Curta Brasília exibe filmes em realidade virtual, mostras estrangeiras e videoclipes

Curta Brasília exibe filmes em realidade virtual, mostras estrangeiras e videoclipes

6ª edição do festival exibe cem curtas nacionais e internacionais de 14 a 17 de dezembro. Há mostras de filmes holandeses, espanhóis e franceses; entrada é gratuita.

A 6ª edição do Curta Brasília – Festival Internacional de Curta-Metragem exibe cem filmes nacionais, franceses, espanhóis e holandeses, além de videoclipes e produções em realidade virtual.

As sessões começam nesta quarta-feira (14) e seguem até domingo (17) no Cine Brasília, na Asa Sul. A entrada é gratuita.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O festival oferece, ainda, mostras de filmes infantis e para surdos, produções de estudantes unversitários, e sessões de curtas “provacativos”, que abordam o corpo como expressão política e de gênero. Duas mostras são competitivas, uma com 14 videoclipes e outra com 30 curtas-metragens brasileiros.

Por tradição, em todas as edições o Curta Brasília homenageia um cineasta brasileiro, que ganha uma mostra exclusiva no evento. Desta vez, o escolhido é o pernambucano Kleber Mendonça Filho, considerado um dos principais nomes do cinema brasileiro atual.

O diretor carrega no currículo premiados longas-metragens, como “O som ao redor” (2013) e “Aquarius” (2016).

Na mostra de homenagem, serão exibidos todos os seis curtas de Kleber Mendonça, finalizados entre 2002 e 2014. O mais antigo é “A menina do algodão”, que conta a lenda de uma garotinha morta que amedrontou as crianças de Recife na década de 1970. Já o mais recente é o mini-documentário “A Copa do Mundo no Recife”.

Haverá, também, debates sobre a cadeia produtiva do audiovisual, festivais como espaço de intercâmbio criativo. O cineasta Kleber Mendonça vai ministrar “Construindo realidades – O poder do cinema como ferramenta de crítica e transformação”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Nomes de grandes festivais internacionais, como o de Huesca, na Espanha, e o de Nice, na França, participam das mesas redondas.

Durante todos os dias do festival, o Cine Brasília vai abrigar uma espécie de praça com food trucks e estandes de artistas e designers brasilienses, com roupas, acessórios e outros artigos. O som ambiente fica por conta das DJs Rabita (sexta), Pequi (sábado) e Tamara Maravilha (domingo).

Mostras do 6º Curta Brasília:
Mostra Competitiva

14 de dezembro (quinta)

20h – Exibição de cinco curtas-metragens
22h – Exibição de outros cinco curtas

O Distrito Federal concorre nesta mostra com três filmes. Neste dia, será exibido o “Carneiro de ouro”, da diretora e professora da Universidade de Brasília Dácia Ibiapina. O documentário foi premiado no 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro como melhor curta na categoria Júri Popular da mostra competitiva.

Filmagem do curta ‘Carneiro de ouro’, de Dácia Ibiapina (Foto: Pedro Julio/Divulgação)

“Carneiro de ouro” conta a forma de produção do realizador Dedé Diegues, que escreve, dirige, grava e edita filmes de cangaço com poucos recursos no sertão do Piauí. Ele é autor da trilogia “Cangaceiros Fora de Tempo”, um sucesso na cidade onde vive.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


15 de dezembro (sexta)

19h – Exibição de cinco curtas-metragens
21h – Exibição de outros cinco curtas

O DF será representado neste dia com duas exibições: “Tekoha – O som da terra” e “1 x 1”. O primeiro, com direção de Rodrigo Arajeju e Valdelice Veron, foi o melhor curta na mostra competitiva do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – o prêmio foi divido com o filme “Ursortudo”, de Januário Jr.

O filme conta sobre a luta de comunidade indígena para recuperar as terras sagradas tomadas pelo agronegócio em Mato Grosso do Sul. “Tekoha” é um manifesto de luto pelo genocídio dos povos Kaiowá e Guarani.

Já filme “1 x 1”, do diretor Ramon Abreu, conta outro história de luta. Um garoto pobre e sozinho que vende doces em semáforos de Brasília é perseguido por policiais e acaba sendo baleado. Entre a vida e a morte, internado em um hospital público, ele conhece o médico que o salva.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


De volta à favela onde vivia, o jovem é convencido a fazer um sequestro relâmpago. A vítima, sem querer, é o médico. O curta também foi exibido no Festival de Brasília.

16 de dezembro (sábado)

19h – Exibição de cinco curtas-metragens
21h – Exibição de outros cinco curtas

Os filmes vencedores serão escolhidos por júri oficial e pelo voto popular e concorrem a cerca de R$ 30 mil em prêmios.

Mostra Surdocine

15 de dezembro (sexta)
10h – Exibição de seis curtas em closed captions da Inglaterra, Uruguai, França-Suiça e do Brasil

Cena do filme ‘Sinais de um caso’, do diretor inglês Louis Neething, participa da mostra Surdocine da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)

Além de serem adaptados para pessoas com algum tipo de surdez, todos os filmes abordam a a vivência da deficiência auditiva nas próprias narrativas. Após a exibição, haverá um debate, em Libras e em português, para tratar os curtas e formas de acessibilidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Mostra Espanha

16 de dezembro (sábado)
15h – Exibição de quatro curtas-metragens finalizados entre 2014 e 2015

Cena do filme ‘Baraka’, do diretor espanhol Néstor Ruiz Medina, faz parte da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)

A mostra é uma parceria da Emabaixada da Espanha em homenagem aos 45 anos do Festival Internacional de Cine de Huesca, completados em 2017. Os filmes selecionados para o Curta Brasília são produções premiadas em edições recentes do festival.

Mostra França

16 de dezembro (sábado)
17h – Exibição de quatro curtas-metragens finalizados entre 2016 e 2017

Uma seleção de filmes produzidos por jovens cineastas franceses – alguns inéditos e premiados no festival de curtas de Nice “Un festival c’est trop court”. O evento, criado em 2000, é realizado ao longo de seis dias em uma dezena de pontos espalhados pela cidade litorânea.

Mostra Holanda

17 de dezembro (domingo)
17h – Exibição de sete curtas-metragens finalizados entre 2010 e 2017

Cena do filme ‘Jordy em trânsito’, do diretor holandês Willen Timmers, faz parte da 6º edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)

Realizada pela segunda fez na história do Curta Brasília, a mostra de filmes holandeses é uma parceria com a Embaixada dos Países Baixos e com EYE International – instituto holandês de cinema. Entre os curtas selecionados, há quatro produções ficcionais e três animações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 
Mostra Decibéis

16 de dezembro (sábado)
17h – Exibição de 14 videoclipes de bandas e artistas brasileiros independentes

Cena do clipe ‘Não espero mais’, da banda O Terno, de São Paulo. Videoclipe faz parte da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)

Entre os clipes selecionados para a mostra estão o do cantor brasiliense Joe Silhueta “Lambida”, com direção de André Miranda. O vídeo, finalizado em 2017, é uma “ode ao amor, à maturidade e à plenitude” e tem 3 minutos de duração.

Também participam Emicida com o videoclipe da música “Mandume”, que tem cerca de 9 minutos de duração, Karol Conká com “Lalá”, o grupo Francisco El Hombre com “Triste, louca ou má” e a banda O Terno com “Não espero mais”.

Cena do clipe 'Mandume', do rapper Emicida, que participa da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)
Cena do clipe ‘Mandume’, do rapper Emicida, que participa da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)
Mostra Universitária

16 de dezembro (sábado)
10h – Exibição de 13 curtas e videoclipes produzidos por estudantes de cinema do Iesb

O júri popular e uma comissão técnica vai escolher os melhores em cada categoria – ficção e clipe – para receber prêmios.

Mostra Homenagem

17 de dezembro (domingo)
15h – Exibição de seis curtas-metragens de Kleber Mendonça Filho finalizados entre 2002 e 2014

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Cena do filme ‘A Copa do Mundo no Recife’, de Kleber Mendonça Filho, participa da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)

Diretor, roteirista, jornalista, crítico e programador de cinema, o cineasta pernambucano é reconhecido por utilizar elementos reais e reconfigurá-los sob uma perpectiva ficcional para, de forma bem humorada, gerar reflexão.

Os filmes exibidos serão:
  • “A menina do algodão” – 2002, Documentário, 6 min.
  • “Vinil verde” – 2004, Ficção, 16 min.
  • “Eletrodoméstica” – 2005, Ficção, 22 min.
  • “A Copa do Mundo no Recife” – 2014, Documentário, 15 min.
  • “Noite de sexta, manhã de sábado” – 2006, Ficção, 16 min.
  • “Recife frio” – 2009, Ficção, 25min.
Mostra Provocações

17 de dezembro (domingo)
19h – Exibição de cinco curtas de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santos
A mostra será apresentada pela drag queen brasiliense Larissa Hollywood

Cena do curta ‘Mercadoria’, da diretora carioca Carla Villa-Lobos, participa da 6ª edição do festival Curta Brasília na mostra Provocações (Foto: Curta Brasília/Divulgação)

Os filmes selecionados para esta mostra têm, de alguma forma, a abordagem do corpo enquanto instrumento de manifestação política e de gênero. “Provocações” traz assuntos polêmicos “sem pudor de expor situações incômodar ou chocantes” a fim de gerar reflexão, segundo a organização.

Mostra Calanguinho

17 de dezembro (domingo)
10h30 – Exibição de quatro curtas infatis finalizados entre 2016 e 2017

Cena do filme
Cena do filme “Ursortudo”, vencedor de melhor curta-metragem no 50º Festival de Cinema de Brasília (Foto: Petronio Neto)

O Distrito Federal participa da mostra com os filmes “Ursortudo”, do diretor Januário Jr., e “O menino leão e a menina coruja”, de Renan Montenegro. O primeiro foi premiado como melhor curta na mostra competitiva do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. O curta ficcional conta a história de um homem que foi preso por engano e, depois, liberado para voltar à “vida normal”.

Cena do filme ‘O menino leão e a menina coruja’, do diretor brasiliense Renan Montenegro, que participa da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)

Já o segundo, narra uma história fantástica que se passa em um mundo de “pessoas animais”. Duas crianças, um menino-leão e uma menina-coruja são amigos na Escola Filhote Selvagem, onde o aprendizado não fica restrito à sala de aula.

O filme mais votado pelo júri popular infantil presente na sessão vai ganhar prêmio de R$ 1.500.

Realidade virtual
Cena do filme 'Ashes do Ashes' em realidade virtual faz parte da programação da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)
Cena do filme ‘Ashes do Ashes’ em realidade virtual faz parte da programação da 6ª edição do festival Curta Brasília (Foto: Curta Brasília/Divulgação)

Inaugurado na edição passada, o Espaço CVRTA VR é montado do lado de fora do cinema e dedicado exclusivamente à exibição de filmes de realidade virtual. Em parceria com a Embaixada do Reino dos Países Baixos, o Curta Brasília é pioneiro entre os festivais de cinema do Brasil a criar um espaço para curtas em 360°, trazendo profissionais da área e seus filmes para participar do evento.

A programação completa está no site do Curta Brasília.


Serviço

6º Curta Brasília
De 14 a 17 de dezembro
Cine Brasília – 106/107 Sul
Entrada gratuita

BDF na Rede

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE