O natal está chegando… cuidado com as guloseimas!

O natal está chegando... cuidado com as guloseimas!

Ingestão de guloseimas é um dos principais problemas para os pets nesta época do ano

As festas de fim de ano estão chegando e, nessa época, aumenta em 30% o número de animais nos hospitais veterinários e uma das principais causas do problema é a ingestão de alimentos destinados ao consumo humano

Se o consumo desregrado de açúcar pode causar malefícios ao ser humano, o mesmo ocorre com os cães, como explica Marcello Machado: “O açúcar pode trazer inúmeros problemas, principalmente obesidade e a rejeição futura de alimentos adequados para a saúde do animal”. Segundo o veterinário, os tutores não devem oferecer doces em barras, sejam caseiros ou industrializados, e, principalmente, chocolates! “O chocolate é tóxico para cães e também para os gatos. A substância chamada teobromina, presente no cacau, pode causar intoxicações, vômitos e diarreia”, afirma.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O paladar dos cães

Não se engane, os cães possuem menos papilas gustativas do que ser humano. Então, seu animal de estimação, não sente com tanta intensidade os sabores “O homem tem 9 mil papilas gustativas, enquanto os cães têm, aproximadamente, 1.706 apenas”, finaliza o veterinário.

E os gatos, comem doces?

Cientistas afirmam que, em geral, os gatos não se interessam por doces. Na verdade, a preferência do gato é o sabor da proteína animal. “Os gatos, apesar de terem sido domesticados, continuam sendo carnívoros restritos e não consumem doces porque, na verdade, não têm capacidade de sentir esse sabor”, afirma Marcello Machado, médico veterinário e gerente técnico da Total Alimentos.

De acordo, com a revista Scientific American a causa é um gene.  Os felinos, inclusive leões e tigres, não têm uma parte do DNA que existe no gene Tas1r2, o qual é responsável por gerar proteínas que formam os receptores de doces (localizados na língua dos gatos). Por isso, os felinos não percebem o sabor doce como humanos e outros mamíferos.

“Os tutores sabem que o olfato e tato de seus gatos são mais apurados, mas talvez não saibam que o paladar dos felinos seja mais restrito. Saber disso, ajuda até no manejo alimentar: o tutor deve oferecer alimentos elaborados com fontes de proteínas de origem e evitar oferecer doces, pois podem causar obesidade e diabetes”, explica o médico veterinários dos Snacks DogLicious e CatLicious.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 
Quero agradar meu amiguinho, o que fazer?

Os cães e gatos também podem aproveitar as festas de fim de ano de uma maneira divertida, deliciosa e sem riscos.

“Se o tutor quer agradar o cãozinho ou o gatinho, deve oferecer petiscos específicos de pet para ele, pois muitos dos alimentos para humanos podem causar intoxicações sérias nos animais de estimação”, aponta Marcello Machado.

O veterinário reforça que os petiscos podem ser oferecidos como agrado ou  recompensa, mas não substituem a alimentação completa diária.

Siga o BDF na rede

         

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
X

Send this to a friend