‘Assinem PewDiePie’ falou o atirador da Nova Zelândia após ataque a mesquitas – em referência ao canal campeão de audiência do YouTube

O PewDiePie é o canal do YouTube com o maior número de assinantes do mundo: 89 milhões pessoas seguem o sueco Felix Kjellberg, cujo apelo central é a transmissão online de games de tiros e de incursão militar

O Fato – Uma das maiores celebridades do YouTube foi enredado no noticiário da cobertura do tiroteio em duas mesquitas da Nova Zelândia – que matou 49 pessoas. O atirador identificado como Brenton Tarrant – ao divulgar o ataque – pediu aos que assistiram para “assinar PewDiePie”. Uma referência irônica ao meme “remember lads, subscribe to PewDiePie” que deu fama ao canal.

A notícia – Felix Kjellberg – que hoje mora em Londres  – se apressou a pedir desculpas no twitter pelas piadas antissemitas e sexistas que habitualmente fazem parte da sua narrativa enquanto enfrenta inimigos em games de tiros. “ Eu me sinto absolutamente enojado com o meu nome pronunciado por essa pessoa. Meu coração e pensamentos vão para as vítimas, famílias e todos os afetados por esta tragédia”, tuitou. Seu canal também faz humor e testa games em geral.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Porque isso é importante – O canal PewDiePie transmite disputas militares virtuais  de jogos online com múltiplos participantes simultâneos. Kjellberg, exímio jogador, narra sua participação enquanto transmite a partida para seus seguidores. Não há evidências que games militares tenham influência direta sobre os atiradores da Zona Zelândia e em Suzano, São Paulo, Brasil. Mas é cada vez mais ampla a experiência imaginária, dos jogadores,  de participar de tiroteios e de mortes em massa, ainda que na ficção.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

onze − 5 =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend