Obama se apoia no setor privado para dar ‘grande salto’ a Marte

O objetivo final é “um dia” poder – alega Obama – permanecer no Planeta Vermelho “por muito tempo”.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reafirmou nesta terça-feira (11) sua vontade de buscar uma estreita colaboração com o setor privado para dar “um grande salto” a Marte, enviando astronautas ao Planeta Vermelho.

“Estabelecemos um objetivo claro para o próximo capítulo da História dos Estados Unidos no espaço: enviar humanos a Marte na década de 2030 e trazê-los de volta à Terra sãos e salvos”, disse Obama, em uma coluna de opinião publicada na página da CNN.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O presidente americano anuncia uma colaboração com a indústria privada para construir novas naves, as quais possam acolher e transportar astronautas “em missões de longa duração no distante espaço”.

“Essas missões nos permitirão entender como os seres humanos podem viver longe da Terra, de quais coisas necessitaríamos para a longa viagem a Marte”, acrescentou.

A Casa Branca informou que seis companhias, entre elas Boeing e Lockheed Martin, foram selecionadas no início do ano para construir protótipos de módulos de habitação além dos arredores próximos à Terra, onde orbita a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

As empresas vão receber US$ 65 milhões nos próximos dois anos.

Esses espaços habitáveis poderão ser construídos sobre um planeta, como Marte, ou poderão ser usadas as naves que levarão os astronautas em longos périplos espaciais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

O título da coluna de opinião de Obama, “Estados Unidos darão um grande salto a Marte”, é uma clara alusão à mítica frase pronunciada em 21 de julho de 1969 por Neil Armstrong, ao chegar à Lua: “Um pequeno passo para o Homem, mas um grande salto para a humanidade”.

Destreza técnica

“Mas o primeiro pequeno passo acontece quando nossos estudantes, a geração Marte, vão às aulas todos os dias”, escreve Obama.

Especialistas consultados pela AFP concordam: chegar ao Planeta Vermelho, que se encontra a 225 milhões de quilômetros da Terra, e viver lá exigirá uma verdadeira proeza técnica e um gigantesco orçamento.

No final de setembro, o fundador da firma SpaceX, o multimilionário Elon Musk, apresentou seu projeto para estabelecer uma “cidade” em Marte, enviando humanos a bordo de grandes aeronaves equipadas com cabines, a um preço de US$ 100 mil por pessoa.

Musk disse estar “otimista” sobre a possibilidade de enviar a primeira missão tripulada em 2024, chegando a seu destino em março do ano seguinte.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A SpaceX não é a única companhia que sonha com enviar seres humanos a Marte. A Blue Origin, fundada pelo diretor da Amazon, Jeff Bezos, acaba de revelar seus planos para construir um enorme foguete chamado New Glenn. Segundo ele, porém, chegar a Marte pode levar várias décadas.

O segundo elemento do plano divulgado hoje por Obama é estimular as empresas privadas a usar a ISS, que orbita a Terra a 400 km de altitude.

A recente instalação de um novo atracadouro na ISS permitirá que mais naves privadas possam aderir à plataforma orbital. Depois de encerradas as missões atuais, em 2020, essa infraestrutura poderá servir de base para que as empresas privadas construam outras estações espaciais.

Desde o início de seu governo, Obama promove projetos que buscam enviar humanos a Marte. Enfrentou a oposição republicana em seu primeiro mandato, ao cancelar um programa da Nasa para voltar a enviar homens à Lua para se concentrar em viagens mais distantes.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

5 + doze =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend