Siga o Jornal de Brasília

TechIn

Dono do Facebook quer privacidade como modelo negócio

Publicado

em

Mark Zuckerberg quer focar na privacidade para as redes sociais e pensa em unir a operação do WhatsApp, Instagram,  Messenger e até SMS

O Fato –  No ensaio com o título Uma Visão Focada na Privacidade para as Redes Sociais, Zuckerberg admite que, hoje, não tem “uma reputação forte de construir serviços de proteção de privacidade” e que por isso quer criptografar (codificar) as mensagens e  fazer com que WhatsApp, Instagram e Messenger possam ser operados conjuntamente por meio de nova plataforma.

A Notícia – O Facebook ganhou dinheiro porque descobriu como usar a privacidade no marketing. Seu negócio é “vender” privacidade. De modo que os especialistas vêem com  desconfiança este movimento, apesar dele ter afirmado que não deixará banco de dados disponível para acesso de governos e que reforçará a criptografia das mensagens.  Alguns acreditam que após lucrar com a privacidade de seus usuários, Zuckerberg use o tema como álibi para fechar os dados das suas plataformas a empresas e governos. Outros especulam que ele prepara a nova plataforma para lucrar com  sistema financeiro.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Porque isso importa –  O Facebook é uma empresa que arrecadou mais de US$ 55 bilhões em receita publicitária  no ano passado, com uma margem de lucro de 45%. Isso faz com que seja um dos empreendimentos comerciais mais rentáveis ​​da história. Até hoje, esse modelo de venda e arrecadação não foi aberto. O   Facebook funcionará conjuntamente com a nova “plataforma de compartilhamento privado”: ou seja, compartilhamentos de mensagens para grupos selecionados dos três maiores sistemas de mensagens do mundo. Um oligopólio com certeza.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta