Cultura em Brasília: A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte

Teatro Nacional

Muitos não sabem mais hoje, 27 de março de 2019 se completa 30 anos do falecimento do maestro Cláudio Santoro

Se vivo estivesse, o maestro Claudio Santoro não estaria nada satisfeito com os rumos do segmento cultural público em Brasília.

Coincidência ou não, no dia do aniversário de sua morte, cerca de 150 pessoas fizeram uma manifestação pacifica em frente ao Palácio do Buriti, pedindo ao governo do emedebista Ibaneis Rocha mais atenção e respeito a Cultura no Distrito Federal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Professor fundador do Departamento de Música da Universidade de Brasília e fundador da Orquestra do Teatro Nacional de Brasília, da qual foi regente até a sua morte em março de 1989, o maestro Claudio Santoro é sinônimo de cultura e abnegação neste segmento em Brasília, o mesmo não podemos dizer das autoridades que entra governo e sai governo deixa o teatro que leva o seu nome no mais completo abandono. 

O Teatro Nacional Claudio Santoro se assemelha a um filme de horror. Tem como cartão de visitas rampas quebradas, mofo, vigas rachadas, infiltrações, cheiro forte de urina e fezes humanas ao longo da área externa.

O total descaso com o prédio concebido pelo arquiteto Oscar Niemeyer, com projeto estrutural do engenheiro Joaquim Cardozo, é percebido de longe: há usuários de drogas ao redor e quem passa à noite pelas calçadas teme pela própria segurança.

Neste dia dedicado a memória de Claudio Santoro vai um recado direto para as autoridades, com a permissão de verdadeiros Titãs que sempre lutaram pela Cultura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

A gente não quer só comida
A gente quer comida
Diversão e arte
A gente não quer só comida
A gente quer saída
Para qualquer parte

A maior ironia é que embelezando a parede do gabinete do governador Ibaneis Rocha está justamente uma obra que retrata através da fotografia, alias com muita semelhança, os cubos criados por Athos Bulcão para o Teatro Nacional Claudio Santoro, os painéis que compõem a obra O sol faz a festa são cobertos por 3.391 cubos — 1.693 na lateral sul e 1.698 na lateral norte — de cinco tamanhos diferentes. 

É importante lembrar que neste ano se iniciam as comemorações do centenário de Claudio Santoro (23/11/1919).

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

20 − doze =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend