Jovem que foi picado por sua Naja de estimação acorda de coma

O estudante de veterinária estava internado no Hospital Maria Auxiliadora, no Gama, e é suspeito de criar pelo menos 16 cobras exóticas

O estudante dono da Naja kaouthia, Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, de 22 anos, acordou de coma induzido após os médicos retirarem seu suporte ventilatório nesta quinta-feira (9). 

Ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Maria Auxiliadora, no Gama e estável. Mesmo um pouco melhor, os médicos explicaram que só poderão avaliar seu estado de saúde depois de 48 horas após ele ter acordado.

Pedro foi picado por uma naja que pertencia ao estudante. O veneno da cobra é extreamente forte e pode matar um ser humano em uma hora. 

Por conta disso a família de Pedro encomendou um soro antiofídico específico que deve chegar dos Estados Unidos nas próximas horas, contudo, os médicos avaliam que provavelmente o uso do soro não será necessária. O Soro é raro no Brasil já que a cobra não é comum na região. 

Pedro é morador do Guará e criava a Naja como animal de estimação. Ele é  estudante de veterinária e foi picado na última terça-feira (7/7), desde então estava em coma. 

Depois de morder Pedro, a naja ficou desaparecida por quase 24 horas. Ela foi localizada no começo da noite de ontem, por volta de 19h, no Setor de Clubes de Brasília, próxima a um shopping center, após o testemunho de diversas pessoas. Ela estava dentro de uma caixa e escondida atrás de um morro de areia.

A suspeita é de que um amigo de Pedro, que já foi identificado pela polícia (mas teve sua identidade preservada), a teria deixado lá. Ainda de acordo com o BPMA, tudo indica que ele foi até o local onde as demais cobras foram encontradas hoje, retirou a naja e deixou as demais lá escondidas. Ele vai ser intimado para prestar esclarecimentos.

A naja tem cerca de um metro e meio de comprimento e foi encontrada em boas condições. Ela foi encaminhada ao Ibama e depois ao Zoológico de Brasília, onde deve permanecer até decisão da Justiça.

Suspeita 

Nesta quinta-feira (9), o Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) do Distrito Federal encontrou 16 cobras exóticas que estavam escondidas no núcleo rural Taquara, no Distrito Federal.

A apreensão foi feita após uma denúncia anônima e a suspeita é de que todas elas pertençam ao estudante de veterinária. 

Os animais foram levados para a delegacia do Gama e, de lá, serão encaminhadas para o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) para que seja realizada a identificação das espécies.

“Com muito trabalho de nossas equipes, logramos êxito em encontrar essa localidade e verificamos escondido dentro de uma baia de cavalos a presença de 16 animais, cada um numa caixa”, disse o Major Elias Costa. “Várias espécies não são nativas da nossa fauna brasileira e isso nos preocupa porque estamos vendo que de alguma forma está havendo algum tipo de contrabando desses animais.”

Tags

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

dois × 2 =

Mais lidas

Send this to a friend