Ministério da Economia nega que auxílio emergencial pode virar permanente

Pasta afirma que a medida será evitada “para não comprometer a recuperação de contas públicas a partir de 2021”

O Ministério da Economia divulgou nesta terça-feira uma nota sobre o auxílio emergencial. A pasta nega que o benefício se tornará permanente.

Em nota divulgada, o Ministério afirma que as despesas causadas pelo combate ao novo coronavírus devem ser reestruturadas em 2020. 

“(…) o Ministério da Economia esclarece quais medidas de caráter temporário para combater os efeitos da pandemia. As despesas reduzidas neste momento de exceção não devem ser transformadas em permanentes para não comprometer a recuperação de contas públicas a partir de 2021 e nem uma trajetória sustentável da dívida pública ”, diz o texto.

Na nota, o ministério ressaltou ainda que “está preocupado em preservar vidas e na atividade econômica” e que medidas extraordinárias socorreram os mais vulneráveis. A pasta também destacou que está estudando medidas para estimular uma recuperação econômica.

“Essa crise trouxe, entretanto, uma oportunidade para avaliar a efetividade dos programas de transferência de renda e desenhar aplicações de melhoria. Projetos para reativação da economia estão em estudo e serão divulgados no momento oportuno ”.

 

Send this to a friend