Você se conhece internamente?

Muitas vezes escutamos algumas pessoas falarem: “poxa, estagnei e não consigo ter mais resultados!” Ou: “por mais que eu faça dieta e treino, não consigo ganhar massa nem perder gordura abdominal!”

Em um Bate Papo Wooooow com a Doutora em Ciência da Saúde e Mestre em Nutrição Humana, Dra. Priscilla Marcondelli, consegui informações para esclarecer alguns pontos bem relevantes que farão você repensar se realmente conhece seu organismo.

Segundo a Dra. Priscilla, o seu DNA fala mais sobre a sua alimentação do que você imagina.

“Entender o seu código genético é essencial para compreender o funcionamento do seu metabolismo e, com isso, descobrir as melhores escolhas alimentares para a saúde e estética. O importante da Dieta do DNA é o fato de ser totalmente personalizada, pois é baseada no mapeamento genético de cada paciente…”

Além de indicar a capacidade de seu organismo em metabolizar carboidratos, gorduras e proteínas, a partir dos resultados do mapeamento é possível verificar a predisposição genética ao desenvolvimento de intolerâncias e sensibilidades alimentares, como à frutose, lactose, glúten, álcool, cafeína, níquel e sódio. Dra. Priscilla explica que, dependendo do estilo de vida, normalmente não é necessária a exclusão de nenhum alimento da rotina alimentar; apenas uma adequação de quantidades e de frequência de consumo são suficientes para evitar que a intolerância ou alergia se expresse. Ela acrescenta que “disfunções metabólicas desses elementos podem ocasionar distúrbios de difícil diagnóstico, o que faz dos exames genéticos um dos principais aliados da medicina preventiva”.

Como você metaboliza os micronutrientes (vitaminas e minerais) também aparece nos testes. Assim, dependendo dos resultados, as pessoas que utilizam suplementação vitamínica tradicional, como as que são vendidas em farmácia (multivitamínicos), podem errar no tipo e na dosagem de vitaminas e minerais, o que pode ocasionar deficiências ou excessos prejudiciais ao organismo.

Além disso, por meio do mapeamento genético, é possível identificar sua capacidade de antioxidação e destoxificação, que são responsáveis por combater os radicais livres e eliminar toxinas. O comprometimento desse mecanismo aumenta o risco de manifestação de várias doenças crônico-degenerativas, por isso é importante saber escolher alimentos e suplementos específicos, de maneira a silenciar esses genes.

Em suma, a genética, por si, não determina destinos. A busca por melhor saúde e qualidade de vida deve levar em consideração as particularidades genéticas de cada indivíduo, seus objetivos, estilos de vida e influências ambientais, o que agora se tornou facilitado devido ao avanço das ciências da Nutrigenética e Nutrigenômica.

A Dra.Priscilla deixa uma dica para vocês:

Dra.Priscilla Marcondelli

Conhecer-se internamente por meio de um mapeamento genético e utilizar os resultados de maneira correta permite que novos hábitos alimentares sejam incorporados sem grandes sacrifícios ao seu dia a dia. Isso, associado a um treinamento físico adequado, é sucesso garantido para uma melhor qualidade de vida e para a conquista do seu corpo dos sonhos!!!

Dra.Priscilla Marcondelli
Nutricionista CRN/1  1746
Doutora em Ciências da Saúde
Mestre em Nutrição Humana
Especialista em Fisiologia do exercício
Especialista em Medicina Ortomolecular
Contato – Clinica Nutrivitta: 3364 1639

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

19 − 2 =

Send this to a friend