Siga o Jornal de Brasília

Destaque

Metroviários decidem manter paralisação nesta sexta (10)

Avatar

Publicado

em

Assim, a circulação dos trens deve ser afetada até pelo menos a tarde desta sexta (10), quando será realizada uma audiência de conciliação entre a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários (Sindmetrô-DF).

Os metroviários decidiram, em assembleia nesta quinta-feira (9), manter a paralisação dos serviços.

Ainda na tarde de hoje, líderes sindicais se reuniram com o subsecretário de Relações do Trabalho e do Terceiro Setor, Márcio Gimene, para discutir a situação. Sem consenso, o governo afirmou que será solicitada uma nova reunião.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

O Metrô-DF informou que a operação do sistema amanhã dependerá do cumprimento da decisão judicial do TRT por parte dos empregados. “A direção fará o possível para disponibilizar o transporte das 6h às 10h e das 16h30 às 20h30, assim como ocorreu nesta quinta”, comunicou.

Leia também:  Ibaneis fala em melhorar o astral da população para corrigir mal-estar social

Por reajuste salarial, o SindMetrô-DF decidiu por greve geral para 100% da categoria. Ontem (8), a Justiça do Trabalho determinou funcionamento com 90% de sua capacidade nos horários de pico (6h às 10h e de 16h30 às 20h30). Nos demais horários, 60% da frota e dos empregados em atividade. Em razão das provas do Enem, no domingo (12), foi determinado que o Metrô funcione com 100% de sua frota e empregados das 8h30 às 19h.

O Sindmetrô-DF alega que deseja que o GDF cumpra o acordo feito em 2015. Nele, havia o pedido de reajuste salarial de 8,4%, com retroativo, e a contratação de 631 metroviários que passaram no último concurso – 331 para entrada imediata e 300 para o cadastro de reserva. Como as demandas estavam vinculadas à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e os cofres do GDF tiveram uma melhora em outubro, o Sindmetrô cobra que o governo volte à mesa de negociação.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Leia também:  ‘Estamos fazendo revolução em Taguatinga’, diz Ibaneis

 

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *