Brasília entra para a Rede de Cidades Criativas da Unesco

 

A capital do País recebeu nesta terça (31) o título na categoria de design, pelo desenho do Plano Piloto, pelo desempenho dos profissionais que aqui atuam e pelas políticas públicas do Executivo local 

Brasília é uma cidade criativa do design. O reconhecimento foi dado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) nesta terça-feira (31).

No design, foram Brasília e mais oito, entre elas Cidade do Cabo (África do Sul), Cidade do México (México), Dubai (Emirados Árabes Unidos) e Istambul (Turquia).A capital foi uma das 64 escolhidas (de 44 países) nas sete áreas temáticas: artesanato e artes folclóricas, design, filme, gastronomia, literatura, artes midiáticas e música.

Com a classificação, Brasília passa a integrar a Rede de Cidades Criativas da Unesco, que inclui 180 cidades de 72 países, como Buenos Aires (Argentina) e Xangai (China). A capital brasileira passa a ter acesso a um intercâmbio de projetos com os outros centros urbanos da área de design.

O Memorial JK fotografado dos vitrais do Memorial dos Povos Indígenas.
O Memorial JK fotografado dos vitrais do Memorial dos Povos Indígenas. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília – 29.10.2017

O reconhecimento vem no mesmo ano em que o Plano Piloto de Brasília completa 30 anos como Patrimônio Cultural da Humanidade, e o objetivo é mostrar a vocação da capital da República, projetada e nascida do design.

“Vamos aproveitar esse novo título para incrementar ainda mais Brasília como a cidade cultural, criativa, turística”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

O governador Rodrigo Rollemberg comemorou a conquista. “Vamos aproveitar esse novo título para incrementar ainda mais Brasília como a cidade cultural, criativa, turística”, disse.

“Brasília é fruto da criatividade, da genialidade e da capacidade de liderança de Juscelino Kubitschek, que soube reunir o que havia de melhor no talento brasileiro no urbanismo, na arquitetura e nas artes.”

Rollemberg lançou a candidatura de Brasília em 6 de junho. O reconhecimento por parte da organização internacional é objetivo do Plano de Turismo Criativo de Brasília.

O Plano Turismo Criativo de Brasília e suas metas

O Plano de Turismo Criativo de Brasília foi lançado em novembro de 2016, fruto de parceria entre a Secretaria Adjunta do Turismo, vinculada à Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer, e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Distrito Federal (Sebrae-DF).

O intuito é atrair mais visitantes e fazer com que fiquem aqui por mais tempo ao promover a cidade como destino turístico reconhecido pela excelência na qualidade de vida e pelos diferenciais associados à diversidade cultural, criatividade, arquitetura moderna, mobilidade e acessibilidade.

Além do reconhecimento, as metas do plano incluem captação de eventos por meio de projetos colaborativos, implementação do Brasília Cinematográfica — transformar a cidade em referência nacional para set de locações de filmes —, e a revitalização da Torre de TV.

Governo de Brasília tem o design como marca em políticas públicas

Tendência do mercado mundial, o turismo criativo confunde-se com o design em algumas políticas públicas no DF. Exemplo disso é o Plano Orla Livre, de recuperação de área pública às margens do Lago Paranoá, que retoma a escala bucólica de Brasília e entrega o espaço à população.

Outro projeto do governo de Brasília com as características de design é o processo de fechamento do lixão da Estrutural e o reposicionamento dos resíduos para o Aterro Sanitário de Brasília, uma medida de sustentabilidade.

O título significa, portanto, um novo posicionamento para Brasília, com potencial para atrair mais visitantes e criar oportunidades de negócios ao incluí-la em uma rede com cidades do mundo inteiro.

O que é a Rede de Cidades Criativas, da Unesco

Criada pela Unesco em 2004, a Rede de Cidades Criativas tem como objetivo desenvolver cooperação internacional entre aquelas que enxergam a criatividade como fator estratégico para o desenvolvimento urbano sustentável, a inclusão social e o aumento da influência da cultura no mundo.

A cada dois anos são abertas novas candidaturas. Brasília entrou com um pleito em 2015 na área da música, no início da gestão e com pouco tempo para desenvolver um projeto, que não foi aceito.

Já João Pessoa, na Paraíba, foi eleita “cidade criativa para as Artes e Cultura Popular”, e Paraty, no Rio de Janeiro, foi escolhida como “cidade criativa para a Gastronomia”.

O anúncio desta terça incluiu 64 municípios de 44 países na lista dos mais criativos, sendo que 19 nações conquistaram a honraria pela primeira vez.

Criada em 2004, a lista conta com 180 cidades em 72 países diferentes homenageadas pelas habilidades de criação de seus povos.

Todas elas recebem o título com base “em práticas inovadoras para promover uma indústria criativa, reforçar a participação na vida cultural e integrar a cultura na sustentabilidade urbana de políticas de desenvolvimento”.

ANSA

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

1 + 16 =

Mais lidas

Send this to a friend