Siga o Jornal de Brasília

Economia

Empresários entregam a Bolsonaro carta apoiando reforma da Previdência

Avatar

Publicado

em

Um grupo de empresários que integram o Movimento Brasil 200 se reuniu na tarde de hoje (26) com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, para entregar uma carta em apoio à reforma da Previdência proposta pelo governo federal

Entre os empresários que faziam parte do grupo estavam Flávio Rocha, dono da Riachuelo, e Luciano Hang, proprietário da Havan. Eles estavam acompanhados pela deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso Nacional.

A mãe de todas as reformas é a Nova Previdência, sinalizando solidez fiscal, responsabilidade com o futuro do país e garantia de estabilidade econômica para os próximos anos“, diz um trecho da carta aberta entregue a Bolsonaro.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Ainda segundo o documento, a mudança nas regras da aposentadoria é “consenso entre a totalidade dos dos mais responsáveis economistas do país” e “entre as classes produtivas e o mercado financeiro“.

Leia também:  Mega-Semana de Verão pode pagar R$ 2 milhões no concurso de hoje

Frente Parlamentar

A vinda dos empresários a Brasília marca também o lançamento da Frente Parlamentar Mista Brasil 200, iniciativa do movimento de mesmo nome, criado por empresários e que faz referência aos 200 anos da Independência do Brasil, que serão comemorados em 2022.

Essa frente é justamente para defender a pauta base do presidente da República, que é liberal na economia e conservadora nos costumes“, afirmou Joice Hasselmann, que vai coordenar a frente parlamentar, lançada hoje.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Para o empresário Luciano Hang, a principal missão da frente parlamentar é articular a aprovação da reforma da Previdência que, segundo ele, é crucial para o futuro do país. “Se nós não conseguirmos colocar essa Nova Previdência no ar, não vai ter investimento, o Brasil quebra e volta o desemprego“, afirmou.

Leia também:  Economia já aceita volta do auxílio, mas quer atrelar medida a corte de gastos

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *