HomeBrasíliaVice-governador não descarta fechamento total por conta da ômicron

Vice-governador não descarta fechamento total por conta da ômicron

Mesmo sem nenhuma indicação de que tudo voltará a fechar, o crescimento do número de novos casos da variante liga o sinal de alerta

Vice-governador não descarta fechamento total por conta da ômicron

Elisa Costa e Marcus Eduardo Pereira

Com o Carnaval do Distrito Federal cancelado nesta sexta-feira (7), o Vice-governador do DF, Paco Britto, afirmou que, apesar de não ter nenhuma indicação de que tudo voltará a fechar, o crescimento do número de novos casos da variante ômicron não descarta completamente o fechamento de comércios, entre outros. “Esperamos que não haja essa necessidade. Fomos os primeiros a fechar e também os primeiros a flexibilizar. Se for necessário, serão tomadas todas as ações para prevenir a vida no DF”, afirmou.

A declaração foi dada durante solenidade que registrou a dose de número um milhão aplicada na população de Taguatinga, realizada na Unidade Básica de Saúde 5 da região. O secretário adjunto de assistência à Saúde Fernando Erick Damasceno também esteve no local.

Paco Britto ainda comentou sobre o plano de vacinação das crianças de 5 a 11 anos, que deve começar no dia 14 de janeiro. “Vamos nos reunir dia 10 para montarmos um plano de distribuição e aplicação dessas vacinas nos jovens. Pretendemos montar essas equipes o mais rápido possível. Se pudéssemos, faríamos no mesmo dia”, acrescentou.

Vacinada número um milhão

Maria de Fátima Araújo, 53 anos foi quem tomou a dose de número um milhão. A senhora, que já havia tomado as duas doses, aplicou o reforço da Pfizer. “Quanto mais vacinas tiver, mais rápido acabamos com essa pandemia. Se precisar de mil vacinas, eu tomo todas. Me senti muito importante”, comentou Maria.

O secretário Fernando Damasceno destacou a importância do número atingido pelo DF. “A alta cobertura de vacinação é o que está evitando as internações, o aumento da taxa de óbitos e conseguir isso em uma região que é do tamanho de um município significa um processo de trabalho gigante. É motivo de comemoração e orgulho”.

Foto: Elisa Costa

Aumento de casos preocupante

Nesta quinta (06), o Distrito Federal bateu a maior Taxa de Transmissão (Rt) desde o início da pandemia de covid-19. Atualmente, o índice está em 1,47, o que significa que 100 pessoas podem contaminar outras 147.

Até então, a maior taxa havia sido em 1,38, durante o pior período da pandemia. Vale lembrar que, acima de 1, esse número indica que a pandemia está avançando na capital.

Além do índice, também aumentou de acordo com a análises dos boletins anteriores, sendo registrados 1.451 novos casos em 24h. Desde o início da pandemia, 523.351 pessoas já foram infectadas na capital, sendo que 97% (507.822) deste número estão recuperados. Do total de casos, 11.116 (2,1%) faleceram em decorrência de complicações causadas pelo vírus.

Vacinação contra a Influenza

A vacinação contra o vírus influenza está limitada em alguns pontos devido ao fim das doses da Campanha contra a Influenza 2021. A Secretaria de Saúde reforça que os imunizantes existentes nas unidades básicas de saúde estão disponíveis à população desde o mês de abril do ano passado.

Rede Central de Frio recebeu 4 mil doses de vacinas doadas por convênio firmado entre o Instituto Butantan e a Caixa de Assistência dos Advogados do DF (CAADF, braço assistencial da OAB-DF) e providencia a distribuição para as regiões de saúde que estão sem o imunizante ou com estoque próximo do fim. São elas: Central, Centro-Sul, Leste, Oeste, Norte e Sudoeste. Após a utilização completa dessas vacinas, não haverá reposição nas unidades.

Novas vacinas contra a influenza só serão recebidas a partir do lançamento da campanha de 2022 contra essa síndrome gripal, como ocorre todos os anos entre o final de março e início de abril. O envio dessas novas doses e a definição do período de início da campanha são definidos pelo Ministério da Saúde.

Send this to a friend