O ponto cego da Mobilidade Urbana em Brasília DF.

Estamos completando 60 dias da nova gestão do governo Ibanes Rocha,e novas ações estão sendo implementadas por sua equipe de governo

Na mobilidade urbana em Brasília observamos uma movimentação de máquinas e equipamentos em algumas vias de trânsito intenso. A operação tapas buracos e recapeamento asfáltico vem sendo feita durante os fins de semanas para não causar transtornos aos condutores, essas ações aprovamos e concordamos plenamente.

Na bilhetagem eletrônica começaram a fazer levantamentos e analise para apuração de rombos e fraudes já devidamente constatados desde a gestão passada, inclusive na esfera policial e judiciária, mas todos sabemos que as fraudes estão em todo o sistema de transportes públicos, a partir de sua forma de contratação operacional até chegar ao custo final da tarifa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Estamos observando também algumas ações de adequações e acertos geométricos em parte do corredor exclusivo do ônibus na EPTG (foto) a partir da parada do ônibus na Octogonal até chegar no centro de Taguatinga, onde existem obras interrompidas já há vários anos no viaduto que faz a partilha do Pistão Sul e Norte daquela regional administrativa.

Posso afirmar que, como medidas meramente paliativas para melhor fluidez do corredor de ônibus nos horários de pico, a mudança da faixa exclusiva na EPTG é uma boa ação do DER, apesar de não ser o tecnicamente correto.

Tecnicamente falando, o certo seria a Secretária de Mobilidade Urbana e DFTRANS fazer cumprir a determinação de renovação da frota dos ônibus com as portas de embarque e desembarque de passageiros pelos dois lados de cada veículo, bem como os equipamentos de acessibilidades para portadores de necessidades especiais no mesmo nível dos abrigos e paradas de ônibus, principalmente para os cadeirantes.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

EPTG

Esperamos que o governador Ibanes Rocha e sua equipe de mobilidade urbana não deixe cair no esquecimento essa importante determinação já obsoleta desde a gestão passada, mesmo porque da maneira como está só gera benefícios para as empresas de ônibus.

Agora no início do ano letivo foi apurado o descalabro e a exorbitância dos recursos financeiros públicos no passe livre estudantil e na gratuidade, apresentando um alto custo e providenciando logo uma nova legislação proposta à Câmara Legislativa do DF para que seja estancada a sangria das fraudes já constatadas.

 

No tocante a operacionalização do trânsito e transporte na capital brasileira ainda continua o mesmo caos dos anos anteriores e gestões passadas, não há fluidez porque não temos fiscalização, nem orientação, e muito menos ordenamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Esperamos que nos próximos 40 dias quando o governo completará os primeiros 100 dias, o povo já esteja sentindo a tão esperada diferença, afinal é isso que se espera de um novo modelo de gestão, principalmente nessa área de mobilidade urbana, trânsito e transporte, são problemas apontados por esse técnico e colunista especialista.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

10 − 7 =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend