Siga o Jornal de Brasília

Celebridades

Ivete Sangalo: operação de guerra para desfilar na Sapucaí

Brasília de Fato

Publicado

em

ivete sangalo

Aos 44 anos, cantora terá sua trajetória narrada pela Grande Rio

Ivete foi apresentada ao carnaval do Rio bem antes de conhecer a folia de Salvador. Aos 5, 6 anos, a baiana de Juazeiro já acompanhava os desfiles das escolas de samba cariocas pela televisão, com direito a comentários do pai, o músico e joalheiro Alsus Almeida de Sangalo.

— Meu pai tinha paixão pelo Rio e era louco por samba. Enquanto as alas evoluíam, ele discorria sobre o lado lúdico do espetáculo, a criatividade dos carnavalescos, as metáforas dos enredos — lembra Ivete, caçula de seis irmãos. — Já o carnaval de rua de Salvador eu só fui conhecer lá pelos meus 13, 14 anos. Papai demorou a me deixar sair de casa. Mas no dia que deixou… Ele se ferrou ali (gargalhadas).

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Leia também:  Paulo Gustavo não tinha comorbidade, confirmam médicos

A baiana que começou a trabalhar vendendo quentinhas e hoje, aos 44 anos, é considerada uma das maiores cantoras do país terá sua trajetória narrada na passarela que faz parte da memória de sua infância. Segunda escola a entrar na Sapucaí nesta noite, a Grande Rio a reverencia com o enredo “Ivete do rio a Rio!”.

Sem estrelismo, a homenageada se envolveu à vera em todos os detalhes da preparação do desfile, abrindo brechas na lotada agenda de shows para tentar participar de todos os momentos, da escolha do samba, em setembro, à feijoada de confraternização, no último domingo.

— Queria muito participar de tudo, saborear cada momento. E até sobre o tecido das fantasias eles pediram a minha opinião, acredita? — conta Ivete.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

A cantora quase não fez exigências. Um dos únicos pedidos foi para que a infância em Juazeiro tivesse destaque. O enredo foi desenvolvido pelo carnavalesco Fábio Ricardo em parceria com a pesquisadora Helenise Guimarães, professora de História da Arte e Cultura Popular da UFRJ.

Leia também:  Paulo Gustavo não tinha comorbidade, confirmam médicos

— A Ivete vai conduzir a história, a partir da infância e adolescência, quando ganhou o primeiro violão do pai, passando pelo início tocando em bares, estouro na Banda Eva e carreira internacional. Quando chega ao Rio, vai para Caxias, que tem uma ligação com o sertão bem forte, fechando o ciclo. Tudo é pautado pelo espírito dela, alegre e pop — resume Helenise.

Levantou poeira. Ivete Sangalo, no alto do trio elétrico, no ensaio técnico da Grande Rio – Fábio Guimarães

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *