Flamengo manterá salários das vítimas do incêndio

A informação está em nota divulgada pelo clube neste domingo (10)

A diretoria do Flamengo comprometeu-se a manter o pagamento dos salários às vítimas do incêndio de sexta-feira (8) em um dos alojamentos do clube, no Ninho do Urubu, como é conhecimento popularmente o Centro de Treinamento Presidente George Helal.

“O Flamengo gostaria de reiterar que, independentemente de qualquer investigação, vem prestando todo o amparo às famílias dos atletas vitimados pela tragédia ocorrida no centro de treinamento, assim como aos feridos e sobreviventes. Neste momento, o clube, de pleno, assume o compromisso de manter a remuneração paga aos atletas vítimas do incêndio, sem qualquer prejuízo de outras ações adicionais de apoio que estão sendo implementadas”, diz a nota.

Em outro trecho da nota, a diretoria do Flamengo ressalta que, de acordo com a empresa NHJ, responsável pelo alojamento de contêiner, a espuma usada no isolamento térmico e acústico não era inflamável.

“Vale ressaltar que representantes da empresa NHJ – em reunião realizada na manhã deste domingo, na sede da Gávea – esclareceram que o poliuretano utilizado entre as chapas metálicas não é propagador de incêndios, por ter característica auto-extinguível.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Nesta segunda-feira (11), representantes do Flamengo deverão participar de uma reunião no Ministério Público (MP) para tentar esclarecer o que ocorreu no Ninho do Urubu. Também estarão presentes à reunião representantes de diversos outros órgãos da Justiça e da prefeitura do Rio.

Corpos

Um incêndio no centro de treinamento do Flamengo, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, deixou dez mortos.

Os dois últimos corpos de jogadores do Flamengo que estavam no Instituto Médico-Legal (IML) foram identificados neste domingo (10). Com a identificação, os corpos serão liberados para as famílias cuidarem do sepultamento.

De acordo com a Polícia Civil, foram identificados Samuel Thomas de Souza Rosa e Jorge Eduardo dos Santos Pereira Dias. Apesar do estado de carbonização dos corpos, os peritos puderam fazer a identificação, segundo a assessoria da polícia, através da antropologia forense, comparando as medidas dos ossos de cada um. Caso isto não fosse possível, a identificação seria feita por exame de DNA, que é bem mais demorado.

Com isso, todos os 10 atletas mortos no incêndio no Ninho do Urubu, na última sexta-feira (8), foram identificados: Arthur Vinicius de Barros Silva; Pablo Henrique da Silva Matos; Vitor Isaias Coelho da Silva; Bernardo Augusto Manzke Pisetta; Gedson Corgosinho Beltrão dos Santos; Athila de Souza Paixão; Christian Esmerio Candido; Rykelmo de Souza Viana; Jorge Eduardo dos Santos Pereira Dias e Samuel Thomas de Souza Rosa.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend