Bugatti apresenta La Voiture Noire: o carro mais caro da história

Marca francesa, fundada por um italiano, numa cidade que à época pertencia à Alemanha. A história da Bugatti, que completa 110 anos em 2019, não é para poucos

Para festejar, a empresa aproveitou o Genebra Motor Show, salão internacional do automóvel, e apresentou seus dois mais recentes e exclusivíssimos modelos.

O Chiron Sport ‘110 Ans Bugatti’, com apenas 20 unidades produzidas, que custa 3 milhões de euros, e o La Voiture Noire (O Carro Negro). Apenas uma unidade fabricada. E já vendida. Por 11 milhões de euros. O carro mais caro da história.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


No Motor Show, de acordo com a Bloomberg, se especulava que o comprador seria Ferdinand Piech, neto de Ferdinand Porsche e ex-diretor executivo da Volkswagen. A Bugatti pertence desde 1998 ao grupo alemão.

Mistério

No mundo do automóvel, o modelo é emblemático. Nos anos 30, houve uma série incrivelmente limitada de quatro veículos coupés Tipo 57 SC Atlantic, projetados por Jean Bugatti, filho mais velho do criador da marca, o italiano Ettore Bugatti. Jean dirigiu um deles. O preto. E o chamou de “La Voiture Noire”. O veículo desapareceu sem deixar vestígios antes da Segunda Guerra Mundial e hoje é considerado um dos grandes mistérios da história do mundo do automóvel.

“La Voiture Noire é mais do que apenas uma reminiscência do Atlantic. Estamos prestando homenagem a uma longa tradição e ao trabalho criativo de Jean Bugatti”, diz o CEO da Bugatti, Stephan Winkelmann.

“Ao mesmo tempo, estamos transferindo tecnologia extraordinária, estética e luxo extremo para uma nova era. Trata-se de uma coleção de superlativos.”

Com La Voiture Noire, a marca se superou. E pretende superar todos os demais concorrentes do mercado de veículos superpremium. O carro de duas portas tem carroçaria esculpida com fibra de carbono. Feito a mão, é equipado com motor de 8 litros e 16 cilindros. Criado de acordo com a máxima “elegância através do minimalismo e refinamento através da intensificação”.

Incomparável

Para o diretor de design da empresa, Achim Anscheidt, “os clientes da Bugatti apreciam a especialização da marca em produzir carros com as especificações exatas”. O La Voiture Noire tem seis saídas de escape – nada muito sutis. Elas são tanto uma referência aos cinco escapamentos do modelo Atlantic que o inspirou, quanto “para mostrar claramente que este não é um carro elétrico”, diz Anscheidt. Um modelo pensado para ser único. Concebido totalmente sob o lema do fundador, Ettore Bugatti: “Se for comparável, não será mais Bugatti”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

5 × cinco =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend