Antibióticos atuais estão perdendo a eficácia

Nobel de Química: ‘sem nova geração de medicamentos, pessoas viverão menos’

O Fato – Os microorganismos resistentes são a nova ameaça da humanidade. São o motivo da morte de 33 mil pessoas por ano, apenas na Europa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A notícia – Os números foram revelados pela prêmio Nobel de Química Ada Yonath, em entrevista ao jornal El País. De acordo com a cientista,  em cerca de 40% das mortes, as bactérias letais eram imunes aos antibióticos mais recentes.

Porque isso importa – Yonath afirma que se os laboratórios não abordarem o combate às bactérias de modo diferente do atual, a expectativa de vida voltará aos 50 anos de idade, como foi no passado. Para ela, o caminho é desenvolver antibióticos específicos para cada moléstia. É difícil, pois as bactérias  encontram outra forma de sobreviver. “Os laboratórios não querem sintetizar novos antibióticos, porque são muito caros de fabricar”, afirmou.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

catorze − três =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend