Mobilidade Urbana: Ligeirinhas

DFTRANS: farra na bilhetagem continua e Buriti dorme no ponto

Brasília mais uma vez foi palco de fraudes nos transportes coletivos urbanos, desta feita iniciou-se nesta quinta-feira (15), quando a justiça determinou a prisão temporária de 40 participantes da quadrilha que sangra e frauda o sistema dos transportes públicos, no DFTRANS.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Durante a operação TRICKSTER , foram cumpridos também mandados em estados do Nordeste; Paraíba e Pernambuco, onde 3 pessoas serão presas por indícios de integrarem uma organização criminosa com ramificações.

Essa operação tem como alvos principalmente servidores públicos, técnicos de informática e permissionários, além de empresários do ramo dos transportes. Em Brasília a empresa Pioneira, da família Constantino, também está sendo investigada.

Para se ter uma ideia do tamanho do rombo e da extensão da fraude no DF, a Justiça autorizou o acesso total ao banco de dados e a bilhetagem automática administrada pelo DFTRANS no GDF.

A suspeita é que a quadrilha usavam empresas fantasmas e fictícias sem registro na receita federal e com CNPJ falso para emissão de créditos de vales transportes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Os pedidos de créditos inseridos no sistema geravam boletos de cobranças que nunca foram pagos, mas suas faturas eram registradas como sendo pagas e quitadas.

A transação falsa e virtual, criava créditos reais em cartões de transportes que depois eram descarregados nas catracas dos permissionários das empresas prestadoras dos serviços de transportes coletivos urbanos no DF.

Tudo cooperava para que o GDF liberasse o valor correspondente a tarifa para o ressarcimento ao transporte dos passageiros falsos, ou seja, nunca existiram.

Este colunista vem alertando já a algum tempo o nosso Governador Rodrigo Rollemberg, que deve usar a caneta na MOBILIDADE URBANA urgente.

 

IPVA traz baixa de arrecadação no Detran-DF de 108 milhões em 2018.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O Detran DF, está deixando de arrecadar somente nos primeiros 3 meses de 2018, mais de 150 milhões de reais com atrasos de pagamentos e ausências de primeiras parcelas do carnê de IPVA, esse número alcança 504.175 veículos circulando em nossas vias públicas sem pagar pelo uso.

A Fazenda Pública do GDF, iniciou uma cobrança por e-mails e mensagens em celulares já no final de 2017, quando inauguraram mais uma agencia de recuperação de créditos e atendimentos, desta feita na antiga sede da Receita no Núcleo Bandeirante.

Paralelamente, a Secretaria começou nesta última terça feira (13) o envio de 52 mil notificações aos contribuintes que adquiriram seus veículos novos em 2016 e foram beneficiados comum a isenção do IPVA, devido ter acontecido uma falha no sistema de processamento dos boletos de 2018, com valores inferiores aos devidos.

Pela legislação vigente, os beneficiados deixaram de pagar o imposto no ano da compra de seu veículo, mas terão que arcar com um percentual adicional na alíquota nos 3 exercícios seguintes à compra do veículo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O incremento é de 0,25% a 0,5% dependendo do tipo do seu veículo.

Dúvidas e esclarecimentos deverão ser feitos pelo SITE www.fazenda.df.gov.br escolhendo o ícone IPVA.

 

Família de mulher atropelada por ônibus durante assalto pede celeridade à Justiça

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O mecânico Elton Teixeira Machado de 52 anos desabafa, ao enterrar sua esposa Claudenia Oliveira Teixeira de 37 anos, vítima de um assalto a ônibus na QNP-34 de Ceilândia-DF, que acabou sendo atropelada.

Gritando dizia; “Foi a minha esposa hoje, amanhã será a sua mãe ou irmã ou filho de qualquer um!”

O rodoviário Tácio Rogério Allan Pontes de 44 anos diz:

“Para mim o maior culpado e o GDF que não investe em um projeto de segurança pública voltado aos transportes coletivos urbanos no DF que sequer são fiscalizados pelos Órgãos gestores”.

Tudo isso aconteceu após assalto praticado por 3 meliantes que faziam parte de uma quadrilha composta de um menor que entrou no ônibus efetuando o assalto, e mais 2 comparsas maiores de idade que já estavam em um carro de fuga. Todos estão sendo procurados pela polícia de Brasília.

O menor já bem conhecido pela Delegacia da Criança e Adolescentes, foi apreendido, um dos outros 2 participantes, Alexandro Pereira Da Silva de 22 anos, conhecido no mundo do crime como DIABO LOURO, já com 4 passagens pela 23 DP em práticas de homicídios, tráfico de drogas e roubos, ainda não havia sido capturado juntamente com seu comparsa da fuga.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

 

Sensação de insegurança continua nos coletivos da capital

No período entre 28 de fevereiro a 12 de março exatamente quando o Secretário de Segurança Pública de Brasília anunciava uma diminuição de assaltos em transportes coletivos urbanos, o delinquente Gleciano Rodrigo Dos Santos, de 20 anos, natural de Porto Nacional no estado do Tocantins e morador na favela existente no nobre setor Noroeste na Asa Norte, Plano Piloto, foi capturado pela equipe do delegado da 2 DP Dr Laércio Rosseto.

Foram 19 assaltos a mão armada com objeto cortante no modus operandi do marginal, Gleciano. O meliante foi autuado por roubo com emprego de arma branca e pode pegar de 6 a 15 anos de prisão, porem se aparecerem outros assaltos poderá ter sua prisão aumentada em tempo de reclusão.

Este colunista continua a perguntar, onde estão a fiscalização dos órgãos competentes nas linhas e rotas do transporte publico de Brasilia. Sr Governador Rodrigo Rollemberg, quando teremos um sistema de transportes públicos com eficiência e segurança para nosso povo poder deixar o carro na garagem e usar os transportes coletivos urbanos deixando nossas vias públicas desobstruídas?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Vale lembrar que a Justiça determinou a suspenção da licitação fraudulenta ocorrida na gestão de Agnelo Queiroz e Tadeu Filippelli e teve continuidade na gestão de Rollemberg. Pelo visto o lobby das milionárias empresas do ramo continua a nortear o pensamento da administração pública.

 

Criminalidade na Mobilidade Urbana aumenta o valor de seguros de veículos automotores

Com a justificativa de que Brasília está cada vez mais insegura nas vias públicas de suas cidades administrativas, balizou um aumento médio de 20% nas apólices de seguradoras de automóveis e motos em 2018,conforme o sindicato dos corretores de seguros ( SINCOR DF ) .

A entidade revelou que dependendo da região administrativa os contratos podem chegar até 40% de reajuste.

Em Taguatinga por exemplo, uma mulher com mais de 26 anos usuária deste tipo de serviço, paga o valor médio de 2.400 reais por uma apólice de um carro popular novo, igualmente em Samambaia, localizada ao lado, neste caso, os homens pagam 3.200 reais e 3.600 reais respectivamente.

Já em regiões com índices mais favoráveis, como o Cruzeiro e Sobradinho, os valores são mais baixos, alcançaram uma média de 1.800 reais a mulheres e acima de 2.000 reais para homens.

O argumento das seguradoras é respaldado em dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública, através de estatísticas utilizadas e publicadas em toda imprensa.

Para este colunista é preciso uma análise mais criteriosa dos aspectos que indicam o aumento de valores nas apólices, pois essas variações de preços podem indicar um aumento de números de sinistros, ai não podemos pensar só pelo lado dos gastos, temos de ver a receita gerada e pondera-la.

Por regulação da ( SUSEP ) Superintendência De Seguros Privados, todo contrato deve ser englobado os desastres naturais, como também incêndios e alagamentos.

Nestes casos porem, a seguradora deve fazer perícia para comprovar se não houve imprudência ou ações deliberadas do condutor do veículo que facilitassem o sinistro.

Os proprietários de apólices de seguros de veículos que se sentirem desconfortáveis, deverão procurar seus direitos na OAB do Brasil ou até mesmo o PROCON e diretamente a Justiça se comprovados seus direitos lesados.

 

Certificado de transportes de cargas de resíduos coletados na construção civil do DF serão cobrados a partir de 2 de abril

Está valendo para a partir de 2 de abril, a obrigatoriedade do certificado de transportes de cargas de resíduos coletados na construção civil no DF.

Este certificado será exigido para todas as empresas coletoras de resíduos da construção civil, mas o GDF ainda vai resolver se o valor a ser pago para dispor o material na unidade de recolhimento de entulhos será por toneladas ou por volumes unitários de cada caçamba.

Segundo determinação, os veículos de transportes deste tipo de cargas que não apresentarem esta certificação e o respectivo cadastro no serviço de limpeza urbana do DF, será aprendido e levado ao pátio do órgão competente.

O SLU já ofereceu um treinamento a todos os prestadores deste tipo de serviço, e orientou sobre como fazer a certificação e identificação das caçambas de coletas.

Em 3 de abril próximo, dia em que acontecera a reunião de Audiência Pública, sobre manejo de resíduos, as 9 horas no auditório da agencia reguladora de águas, energia e saneamento básico do DF ( ADASA ) , também será definido se a cobrança virar por tonelagem ou por volume de cada unidade de contêiner, esse valor será para o ressarcimento das despesas operacionais e administrativas dos serviços prestados pelo SLU.

Com certeza será um avanço na MOBILIDADE URBANA, mas a fiscalização terá de funcionar efetivamente.

 

Detran-DF em greve leva GDF a buscar soluções alternativas

Servidores e agentes de transito do DETRAN DF entraram em greve na última terça (13), apesar de decisão judicial de que seriam obrigatórios pelo menos 80% do efetivo se apresentarem aos seus postos de serviços.

Foi estipulado uma multa no valor de 300 mil reais por dia para o sindicato correlato pelo descumprimento se vier a acontecer.

Como alternativas, os interessados na prestação dos serviços ofertados pelo DETRAN DF, deverão procurar as dependências do NA HORA em suas regiões administrativas para terem acesso aos serviços e não sofrerem consequências.  Além da ausência do órgão nas vias públicas e estacionamentos regulamentados.

 

Governo do DF tem de pagar indenização por acidente de transito

A sexta vara da fazenda pública do DF condenou o GDF a pagar indenização de 50 mil reais a título de reparo dos danos causados aos pais do jovem que morreu após ter sido atropelado por uma viatura policial, quando se evadia de uma blitz de transito em uma motocicleta.

Segundo os magistrados, o valor de 50 mil reais fixado pela sentença mostra-se adequado por se tratar de uma perseguição que culminou com a morte da vítima.

Sendo assim, a Justiça negou provimento ao recurso impetrado pelo GDF por entender que o modo como se deu a perseguição de um veículo policial contra uma motocicleta, é injustificável, apesar da ausência de CNH da vítima, haja vista a desproporção entre o resultado da fuga e o resultado da morte, provocada pela conduta dos agentes públicos.

Cuidado com os raros excessos cometidos em serviços.

 

DER “inaugura” farra das multas através de radares por todo DF

Com um milionário custo de contrato o DER-DF continua instalando para multar os condutores, um total de 620 equipamentos e aparelhos para surpreenderem os infratores da Capital da Republica.

Agora é aguardar as notificações em suas residências e após recebe-las prepararem seus respectivos recursos administrativos para apontar os absurdos judicialmente.

A coluna quer saber quem serão os gestores responsabilizados por essa injustificada compra de serviços incompletos e bem caros, e com a devida vênia, como serão penalizados por esse deslize administrativo.

 

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

4 × 2 =

BDF na Rede

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend