Cidades Limpas chega a Planaltina e terá foco no combate ao Aedes aegypti

Força-tarefa começa nesta segunda (30) e deve durar duas semanas. Outros serviços previstos são limpeza, poda de árvores e desobstrução de bocas de lobo

O programa Cidades Limpas chega a Planaltina nesta segunda-feira (30), às 9 horas, para serviços de limpeza e conservação e atividades de combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, a chikungunya e o zika vírus. Normalmente, a operação dura cinco dias em cada localidade, mas, desta vez, os trabalhos serão executados em duas semanas, até 10 de fevereiro.

Entre as ações programadas pela Secretaria das Cidades, em parceria com a Administração Regional de Planaltina, estão limpeza de paradas de ônibus, combate a pontos irregulares de despejo de lixo e visitas do Corpo de Bombeiros e dos agentes da Vigilância Ambiental a residências em áreas onde foi verificada alta infestação do mosquito.

Também estão previstas medidas preventivas para evitar danos provocados pelas chuvas. Atendendo a solicitações de moradores, a administração regional indicou cerca de 70 pontos para que a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) verifique a necessidade de poda de árvores. Além disso, foram apontados trechos de vias públicas que costumam alagar, para que sejam providenciadas a desobstrução das bocas de lobo e a reparação da rede de drenagem. Outras demandas são a construção de estacionamentos perto de escolas e a execução de serviços de tapa-buraco.

400 Quantidade de servidores públicos e de funcionários de empresas contratadas que vão atuar em Planaltina no mutirão

Aproximadamente 400 servidores públicos e funcionários de empresas contratadas pelo governo vão atuar no mutirão. Outros órgãos envolvidos são a Agência de Fiscalização (Agefis), a Companhia Energética de Brasília (CEB), a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), a Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb), o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), o Departamento de Trânsito (DETRAN-DF), o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), a Polícia Militar, a Secretaria de Saúde e o Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

Locais de Planaltina que exigem mais cuidado no combate à dengue

Desde novembro do ano passado, a Subsecretaria de Vigilância à Saúde, da Secretaria de Saúde,  direciona o manejo ambiental com base nas informações recolhidas por meio do Levantamento de Índices Rápidos do Aedes aegypti (LIRAa). O indicador é capaz de mostrar o nível de infestação do mosquito e o tipo mais comum de recipiente em que ele está se reproduzindo. Em Planaltina, o LIRAa mostrou que as ações devem ser focadas no Condomínio Estâncias, na Vila Buritis, no Arapoanga e no Vale do Amanhecer.

De acordo com o informativo epidemiológico da Saúde, o DF registrou, até a terceira semana deste ano, 76 casos prováveis de dengue em moradores da capital, contra 1.596 no mesmo período de 2016. Em Planaltina, foram seis casos, contra 113 no mesmo período do ano passado. O decréscimo não permite, no entanto, que o poder público e a população descuidem do assunto. “A presença do Aedes aegypti está intimamente ligada às condições ambientais. Por isso, nosso trabalho é contínuo”, explica o diretor de Vigilância Ambiental, Denílson Magalhães.

Lançamento da operação Planaltina – Programa Cidades Limpas

30 de janeiro (segunda-feira)

Às 9 horas

Avenida Erasmo de Castro, Bairro Arapoanga

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

4 × três =

Mais lidas

Send this to a friend