Com ensaios parados, escolas de samba do Rio buscam recursos privados

Mas o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, comentou nessa quarta-feira (4) que a verba prometida pelo município às escolas de samba está sendo repassada em dia.

Os ensaios técnicos para o Carnaval 2018 no Sambódromo do Rio de Janeiro estão suspensos por falta de recursos financeiros.

Em junho, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou que cortaria pela metade os recursos da subvenção destinada às escolas de samba do Grupo Especial. O corte gerou protestos da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa).

De acordo com a prefeitura, as agremiações receberam cerca de R$ 24 milhões, para os desfiles de 2017. O valor cortado pela prefeitura seria usado para aumentar o repasse de manutenção de creches conveniadas com o município.

Um mês depois, o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, declarou apoio à Liesa. De acordo com o ministro, a ideia era buscar recursos em fontes como a iniciativa privada, leis de incentivo e orçamento.

As escolas queriam a reposição de cerca de R$ 13 milhões, cortados pela prefeitura do Rio. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Liesa informou que busca patrocínio na iniciativa privada e por meio das leis de incentivo à cultura.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

dois × 3 =

Send this to a friend