HomeBrasíliaDF registra 118 mortes envolvendo acidentes de trânsito em rodovias

DF registra 118 mortes envolvendo acidentes de trânsito em rodovias

Uma pesquisa do Painel de Acidentes Rodoviários da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada na última segunda-feira, constatou que o Distrito Federal contabiliza cinco vezes mais acidentes a cada 100 quilômetros que a média nacional. Os dados, que são de 2020, mostram que, na capital, […]

DF registra 118 mortes envolvendo acidentes de trânsito em rodovias

Uma pesquisa do Painel de Acidentes Rodoviários da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada na última segunda-feira, constatou que o Distrito Federal contabiliza cinco vezes mais acidentes a cada 100 quilômetros que a média nacional. Os dados, que são de 2020, mostram que, na capital, o índice registrado foi de 405 casos.

Em todo o país, esse número ficou em 81. “Ainda há necessidade da mudança de mentalidade de condutores e pedestres”, afirma Pamela Vieira, chefe da comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no DF.

No período analisado, a PRF do DF relata terem ocorrido 118 mortes nas rodovias federais que cortam a capital. O número, no entanto, é 23, 32% menor que em 2019, quando ocorreram 158 óbitos. Conforme destaca Pamela, para que esse número continue diminuindo, é necessário a junção de diversos fatores.

“Dentre eles, educação para o trânsito, engenharia de trânsito e de veículo, mudança de cultura dos cidadãos, esforço legal, leis rígidas, fiscalização”, ressalta.

Como informa a porta-voz da Polícia Rodoviária Federal, dentro do DF, a BR 070 corresponde ao único ponto crítico entre os 100 maiores do país. “A PRF tem feito o seu papel. Foi feita a reversão da BR 070, que diminuiu em 65% os acidentes na região e praticamente zerou o trânsito pelo acostamento”, destaca Pamela.

Além da medida, ela revela que também foram realizadas edições de operações específicas de combate à embriaguez e que, em relação à 2019, foram multados 30% a mais de condutores. “Fizemos diversas operações integradas com outros órgãos de trânsito, a exemplo da Operação Força Conjunta. Fizemos operações específicas para aumentar o respeito aos ciclistas e motociclistas. Neste mês de fevereiro, nosso foco serão os pedestres”, completa.

A título de exemplo, o doutor em trânsito da Estácio Brasília, Arthur Moraes, relembra uma melhoria feita em uma das rodovias da capital que ocasionou em uma redução significativa de acidentes. Para o professor, o que define uma localidade como perigoso ou não, é a infraestrutura e a fiscalização dela. “Um exemplo aqui em Brasília é a pista que leva até Goiânia. Antes da duplicação, a quantidade de acidentes que aconteciam eram bem maiores. No entanto, com a melhora da infraestrutura, melhorou-se a segurança”, expõe.

Send this to a friend