheres de grande valor, com um repertório de fé, costumes e vivência que admiro profundamente”, diz Socorro.

Trecho:

“Os pesadelos voltaram. Sonhei de novo com a cena do meu desespero, atravessando aquela horda de loucos, gritando mais alto que eles, para anunciar que não encontrei os ossos de Rosa na igreja. Os ossos de Rosa não estão lá, era o que eu dizia, a frase final do mistério que cobriu a todos nós e devorou minha vida. Acordei assombrado com a lembrança dos olhos esbugalhados e as palavras que atiravam em direção à minha desgraça. Só na manhã seguinte vi ao espelho o quanto minha imagem era aterradora, piorada pela confusão que a lua cheia evoca. Nos pesadelos eu vejo tudo, vejo a mim e aos outros naquela noite que o destino nunca teve a decência de me explicar.”

*Schneider Carpeggiani é editor do jornal ‘Suplemento Pernambuco’ e doutor em Teoria Literária pela UFPE.

Heloísa Buarque de Hollanda

Indica: Adelaide Ivánova

“Adelaide já é o que se poderia chamar de poeta madura. Domínio total de linguagem ao lado de enorme coragem de abrir a caixa preta dos não-ditos das mulheres hoje, usando como instrumento poético sua própria experiência e seu próprio corpo. Intuo que Adelaide já é a grande referência da poesia da novíssima geração de poetas.”

Adelaide Ivánova – Planos

Dois livros saem em março, pela editora Macondo, de Juiz de Fora. Polaróides é na verdade seu primeiro livro de poesia, publicado em formato digital em 2014, que agora ganha forma física com textos inéditos. 13 Nudes sai ao mesmo tempo, um “livrinho fofo de amor”, segundo a autora, com um posfácio experimental de Érica Zíngano. A editora de Adelaide, a bola.gato verlag, vai ganhar site e trabalhos da autora estarão lá disponíveis. “Fora isso continuar trabalhando pra pagar minhas conta, tentando desmantelar o patriarcado neoliberal (risos).”

Trecho:

“Saiba que você

chegou no dia

que belchior morreu e que eu

dei pausa no ‘coração selvagem’

pra te ouvir falar – e deus

você fala mais do que o homem

da cobra – e que isso se chama amor, de certo modo

você saía de dentro da sua mãe

enquanto eu cheirava loló

e ouvia chico science nas ruas

de uma cidade latinoamericana da qual você nunca ouviria falar

até me conhecer, 20 anos depois

(…) é seu aniversário de 21 anos

eu te olho abismada

não fico exatamente feliz

e você deve sentir

pena de mim também

talvez mas não é isso que une todos os amantes,

a tristeza?”

*Heloísa Buarque de Hollanda é escritora e professora emérita da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Walnice Nogueira Galvão

Indica: Eugenia Zerbini

“Aguarde em 2019 um romance biográfico sobre a imperatriz Teresa Cristina, mulher interessantíssima, esposa de D. Pedro II, que está sendo escrito por Eugenia Zerbini. Esta escreve bem, é culta e inteligente, e se dedica há anos a uma vasta pesquisa, que a levou até Nápoles, entre outros lugares, para palmilhar a trajetória da imperatriz. Eugênia ganhou o prêmio Sesc com seu romance de estreia, As Netas de Emma, em 2005, tendo depois publicado dois livros de contos, Luciferina e Harém.”

Eugenia Zerbini – PLANOS

“Teresa Cristina é popularmente lembrada apenas pela decepção que causou no jovem imperador, por ser pouco bonita, além de mancar. Em Para Você Se Lembrar de Mim’ (título provisório) fui além disso”, explica a escritora. Ela acredita que há um olhar atual no texto ao ter refeito o início do romance, “fazendo a imperatriz assistir ao incêndio que destruiu o Museu Nacional, originalmente Paço de São Cristóvão, sua casa”. O livro está em negociação com uma editora.

Trecho:

“Atravesso o cerco das labaredas para ver de perto o museu arder. Meu coração – até então frio com o sopro do Eterno – queima junto com ele. Antes que o telhado caia, lanço-me em direção ao andar superior, procurando meu oratório. Busco com os olhos o teto abobadado com a pomba do Espírito Santo pintada ao meio. Criador meu, tudo isso era mesmo necessário?”

*Walnice Nogueira Galvão é crítica literária e professora emérita da FFLCH-USP.

Marcelino Freire

Indica: Sued Hosana

“Minha indicação vai ser diferente. Explico: tenho acompanhado muito o movimento da poesia falada. Recentemente, na Balada Literária em Salvador, dentro do Sarau da Diversidade, conheci a poesia de Sued Hosana. Uma poesia que fala com o corpo, a voz, a cabeça erguida, o olho aceso. Ele (é um rapaz que se denomina ‘não binário’) foi ovacionado pela plateia. Indicando a Sued Hosana, quero falar da força da poesia com temática GLBT e dizer que a literatura que tem sacudido o País é a literatura feita nas quebradas – movimento dos saraus e batalhas e slams de resistência.”

Sued Hosana – PLANOS

“Sou uma preta bisha-travesty como diria Linn da Quebrada, estudante de pedagogia, cantora, escritora, poetisa e performista”, apresenta-se Sued Hosana, direto de Salvador. Ela conta que a relação com a literatura começou no ensino fundamental, e a vontade de criar as próprias histórias a levou para a composição e poesia. Além da atuação no slam, ela faz parte do coletivo MAMBXS, “uma banda perfopoliticomusical”, e com esse projeto pretende lançar, em 2019, clipe e música.

TRECHO

“Ah minha

palavra

é tipo katana

cortando as bananas que tentaram me jogar

Bacana!

minha mente insana não deseja fama nem grana, mas revolucionar nação

As preta pari e nos gera essa geração

e tô na visão antes que seja tarde

construindo união com muita coragem

se aponta o dedo só pra preto

a cara nem arde

COVARDE! (…)”

*Marcelino Freire é escritor, autor de, entre outros, ‘Bagageiro’ (RECORD, 2018).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Continue lendo

Literatura

Aberta inscrição para prêmio de literatura que busca novos escritores

Avatar

Publicado

em

Literatura

A partir desta quarta-feira (9), o Prêmio Sesc de Literatura abre inscrições para a sua edição de 2019.

A iniciativa é voltada para autores estreantes de romances ou contos inéditos. Os vencedores terão suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, com tiragem inicial de 2 mil exemplares.

Organizado pelo Serviço Social do Comércio (Sesc), o prêmio foi criado em 2003 e se tornou conhecido no circuito literário por ser destinado exclusivamente a novos escritores, abrindo a eles as portas do mercado editorial.

As inscrições são gratuitas e poderão ser realizadas pela internet até o dia 14 de fevereiro. As obras são avaliadas pela sua qualidade para edição e circulação nacional.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A escolha dos vencedores se dá por meio de um processo em que os avaliadores não têm condições de saber quem são os autores. Os livros inscritos são protegidos por pseudônimos.

Na última edição, realizada em 2018, o vencedor na categoria Romance foi Entre as mãos, da carioca Juliana Leite, e na categoria Conto levou As Coisas, do gaúcho Tobias Carvalho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continue lendo

Literatura

Lançamento de livro e visita guiada à exposição Cândido de Faria – Um Brasileiro no CCBB

Brasília de Fato

Publicado

em

Cândido de Faria

A obra Cândido de Faria um ilustrador sergipano das artes aplicadas, da própria curadora Germana Araújo, será lançado em tarde de autógrafos

Está em cartaz até 30 de dezembro, no Centro Cultural Banco do Brasil Brasília, a exposição Cândido de Faria – Um Brasileiro em Paris,  uma coletânea de 18 cartazes produzidos pelo artista para a companhia Cinematográfica Phaté, maior produtora de cinema da época. Com curadoria de Germana Araújo, a exposição faz um resgate cronológico de obras em litografia, entre 1902 e 1911. A mostra faz parte da programação do 10º Lobo Fest – Festival Internacional de Filmes.

Além da exposição, o CCBB Brasília recebe neste sábado, 1º de dezembro, às 16h, lançamento do livro Cândido de Faria um ilustrador sergipano  das artes aplicadas, da própria curadora Germana Araújo, o primeiro apanhado de obras do artista durante diferentes períodos da sua vida resgatados pela autora. Germana é professora doutora do Departamento de Artes e Design da Universidade de Sergipe e já apresentou o livro bilingüe também na Fundação Pathé em Paris, em março de 2018.

Exposição Candido de Faria Um Brasileiro. Foto: Divulgação

Exposição Candido de Faria Um Brasileiro. Foto: Divulgação

Ela também realiza visita guiada à mostra para o público, que terá a oportunidade de se aprofundar na vida e obra desse artista brasileiro que ficou conhecido por sua obra na França.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre Candido de Faria

Cândido Aragozes de Faria foi um ilustrador e publicitário, tido hoje como um dos maiores caricaturistas e ilustradores do Brasil e um dos maiores do seu tempo, produzindo centenas de peças de humor e publicidade por 45 anos. Como cartazista e ilustrador, Faria contribuiu para dar um rosto característico ao vibrante período entre o final do século XIX e início do século XX, chamado de Belle Époque, francesa e à boemia parisiense, povoada de artistas e intelectuais, em um momento em que Paris se tornava o mais dinâmico e progressista centro cultural do Ocidente.

Faria nasceu em Laranjeiras, Sergipe, em 1849 e estudou na Academia Imperial de Belas Artes do Rio de Janeiro. Sagaz e exímio caricaturista, Faria retratou em seu traço as articulações políticas e caracterizações da sociedade ao seu tempo. Trabalhou também em praças como Porto Alegre e Buenos Aires, na Argentina.

Foi em Paris, para onde se mudou em 1882, que Cândido de Farias passa a atuar como artista de comunicação e entretenimento, em criações para casas de shows e música. Em 1902, dá início à parceria com a produtora de cinema Pathé, com grande volume de produção, cerca de 9 mil cartazes impressos em litografia a cada três meses. A parceria perdura e Faria dedica-se exclusivamente a essa produção até o seu falecimento, em 1911.

Entre as obras da exposição, cartaz para o filme “As vítimas do alcoolismo” (Les Victimes de l’Alcoolisme), de 1902, uma ilustração e composição de Cândido de Faria para o cartaz do filme “Vida e Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo” (“Vie et passion de Notre Seigneur Jésus-Christ”), um dos filmes de maior público da época, e ilustração para o cartaz do filme “Sous La Terreur”, uma de suas últimas obras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Exposição Candido de Faria Um Brasileiro. Foto: Divulgação

Exposição Candido de Faria Um Brasileiro. Foto: Divulgação

Sobre o Lobo Fest

O Lobo Fest – Festival Internacional de Filmes chega a sua décima edição, de 27 de novembro a 04 de dezembro, consolidado como um festival cujo principal desafio é apresentar ao público um abrangente panorama global do CINEMA DO PRESENTE. O foco é na pluralidade audiovisual, desde filmes curtos até curtíssimos, atendendo à produção independente, às novas experimentações audiovisuais e abrindo janelas para cinematografias, fora do circuito comercial. Um festival potencializador de novas linguagens.

O Lobo Fest beneficiará, além do Plano Piloto, cinco regiões administrativas do DF com mostras itinerantes e em estações do metrô, atividades formativas, apresentações musicais, literatura, ambiente de mercado e sessões especiais com ampla acessibilidade. Tudo de forma sustentável. Consulte a programação no site www.lobofest.com.br


Serviço
“Cândido de Faria – Um Brasileiro em Paris”
Lançamento de livro e visita guiada à exposição Cândido de Faria – Um Brasileiro no CCBB
Sábado, 1º de dezembro, às 16h
Visita guiada na Galeria II
Lançamento do livro no espaço Mão Brasileira
Visitação de Exposição
Galeria II do CCBB (Setor de Clubes Sul, Trecho 2, Lote 22)
De 07 de novembro a 30 de dezembro
Confira a programação e a classificação no site: bb.com.br/cultura
Entrada franca
Livre para todos os púbicos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Evite filas! Baixe do App da Eventim para Android ou IOS na App Store ou Google Play e adquira seu ingresso pelo celular
Endereço: SCES Trecho 2 – Brasília/DF  Tel.: 61 3108-7600

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continue lendo

Literatura

São Sebastião recebe 2ª Feira Literária da Biblioteca do Bosque

Brasília de Fato

Publicado

em

Feira Literária

Literatura, música, teatro, poesia e palhaçaria ocupam o espaço público em evento gratuito que acontece nesta sexta-feira (30) e neste sábado (1)

A segunda edição da Feira Literária da Biblioteca do Bosque de São Sebastião (Flib) leva ao público atrações culturais nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro. O evento é gratuito e tem por objetivo incentivar a leitura, principalmente na infância. Na programação, música, poesia, teatro, palhaçaria e contação de histórias.

Entre as atrações, as poetas Nanda Pimenta, Cristiane Sobral e Meimei. Também a cronista Conceição Freitas, o escritor José Rezende Jr. e o rapper MC Boka. O público também confere apresentação de Guto Alegrossauro, do Palhaço Psiu e Companhia Teatral Fábula com os espetáculos “A roupa nova do Rei Zezão” e “As aventuras de Júlia e Bia”.

Tino Freitas conduz um bate papo com as crianças sob o tema: Palavra também é brinquedo. A apresentação fica por conta de Isaac Mendes. Sobem ainda no palco a dupla de moda de viola Wesley&Sideron e a cantora de música regional Carliane Alves.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, durante o evento serão lançados os livros “Avant-première”, de Marconi Martins e “Nosso Pé de Cordel Encantado”, escrito pelas crianças da Brinquedoteca Ludocriarte.

Durante todo o evento o público terá pintura de rosto, brinquedos infláveis e ainda a oportunidade de conferir uma feira de artesanato e o Projeto Ateliê na Rua, de Paulo Alaor.

A Feira Literária da Biblioteca do Bosque de São Sebastião é realizada pela Biblioteca Comunitária do Bosque com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Governo de Brasília (FAC).

Programação

Sexta (30/11)

14h – Guto Alegrossauro
15h – Bate-papo com as crianças: Palavra Também é brinquedo, com Tino Freitas
16h – Roda de conversa Palavra Viva com o tema Caminhos literários: da fala à escrita! – Bate papo com as artistas Nanda Pimenta, Mei Mei, Conceição Freitas e Cristiane Sobral conduzido por Iara Alves e Aline Karina
17h – Cia. Teatral Fábula com o espetáculo “As aventuras de Júlia e Bia”
18h – Wesley & Sideron

Sábado (01/12)

14h – Abertura música mecânica
15h – Cia. Teatral Fábula com o espetáculo “A roupa nova do Rei Zezão”
16h – Roda de conversa Palavra Viva – sobre o tema Caminhos literários: da fala à escrita! – Bate papo com os artistas José Rezende Jr, Francisco Alves e MC Boka conduzida por Devana Babu e Isaac Mendes
17h – Palhaço Psiu
18h – Carliane Alves

Serviço
FLIB 2018 – Feira Literária da Biblioteca do Bosque de São Sebastião 2ª Edição
Local: Biblioteca Comunitária do Bosque (Av. 2, Q 18 Cs 16, Residencial do Bosque, São Sebastião)
Data e horário: Sexta (30/11) e Sábado (01/12) das 14h às 19h
Entrada franca. Classificação indicativa livre.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continue lendo

Literatura

Loca Como Tu Madre recebe evento literário do coletivo Maria Cobogó

Brasília de Fato

Publicado

em

Maria Cobogó

Loca Por Livros vai prestigiar escritores da cidade em uma tarde de atividades na casa

No próximo sábado, dia 24, o gastropub Loca Como Tu Madre recebe a primeira edição do “Loca Por Livros”, uma parceria com o coletivo Maria Cobogó que visa fomentar a produção literária local, formado pelas escritoras Alessandra Roscoe, Ana Maria Lopes, Christiane Nóbrega, Claudine M. D. Duarte, Elisa Maria Mattos, Marcia Zarur e Solange Cianni.

O evento terá início às 11h da manhã com uma série de atividades e apresentações, além de estandes com venda de livros das escritoras do coletivo Maria Cobogó e de outros sete coletivos da cidade. Entre as ações terão leituras performáticas com Solange Cianni e convidados, mediação de leituras com a escritora Alessandra Roscoe, até às 17h.

Quem passar por lá ainda poderá aproveitar a famosa paella do Loca como sugestão de prato do dia por R$ 35,00, curtir o som dos Djs residentes da casa, além dos drinks autorais do bar do Loca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Serviço:
LOCA POR LIVROS
Onde: Loca Como Tu Madre (306 Sul Bloco C)
Quando: Sábado, dia 24, das 11h às 17h

Continue lendo

Literatura

Projeto transforma crianças em jovens autores de livros em Brasília

Brasília de Fato

Publicado

em

Livros

Entre os temas: poesia, educação financeira, refugiados e outros. Lançamento das obras e sessão de autógrafos será neste sábado, dia 10, na Livraria Leitura do Terraço Shopping

Alunos do Colégio Logosófico de Brasília lançam neste sábado, dia 10, livros de autoria própria na livraria Leitura do Terraço Shopping. O projeto desenvolvido em sala de aula deu origem a 101 títulos, entre os temas abordados: poesia, educação financeira, profissões, refugiados e outros assuntos que vão desde a ficção até temas atuais. As obras foram escritas e ilustradas pelos estudantes com idades entre 6 e 10 anos. A sessão de autógrafos será aberta ao público, das 10h às 15h.

A atividade é uma parceria com a Estante Mágica que tem por objetivo transformar crianças em jovens autores, além de fomentar e estimular a escrita e a leitura. O projeto já atingiu mais de 200 mil crianças em todo o país. Por meio de uma plataforma online acessível a escolas públicas e privadas, é possível levar o e-book para as prateleiras.

“É um projeto desafiador e gratificante. Nosso objetivo é contribuir para o desenvolvimento de habilidades que ajudem na formação de cidadãos mais conscientes e preparados. Conseguimos construir um universo de engajamento desde as crianças até os familiares. São histórias que vão desde o cotidiano deles até contos fantasiosos. E poder fazer esse momento de autógrafos para os familiares, amigos e convidados é concretizar toda essa dedicação em livros e autores mirins”, explica a educadora Lucia Andrade, diretora do Colégio Logosófico de Brasília.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Serviço
Sessão de autógrafos – Estante Mágica
Data: 10 de novembro de 2018
Horário: 10h
Local: Livraria Leitura – Terraço Shopping
Informações: (61) 3326.4205

Continue lendo

Literatura

Ulisses Riedel lança livro sobre Ecologia Espiritual – Genealogia da Alma nesta quinta (30)

Brasília de Fato

Publicado

em

Ulisses Riedel

Além da troca de diálogos entre os palestrantes e os presentes, promovido pelo Movimento Pedagogia das Virtudes, o evento contará com sessão de autógrafo do autor

 O ex-senador da República, o advogado e presidente da União Planetária, Ulisses Riedel, lança no dia 30 de agosto (quinta-feira), o livro “Ecologia Espiritual: Genealogia da Alma”, que traz reflexões sobre as causas da crise espiritual e moral da humanidade e quais os caminhos para superá-la. Será na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi de Brasília, a partir das 19h. Antes da sessão de autógrafos, os presentes poderão participar do 31º Seminário do Movimento Pedagogia das Virtudes sobre o tema da obra. Além do autor, palestrarão no encontro o psicólogo e doutor em Desenvolvimento Sustentável, Marco Aurélio Bilibio e a arquiteta e urbanista, Regina Fittipaldi.

O livro, que está sendo lançado pela Editora União Planetária, “avança audaciosamente sobre temas obscuros e impenetráveis, mas vale o esforço de tentar desvendar o mistério da vida e da existência humana. A obra trata de reflexões sobre as bases e os marcos fundamentais, teóricos e práticos para o entendimento das causas da crise espiritual e moral da humanidade e a formulação de um planejamento estratégico, ancorado na espiritualidade, que permita a sua superação”.

Entre outros, a obra indica que a solução dos problemas humanos depende de valores imateriais, da ética, da cooperação, da solidariedade, do humanismo, “porque estamos todos interligados, sendo essencial o reconhecimento de que a nossa família é a humanidade”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre o autor

Ulisses Riedel foi senador da República e diretor do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). É advogado, presidente da Riedel Resende e Advogados Associados, e da ONG União Planetária, TV SUPREN e Fazenda Escola Bona Espero, uma instituição que educou e acolheu mais de 900 crianças em situação de vulnerabilidade da região de Alto Paraíso de Goiás. Escritor, empreendedor social e conferencista internacional, tendo proferido palestras nas Américas, Europa e Ásia, abordando temas que envolvem filosofia, autocultura, autoconhecimento, comunicação positiva, cidadania, direitos humanos, ética nas relações humanas e nas empresas. Além disso, é produtor e apresentador de TV.


SERVIÇO
Lançamento do livro “Ecologia Espiritual – Genealogia da Alma”, de Ulisses Riedel e 31º Seminário Pedagogia das Virtudes
Data: 30/08/2018, quinta-feira
Hora: A partir das 19h
Local: Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, no início do Lago Norte

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continue lendo

Mais Lidas