A complexidade felina

A complexidade felina

Se você nunca se deu ao direito de conviver com um felino, é sempre hora de ser mais flexível, de rever sua posição e adotar um gato urgentemente e, com certeza, ser mais feliz

A maioria dos descontentamentos felinos se manifesta de diversas formas, muitas vezes apresentando sinais que não percebemos em um primeiro momento como: discreto emagrecimento, queda de pelo e mudança de interesses.

O gato normalmente deixa claro suas preferências, ciúmes e desejos. Porém, às vezes, sua insatisfação é anunciada em pequenos gestos que não ficam claros no início. Outras vezes a comunicação é mais direta e imediata, levando o gato a sinalizar com fezes e/ou urina fora da caixa de areia. Não adianta puni-lo! Jamais!

Tente fazer uma retrospectiva para entender os possíveis motivos dos protestos e procure ajuda para lidar com o problema. A complexidade felina deve estar sempre em pauta quando amamos estes seres, muitas vezes tão incompreendidos!

A história da humanidade lamentavelmente já crucificou o gato, já o condenou, já o reduziu a interesseiro, traidor, que traz má sorte etc… Hoje, felizmente, o felino cresce entre nós e vem ocupando cada vez mais seu espaço, merecidamente. Por isso, precisa ser melhor compreendido. Seus anseios, expectativas, afeto, independência, mexem com o ser humano  e são mal interpretados, por isso são tratados injustamente.

Passar pela vida e poder compartilhar seu dia a dia com um felino, além de ser uma honra, é um grande aprendizado. O gato ama  incondicionalmente o dono, sente sua falta, sofre com isso e é chamado de “independente”, como se fosse ruim conseguir ser independente nos afetos e no amor!

A independência felina é um avanço da espécie que incomoda a quem não conhece os gatos de fato. Ser independente não significa ser alheio, frio e amar menos. Apenas a grandeza felina demonstra o que gostaríamos de fazer na nossa rotina e, por normas de relacionamento e convivência, não fazemos. Os relacionamentos humanos, se fossem pautados um pouco no comportamento felino, certamente seriam mais felizes e teriam uma convivência mais saudável com seus parceiros.

Apenas precisamos olhar para o gato com uma lente diferente e observar que, quando ele manifesta um não, é porque, naquele momento, está mais feliz onde está e não gostaria de sair, nem que fosse para o colo do seu dono. Em nenhum momento isto deve ser interpretado como falta de amor ou abandono, e sim apenas como um desejo que precisamos respeitar.

O gato não disfarça, não se submete e continua amando incondicionalmente. O gato é esse ser que deixa tantos intrigados…

Sua autoestima é demonstrada na sua rotina diária. Cuidando do pelo para se manter limpo, se alongando, fazendo a sua higiene após cada refeição, tomando banho de sol, afiando suas unhas etc. A autoestima felina é inerente a sua espécie.

Algumas vezes, ouço relatos de clientes de que seu  gato o segue como um cão. Precisamos saber que o gato segue o dono, na maioria das vezes, assim que ele chega em casa, sendo este um comportamento natural do gato. Ele adora cheirar os objetos, os sapatos e tudo de novo que chegar a sua casa. Precisa saber por onde você andou e faz isso olfativamente.

O gato sabe fazer companhia como ninguém. É fiel companheiro e adora estar por perto.

Certa vez, ouvi de uma amiga que deveria dividir sua dissertação de mestrado com sua gata, pois ela esteve presente, a seu lado, a cada página redigida. Ela se acomodava em cima do computador, durante todo o tempo de digitação, discretamente, silenciosamente, às vezes louca para dormir, mas sua amizade e lealdade não a permitiam. Sua presença era fundamental para a conclusão dessa tarefa. Tenham certeza de que ela sabia disso mais do que ninguém…

Um gato é um ser complexo, maravilhoso, fiel escudeiro, que tem muito a dizer a cada estágio de sua existência. Sua vida muitas vezes é curta, mas o aprendizado é profundo e vamos levar para sempre seus ensinamentos.

Só quem conhece e convive com ele, na intimidade, pode compartilhar essa experiência tão rica em detalhes. Se você nunca se deu ao direito de conviver com um felino, é sempre hora de ser mais flexível, de rever sua posição e adotar um gato urgentemente e, com certeza, ser mais feliz.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

um + 20 =

Siga o BDF na rede

Mais lidas

PUBLICIDADE
Send this to a friend