Comitiva europeia visita unidades de atendimento à população de rua do DF

Ação faz parte de seminário que trouxe debates e intercâmbio de experiências entre gestores públicos e sociedade civil

Um grupo de cerca de 30 pessoas de diversos países esteve, nesta terça-feira (10), no Centro POP de Taguatinga, na Unidade de Acolhimento para Idosos (Unai) e no Restaurante Comunitário de Ceilândia. O objetivo da visita foi conhecer como funciona a política brasileira de atendimento à população em situação de rua.

A comitiva é formada por integrantes do Projeto Red Calle, da União Europeia, que promove debates e o intercâmbio de experiências entre gestores públicos e a sociedade civil sobre o tema. Neste início de semana, eles participam do Seminário Internacional: Políticas Públicas para População em Situação de Rua e Migrantes, em Brasília, promovido pelo Ministério da Cidadania.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Para o coordenador do tema no Paraguai e representante da Red Calle, Jorge Amarilla, a experiência local de acolhimento é um dos temas que mais tem chamado a atenção das comitivas estrangeiras. “O Brasil representa, em relação a América Latina, uma experiência muito boa. Esperamos entender a forma de abordagem e as políticas públicas que tem o Brasil, de maneira a fortalecer a rede latino-americana, além de conhecer seus desafios”, explicou.

| Foto: Marcos Soares / Sedes

A subsecretária de Assistência Social do DF, Daniella Jinking, ficou encarregada de explicar o funcionamento das unidades de acolhimento. Já a subsecretária de Segurança Alimentar e Nutricional, Luciana Carvalho Dias, destacou a preocupação do Governo do Distrito Federal com a garantia de uma alimentação acessível e saudável à população de rua e de baixa renda.

Dados do Cadastro Único para Programas Sociais mostram que o Brasil tem cerca de 137 mil pessoas em situação de rua que recebem benefícios do governo federal.

Centro POP

A unidade pode ser acessada de forma espontânea pela pessoa em situação de rua, a qualquer momento. Quem for encaminhado pelo Serviço Especializado em Abordagem Social, ou por outros serviços da assistência social, política pública e órgãos do Sistema Judiciário também tem direito aos serviços oferecidos pelo governo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

São contemplados jovens, adultos, idosos e famílias que utilizam as ruas como espaço de moradia e sobrevivência. Contudo, crianças e adolescentes podem ser atendidos somente quando estiverem acompanhados de familiar ou pessoa responsável.

Com informações da Agência Brasília

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

14 − oito =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend