Siga o Jornal de Brasília

Destaque

STF abre inquérito para investigar presidente Michel Temer

Publicado

em

Pouco antes, a defesa de Temer protocolou no STF um pedido para ter acesso às gravações feitas pela Polícia Federal sobre os pagamentos de propina e de negociações sobre a compra de silêncio de Cunha.   

SÃO PAULO – O Supremo Tribunal Federal (STF) anunciou que abriu um inquérito nesta sexta-feira (18) contra o presidente Michel Temer por conta das revelações de que ele teria pago propina para comprar o silêncio do ex-deputado da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha.

As revelações contra o presidente, bem como contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), estão nas delações de Joesley Batista, um dos donos da JBS. Desde quando foi revelada na noite de ontem (17), diversos opositores e aliados do mandatário começam a ventilar a possibilidade de impeachment ou de uma eventual renúncia de Temer.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) protocolou o primeiro pedido de impeachment e que será avaliado na Câmara dos Deputados.

Entenda o que está acontecendo nesta quinta

  • A delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do frigorífico JBS, levantou suspeitas sobre políticos e um procurador da República.
  • Nesta quarta, “O Globo” informou que o dono da JBS gravou Temer dando aval para comprar o silêncio de Eduardo Cunha. O presidente disse que se reuniu com o empresário Joesley Batista, mas “jamais” tentou evitar a delação de Cunha.
  • Aécio é investigado por pedir R$ 2 milhões à JBS para pagar pela sua defesa na Lava Jato. O tucano nega.
  • Os depoimentos desencadearam decisões no STF e operações da Polícia Federal.
  • A Procuradoria Geral da República (PGR) pediu a prisão de Aécio Neves, mas o ministro Edson Fachin autorizou apenas o afastamento dele do Senado. O pedido de prisão será julgado pelo plenário do STF.
  • Fachin também autorizou o afastamento do deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) . Ele teria sido indicado por Temer para receber propina.
  • O Congresso ainda não se pronunciou sobre as decisões do STF.
  • A PF faz buscas em endereços ligados a Aécio Neves no Rio, Brasília e em Minas Gerais.
  • A irmã do senador tucano, Andrea Neves, foi presa em Belo Horizonte.
  • O primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, foi preso em Minas Gerais. Também foram detidos Menderson Souza Lima, assessor do senador Zeze Perrela, e uma irmã do doleiro Lucio Funaro.
  • Os gabinetes de Zeze Perrela e de Rocha Loures também foram alvos de buscas.
  • A PF prendeu o procurador da República Ângelo Goulart Villela, do TSE. Ele é suspeito de favorecer uma empresa do grupo J&F.
  • Defesa de Aécio tentará reverter no STF afastamento do senador

ANSA

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta