Música andina de qualidade na Caixa Cultural

Música andina de qualidade na Caixa Cultural

O charango não é propriamente um instrumento desconhecido do público brasileiro. Lembra um cavaquinho, mas possui características próprias, como o fato de ser tradicionalmente construído com casca de tatu. E está presente na maioria dos grupos latino-americanos. Recitais solo de charango no Brasil, contudo, são muito raros. Por isso o concerto do peruano Federico Tarazona dentro da Série Solo Música, no dia 1º de novembro, na Caixa Cultural Brasília, será muito especial. A ideia é aproximar o público da música latino-americana e, ao mesmo tempo, será uma porta de entrada no universo do charango com um dos seus principais mestres.

“Federico Tarazona é um músico visionário e revolucionou o instrumento com a criação do ‘hatun charango’, desenhado por ele e construído por Fernando Luna, e que possui duas cordas a mais que o tradicional, sendo seis simples e uma dupla. Isso fez a sua música se aproximar do violão e atingir a um patamar musical elevado”, diz Alvaro Collaço, produtor e curador da Série Solo Música. Ele conheceu o trabalho de Tarazona ao comprar um CD do músico. “Sua vinda tornou-se uma ideia com a audição do CD ‘Ayacucharango’, no qual traz para o charango a música de Raul Garcia Zárate. Um disco belíssimo e que é base dos seus recitais”, diz.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Tarazona, além de exímio instrumentista, é luthier de violões e charango, um nome de referência no instrumento e na cultura andina. O recital faz parte também de uma filosofia da Série Solo Música de sempre abrir espaço para artistas latino-americanos, que raramente têm a possibilidade de tocarem no Brasil, apesar de estarem no mesmo continente.

Músico de referência

Um dos mais virtuosos músicos de charango da atualidade, além de violonista, compositor e luthier, Tarazona nasceu em Huaraz (Peru) e estudou violão clássico e composição no Conservatório Nacional de Música de Lima, trabalhando em paralelo como professor na Escola Nacional de Folclore José María Arguedas. Em 1995, ganhou o Prêmio Nacional de Composição CNM de Lima e, em 1997, o prêmio “Southern Peru”. Especializou-se em composição na Rússia, no Conservatório de São Petersburgo. Depois, estudou composição e violão clássico no Instituto Superior de Música de Friburgo, na Alemanha, composição eletroacústica no Conservatório de Bordéus (França) e tornou-se mestre em composição pela Universidade de Laval, em Quebéc (Canadá), onde hoje leciona. Como compositor, ganhou em 2012 os prêmios “Casa de las Américas”, em Havana e, em 2014, foi menção honrosa na primeira edição do Ibermusicas, concurso realizado em Buenos Aires de composição para orquestra sinfônica. Como intérprete, ganhou em 2011 a competição de Productions D´Oz, em Quebéc.

Tarazona escreveu o livro “La Escuela Moderna del Charango” e lançou os CDs “Poemas de luz” (2006), “Ayacucharango- Homenaje a Raúl Garcia Zárate” (2008) e “Nueva sangre: sonidos del Ande Peruano”, em 2012. Por integrar instrumentos e elementos da cultura andina em seu trabalho, recebeu em 2008 a Medalha da Educação do Peru pela promoção da arte e cultura do país.

A apresentação de Federico Tarazona, na Série Solo Música, em 1º de novembro, às 20h, tem patrocínio da CAIXA e Governo Federal e é uma realização de Alvaro Collaço Produções com produção local de Tatiana Carvalhedo Produções. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) podem ser adquiridos a partir do sábado anterior à data do evento, na bilheteria do Teatro da CAIXA, na CAIXA Cultural Brasília. A bilheteria abre de terça a sexta-feira e domingo, das 13h às 21h; sábado, das 9h às 21h. Informações: 3206-6456 (bilheteria). Classificação indicativa: 12 anos.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

BDF na Rede

         

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Dezembro, 2017

Filtrar eventos

16dez(dez 16)22:0017(dez 17)22:00Festa das Patroas Brasília com Maiara & Maraisa e Marilia Mendonça

X

Send this to a friend