Neymar não será indiciado por estupro e agressão

A delegada do caso decidiu que as informações obtidas eram suficientes

Na tarde desta segunda-feira (29) a delegada Juliana Lopes Bussacos, titular da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, concluiu o inquérito sobre a acusação de estupro e agressão feita pela modelo Najila de Souza Trindade contra Neymar Jr. O craque não será indiciado. 

A delegada não recebeu as imagens das câmeras de segurança do hotel em que a modelo ficou hospedada em Paris e do prontuário médico do ginecologista particular de Najila, mas decidiu que as informações obtidas eram suficientes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


As promotoras do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid) podem oferecer denúncia, pedir o arquivamento do inquérito ou solicitar novas diligências e o Ministério Público tem prazo legal de 15 dias para se manifestar.

No início do mês de junho, a Polícia Civil de São Paulo pediu aumento do prazo para conclusão do inquérito policial que apura a denúncia de agressão e estupro da modelo Najila Trindade Mendes de Souza pelo jogador de futebol Neymar Jr. O crime teria acontecido no dia 15 de maio deste ano, durante o encontro com o jogador em um quarto de hotel em Paris, na França.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

5 + 8 =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE