Siga o Jornal de Brasília

Economia

Eleições foram R$ 4 bilhões mais baratas que 2012, indica TSE

Avatar

Publicado

em

convocação de mesários

Dados divulgados pelo TSE mostram que, neste ano, sem o financiamento empresarial e com mudanças nas regras para campanhas na televisão, gastos eleitorais ficaram em R$ 2,13 bilhões, ante R$ 6,29 bilhões na disputa municipal anterior

Patrícia Rodrigues – Especial para o CB /

As doações para as campanhas eleitorais caíram mais de R$ 4 bilhões nessas eleições em relação à disputa municipal anterior. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que os candidatos receberam R$ 2,381 bilhões, ante R$ 6,299 bilhões declarados em 2012. Os gastos eleitorais também caíram significativamente. Esse ano o número foi R$2,131 bilhões, sendo que, nas eleições municipais anteriores, o número foi R$ 6,243 bilhões.

“Um dado inequívoco. Houve uma significativa redução de gastos, isso é positivo”, avaliou o presidente do TSE, Gilmar Mendes. O ministro ressaltou que os números oficiais podem subir porque os candidatos ainda têm três dias para fazer as declarações. “Uma diferença significativa, o que talvez reflita o caráter mais modesto, mais econômico da campanha, em função das mudanças ocorridas na legislação”, disse. Para o ministro Dias Toffoli, a redução também é positiva. “É diminuição da influência de dinheiro na política”, afirmou.

Segundo o TSE, 150 candidatos foram presos por boca de urna, divulgação de propaganda, transporte ilegal de eleitores e corrupção eleitoral. Cerca de 1.005 eleitores foram presos por corrupção eleitoral, alto-falantes e distribuição de propaganda. Minas Gerais foi o estado com mais prisões. Foram 43 candidatos e 245 eleitores. “Tivemos mil e poucas ocorrências. Foram poucas, considerando o número de municípios e a população de eleitores, são mais de 140 milhões de eleitores”, ponderou Gilmar Mendes.

Candidatos
Das 196.159 urnas com identificação biométrica, 1.850 foram substituídas. As urnas sem identificação biométrica apresentaram menos problemas. Das 236.800 espalhadas pelo Brasil, apenas 1.819 foram trocadas. A maior quantidade de substituição ocorreu no Rio de Janeiro (678 urnas), seguido do estado de São Paulo (486 urnas). Em Roraima, apenas sete foram substituídas. Nenhum estado utilizou a votação manual.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *