Conjunto Nacional promove festa ao ar livre no aniversário de Brasília

Conjunto Nacional promove festa ao ar livre no aniversário de Brasília

Programação especial para toda família, com música, poesia, brincadeiras e oficinas de bolhas de sabão na revitalizada Praça Lúcio Costa, totalmente recuperada de acordo com projeto original com recursos do shopping . Tudo de graça !

 

No próximo sábado (21/4), dia do Aniversário de Brasília, o Conjunto Nacional promove uma verdadeira festa ao ar livre, com música, poesia, brincadeiras e oficinas de bolhas de sabão. A comemoração começa às 15hs com a palhaça Matusquella, do Pipocando Poesia, que vai colocar a garotada mais próxima da poesia brasiliense e brasileira. E para deixar o dia ainda mais gostoso, a turminha será presenteada com balão, pipoca e algodão-doce.

A criançada também poderá participar de brincadeiras a céu aberto com a trupe do Circo Alecrim, que das 15hs às 18hs vai coordenar duas oficinas: de Perna de Pau e o Circuito Retrô, onde as crianças poderão brincar em pranchas de equilíbrio e amarelinhas e com pés de toco e de Lata. Das 16h30 às 18h30, a garotada poderá ainda fazer oficina de bolha de sabão.

Às 16hs, os rapazes do trio Chorando Baixinho emocionam a plateia com obras de Jacob do Bandolim, Pixinguinha, Altamir Carrilho e Sivuca. Na sequência, às 17hs, o grupo  Fernando César & Regional coloca o público para dançar samba e choro. O festejo é encerrado pela banda Passo Largo, que a partir das 18h30 toca rock instrumental.

Toda a programação é gratuita e acontece na revitalizada Praça Lúcio Costa, localizada em frente ao shopping, na área externa superior. O espaço público foi totalmente recuperado com recursos do Conjunto Nacional, que presenteia a capital federal e sua gente com uma área multicultural de convivência, lazer e práticas esportivas. O investimento total feito pelo shopping foi de R$ 800 mil e as obras seguiram o projeto original .

No domingo (22/4), o quinteto de metais Brasília Brass fecha com chave de ouro o final de semana do aniversário da capital federal. O Chorando baixinho abre o show. A apresentação será a partir das 16hs.

Programação do Aniversário de Brasília – De 13 a 30 de abril, o Conjunto Nacional celebra o aniversário de Brasília e a revitalização da Praça Lúcio Costa com programação cultural. As atividades são gratuitas e ocorrem na praça. De segunda a sexta-feira, das 8h às 9h, serão realizadas aulas outdoor. Para participar, basta preencher o cadastro no balcão de informações, no local do evento. Aos sábados e domingos, das 16h às 20h, o Tardinha Cultural vai trazer música de qualidade, poesia e brincadeiras.


SERVIÇO: Tardinha Cultural no Conjunto Nacional

Data: De 13 a 30 de abril

Hora: Sábados e domingos, das 16h às 20h

Local: Praça Lúcio Costa (em frente ao shopping, na área externa superior)

EVENTO GRATUITO


PROGRAMAÇÃO DE 21 E 22/4:

 

Dia

Hora

Atração

Estilo

21/4

15h – 18h

Distribuição de balão, pipoca e algodão

21/4

15h – 18h

Circo do Alecrim

Brincadeiras

21/4

15h – 16h

Pipocando Poesia

Poesia

21/4

16h – 17h

Chorando Baixinho (Escola Raphael Rabello)

Choro

21/4

16h30 – 18h30

Oficina bolhas de sabão

Brincadeiras

21/4

17h – 18h30

Regional Fernando César

Choro/Samba

21/4

18h30 – 20h

Passo Largo

Rock Instrumental

22/4

16h – 17h

Chorando Baixinho (Escola Raphael Rabello)

Choro

22/4

17h – 18h30

Brasília Brass

Orquestra

 


ATRAÇÕES:

  • Pipocando Poesia – A atriz, roteirista, escritora, musicista, produtora cultural e poetisa Manuela Castelo Branco dá vida à palhaça Matusquella. Além de fazer parte do projeto Pipocando Poesia, Manuela também é a diretora artística do grupo Nó no Sentido, concluiu a Artes Cênicas na UnB. Trabalhou com diversos diretores renomados como: Hugo Rodas (MIRAGENS), Gê Martu (O CORPO HUMANO), Humberto Pedrancini (A RUA É UM RIO BRILHANTE), ENCANTADORES DE RUAS (coord. José Regino), Fernando Villar (TEORIA DO ESPAÇO ACÚSTICO), Bárbara Tavares (PRESÈPIO DE HILARIDADES HUMANAS), entre outros. Destaca-se por sua produção literária e peças de teatro, como MEU CERRADO, CERRADINHO, escrita especialmente para compor com os projetos de Educação Ambiental do ZOO BRASÍLIA; o livro ESPELHOS DA PALAVRA, coletivo de poesias de escritores latino-americanos, versão bilingue; e o livro de poesias concretas M. ulti FôRm (as), apoiado pelo FAC e recentemente publicado.

 

  • Circo Alecrim – Criada em setembro de 2010 por Marcelo Epifânio e Silvana Cadilhe para levar a arte do circo para festas e eventos, proporcionando diversão inteligente ao público infantil e adulto. A trupe realizam oficinas que trabalham o desenvolvimento físico, social, cultural, afetivo, emocional e cognitivo e estimulam a criatividade. Graduado em Administração de Empresas, Marcelo é instrutor de Circo, construtor de brinquedos circenses e técnico em segurança do trabalho (SENAI 1997). Silvana também instrutora de Circo e tem graduação e pós-graduação em Educação Física.

O grupo é constituído por três jovens (entre 14 e 16 anos) estudantes da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello: Luis Fernando (bandolinista), Arthur Rodrigues (violonista) e Victor Cortez (cavaquinhista).

 Conjunto Nacional promove festa ao ar livre no aniversário de Brasília
Foto: Thiago Sabino

Fernando César é filho da geração de Chorões que chegou a Brasília ainda no período da construção da cidade. Sua carreira é formada em completa imbricação à cena do choro brasiliense. É a partir dela e em diálogo com as referências de grandes instrumentistas de outras localidades, principalmente cariocas, que César se forma violonista de 7 cordas, arranjador e compositor. É também no envolvimento com a cena brasiliense do Choro que o músico forma grupos, propõe a articulação do Choro com outros gêneros musicais e se dedica à preservação, inovação e difusão do gênero.

O Fernando César & Regional é formado por Pedro Vasconcellos no cavaquinho, Júnior Ferreira no acordeom, Thanise Silva na flauta transversal e Valerinho Xavier no pandeiro. Instrumentistas, que apresentam individualmente caminhos sólidos percorridos no universo do Choro. A importância histórica dos conjuntos regionais na formação da música brasileira e na sua retomada na produção contemporânea vinculada ao Choro são motes centrais do Regional.

 Conjunto Nacional promove festa ao ar livre no aniversário de Brasília
Fernando Cesar e Regional


Banda brasileira de jazz-rock. Formada por Marcus Moraes na guitarra, Vavá Afiouni no baixo e Thiago Cunha na bateria. O power-trio lança mão de diversos estilos musicais, do forró ao funk, do ska ao rock`n roll, gerando um som que é rock, é jazz, é funk e é brasileiro ao mesmo tempo. Tal fusão se manifesta em canções que utilizam o groove, o peso e a improvisação, mas mantêm em suas impressões primeiras, melodias facilmente “cantáveis”. Com isso, mesmo as frases mais velozes, ganham uma leveza no seu entendimento. Isto talvez se deva ao sentido harmônico herdado do choro, ou à escola rítmica de brasilidades como samba, baião, partido alto e maracatu, ou, mais certamente, à soma destas influências aliada à “química” do grupo e à familiaridade e domínio dos instrumentos por parte do trio.

Formado em 2011, lançou em 2012 seu primeiro álbum, intitulado Passo Largo, que constou em listas especializadas como um dos melhores discos do ano no Brasil. O segundo veio em 2016, “Férias em Nibiru”. Ambos contém apenas composições próprias, músicas que já emocionaram e angariaram elogios de gente como Roberto Menescal, Lulu Santos, Dudu Maia e BNegão. Desde seus primeiros shows, além de suas composições, sempre constaram no repertório arranjos próprios para músicas consagradas. Releituras que modificam ritmos, compassos e mesclam músicas diferentes em medleys inusitados. O resultado disso, além de provocar o interesse e a surpresa no público e ser uma forma de reverenciar músicas e artistas que influenciam a banda, gerou material para um novo álbum. Este disco já está em fase de finalização e será lançado nos primeiros meses de 2018. Nele há músicas de nomes como Luiz Gonzaga, Jimi Hendrix, João Bosco e Pink Floyd .

O quinteto de metais foi formado no ano de 2014 por Derick Heliston​ ​(Trompete)​, Anderson Bezerra​ ​(Trompa), Gleysson Costa (Trombone)​, Tiago Poty ​(Trombone Baixo) e Haniel Queiroz (Trompete) , e vem atuando ativamente no cenário cultural, social e educacional brasiliense. Já participou de vários eventos beneficentes e projetos de formação de plateia e educação musical com o enfoque na música de câmera para metais. Em seu primeiro ano, participou do projeto Música na Escola em parceria com a ​Tato Comunicação, com patrocínio do Fundo de Apoio a Cultura do Distrito Federal – FAC/DF. Em 2015, por meio de parceria com o SESC Sinfonia Intermezzo, apresentou música de concerto no Terraço Shopping e no Shopping do Gama.

 Conjunto Nacional promove festa ao ar livre no aniversário de Brasília

No ano de 2016, o quinteto participou ativamente de solenidades e eventos culturais nas embaixadas da Venezuela, Guiana e Nicarágua. É ​em março de 2016 que o grupo alçou novos vôos, sendo pioneiro no Brasil criando o seu próprio festival: o “Festival de Metais Brasília Brass”. Durante este evento, aconteceram aulas individuais e coletivas, palestras e concertos sob a orientação de grandes músicos e professores da América do Sul, América do Norte e Europa. Tendo ampla repercussão entre os músicos de metais de todo o Brasil. Ano passado, realizou a segunda edição do festival, ampliando o número de concertos produzidos pelo evento. No mesmo ano o quinteto realizou concertos como grupo convidado pelo Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília e do projeto Conexões Camerísticas.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

4 × 4 =

Send this to a friend