Siga o Jornal de Brasília

Bastidores de Fato

Farinha pouca meu pirão primeiro

Avatar

Publicado

em

Desde o início da Operação Lava Jato, Lúcio Bolonha Funaro jurava de pé junto que não tinha nada que desabonasse sua conduta e que passava longe da operação. Agora atrás das grandes e abandonado, o operador vê seu braço direito, Alexandre Margotto, entregar de bandeja a Justiça, o ex-ministro Geddel Vieira Lima.

Corre a boca miúda do Congresso Nacional que Funaro vai correr contra o tempo para adquirir o benefício jurídico da delação premiada, antes que Margotto conte todo esquema. Afinal, com o passar das horas, as informações de Funaro tendem a ficar sem eco e força para negociar uma delação com o Ministério Público Federal.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *