Papa: ‘Sexo não é monstro’

O papa Francisco disse hoje (28) que o sexo não é um “monstro” e que é preciso ter aulas de educação sexual nas escolas

A declaração foi dada a jornalistas durante o voo que o levou de volta à Itália após uma viagem de cinco dias ao Panamá, onde presidiu a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2019.

“Nas escolas, é preciso oferecer educação sexual. O sexo é um dom de Deus, não um monstro. É um dom de Deus para amar”, disse Francisco, ressaltando, porém, que a orientação deveria ser “livre de colonização ideológica”, pois já viu “alguns livros sujos”. “Mas tem que oferecer uma educação sexual objetiva, sem colonização ideológica. Se começam a dar uma educação sexual plena de colonização ideológica, destroem a pessoa”, comentou.

Segundo Francisco, a orientação sexual “deveria ajudar a emergir o melhor das pessoas”.

“O problema é o sistema: quais professores escolher para essa função e quais livros. Já vi alguns livros sujos. Há coisas que maturam e há coisas que danificam”, disse.

“O ideal é que a educação sexual comece nas famílias, mas isso nem sempre é possível porque há muitas situações diferentes nas famílias. A escola supriria isso, porém, de qualquer maneira, fica um vácuo que acaba sendo preenchido por qualquer ideologia”, alertou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Na mesma entrevista, o argentino Jorge Mario Bergoglio também disse ser contrário à ideia de permitir que o celibato seja opcional aos sacerdotes católicos. “Eu não farei isso. Sou fechado? Talvez. Mas não penso em me colocar diante de Deus com essa decisão”, comentou. Mas ele deu abertura para que o celibato seja opcional em áreas e países onde há falta de sacerdote. “Existe certa possibilidade onde há o problema pastoral por falta de sacerdote, como ilhas do Pacífico, mas os teólogos devem estudar a questão”, afirmou.

(ANSA)

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

5 × 5 =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend