Microsoft proíbe brincadeiras de Primeiro de Abril

É difícil ser original numa situação tão adversa à verdade. Muita gente tomou a decisão da Microsoft como exagero, mas é sinal dos tempos.

Diretor de marketing da Microsoft, Chris Capossela,  por memorando, pediu que funcionários não façam as tradicionais pegadinhas do Dia da Mentira

O Fato – Segundo o site The Verge que obteve o memorando, Capossela foi direto:   “Peço a todas as equipes da Microsoft que não façam nenhuma brincadeira pública no Dia das Mentiras”.

A Notícia – Embora a “celebração” de primeiro de abril seja tradição de muitos povos, na internet, as pegadinhas do Dia da Mentira ganharam força com o Google, que desde 2000 aderiu às brincadeiras do tipo.   A primeira foi a MentalPlex – uma tecnologia que permitiria ao usuários fazer buscas usando apenas a mente. Depois vieram outras, como a bebida fictícia Google Gulp. As outras empresas também aderiram ao movimento. Mas com o tempo as brincadeiras começaram a desagradar parte dos usuários e inclusive a imprensa que gastava tempo checando a veracidade das “informações”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Porque isso é importante –  Em tempo de pós-verdade e de fake news, as brincadeiras do Dia da Mentira se transformaram em mais do mesmo. É difícil ser original numa situação tão adversa à verdade. Muita gente tomou a decisão da Microsoft como exagero, mas é sinal dos tempos. No Brasil, há quem se lembre do erro que levou a Revista Veja a publicar como verdadeira, nos anos 80, a brincadeira de que já era possível fazer o Boimate: uma tecnologia que misturava o pé de tomate com a carne. Foi uma risada geral, para prejuízo de quem leu o trote que a Veja aceitou como real.  Como lembrança o site gizmodo selecionou Nove terríveis pegadinhas de 1º de abril do século XIX

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

três × 2 =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend