Sampaoli dá aula de estratégia e bate o Corinthians

Com um futebol agressivo, rápido e cheio de alternativas ofensivas, o Galo provou que mais do que vencer o poderoso Flamengo, no Maracanã, na primeira rodada, tem totais condições de quebrar o jejum na competição, que já dura 49 anos

O Corinthians repetiu o pobre futebol apresentado nas finais do Campeonato Paulista, nesta quarta-feira, no Mineirão, diante do Atlético-MG, em sua estreia do Campeonato Brasileiro, e a derrota, de virada, por 3 a 2, mostrou que as demais 37 rodadas a serem disputadas deverão ser preocupantes para o vice-campeão paulista.

Já o Atlético-MG, do técnico argentino Jorge Sampaoli, com um futebol agressivo, rápido e cheio de alternativas ofensivas, provou que mais do que vencer o poderoso Flamengo, no Maracanã, na primeira rodada, tem totais condições de quebrar o jejum na competição, que já dura 49 anos.

O início do primeiro tempo foi marcado pela grande pressão do Atlético-MG, que conseguiu construir três boas oportunidades para marcar. A movimentação do time do técnico Jorge Sampaoli foi muito rápida e constante.

Mas bastou uma falha da zaga atleticana para o Corinthians abrir o placar. Aos 11 minutos, Guga errou ao tentar recuar a bola para o goleiro Rafael. Esperto, Sidcley levou a bola até a linha de fundo e cruzou para trás. Araos cruzou e Jô só precisou desviar para fazer o seu quingto gol em três jogos no seu retorno ao Parque São Jorge.

O Atlético-MG não se abalou e seguiu com o domínio do jogo. O time mineiro só não empatou aos 24 minutos porque Cássio fez grande defesa em chute de sem-pulo de Alan Franco. E para piorar a situação do time da casa, o Corinthians ampliou a vantagem aos 29, com linda jogada de todo o ataque.

Mateus Vital iniciou a jogada pela direita e tocou para Jô dentro da área. O experiente atacante, com um lindo toque de calcanhar, deixou a bola limpa para Araos bater cruzado: 2 a 0.

Apesar da desvantagem maior, o Atlético-MG não desistiu de buscar pelo menos seu primeiro gol na fase inicial da partida. E quase conseguiu aos 34 minutos, mas o chute de Marrony foi na trave direita de Cássio.

Se no gol Cássio vai bem, com os pés o goleiro corintiano é uma tragédia. Aos 38 minutos, após uma bola recuado, ele tentou parar a bola, errou no toque e quase fez gol contra.

O Atlético-MG voltou para o segundo tempo do mesmo jeito que iniciou a primeira etapa, mas com uma diferença. Não desperdiçou tantas oportunidades de gol. Pelo contrário. Foi eficaz e conseguiu uma virada espetacular com apenas 15 minutos.

Hyoran, que substituiu Franco no intervalo, fez o primeiro, aos seis minutos, com grande colaboração de Cássio. Aos dez, o meia empatou ao aproveitar rebote do goleiro corintiano.

Em um ritmo alucinante, os comandados de Sampaoli perseguiram a virada e ela veio com Nathan, ao acertar um belo chute da intermediária. A bola chegou a explodir na trave antes de entrar

Nocauteado, o Corinthians passou a ver o Atlético-MG jogar e a expectativa, após um início confiante com 2 a 0 no placar, era de que uma goleada poderia ser sofrida em Belo Horizonte. Keno na trave e um gol de Rever anulado ratificaram o domínio atleticano.

Apesar de todo o domínio, o Atlético-MG ainda mostra uma irregularidade, com alguns erros individuais. Aos 45, Rafael saiu mal do gol e Jô só não empatou porque Rever salvou em cima da linha. Na sequência, o goleiro do Atlético-MG se redimiu ao fazer bela defesa na cabeçada de Danilo Avelar.

No fim, sem maiores opções no banco de reservas, o técnico Tiago Nunes colocou em campo Ruan e Gabriel Pereira, que jogaram a Copa São Paulo de Juniores no início do ano. Mais do que nunca o time de Parque São Jorge vai precisar de alternativas para buscar resultados expressivos na temporada.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 3 X 2 CORINTHIANS

ATLÉTICO-MG – Rafael; Guga, Réver, Júnior Alonso e Guilherme Arana; Jair, Nathan (Allan), Franco (Hyoran) e Keno (Fábio Santos); Marrony (Mariano), Marquinhos (Savarino). TÉCNICO: Jorge Sampaoli.

CORINTHIANS – Cássio; Michel, Bruno Méndez, Danilo Avelar e Sidcley; Gabriel, Éderson (Gabriel Pereira), Ramiro (Janderson) e Mateus Vital (Cantillo); Araos (Ruan) e Jô. TÉCNICO: Tiago Nunes.

GOLS: Jô aos 11 e Araos aos 24 minutos do primeiro tempo; Hyoran aos 6, 10 e Nathan aos 15 do segundo.

ÁRBITRO – Wagner do Nascimento Magalhães (RJ).

CARTÕES AMARELOS – Gabriel.

LOCAL – Mineirão, em Belo Horizonte.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

nove + dezoito =

Mais lidas

Send this to a friend