Já pensou em oferecer alimentação natural para cães e gatos?

Já pensou em oferecer alimentação natural para cães e gatos?

Não é de hoje que o assunto provoca debate e desassossego entre os tutores. Qual será a melhor alimentação que podemos oferecer aos cães e gatos?

Refeições naturais, balanceadas, personalizadas e preparadas da mesma forma e com alimentos que também fazem parte da dieta humana surgiram com força como uma alternativa para substituir as rações industrializadas.

Como o número de tutores aderindo ao cardápio mais natural está crescendo em Brasília, a coluna Brasília Pet decidiu reunir e esclarecer as principais dúvidas a esse respeito.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Alimentação natural é o mesmo que dar a comida que comemos?

Oferecer alimentação natural definitivamente não é dar restos da nossa comida. E não é dar apenas frango, arroz branco e cenoura – esse tipo de “dieta” conduz a problemas de saúde por deficiências de nutrientes importantes, como vitaminas, minerais e ácidos graxos. Também não é preparar aquela “panelada-da-vovó” que tem tudo e mais um pouco, mas sem medida nem proporção.

Também não é uma dieta composta de metade ração e metade comida caseira. Embora essa prática até possa trazer sua cota de benefícios aos nossos pets, é preciso saber muito bem que alimentos adicionar à ração e em que quantidade ou corre-se o risco de acabar prejudicando o pet.

Custo

Uma preocupação recorrente quando o assunto é a alimentação natural é o custo. A impressão geral é de que esse tipo de tratamento é muito mais caro e inacessível para muitas pessoas, porém o gasto com esse tipo de refeição para um cachorro de até 10kg é muito próximo ao valor de ração premium de boa qualidade. Por outro lado, especialistas defendem que, em comparação de gastos entre a alimentação natural e a industrializada, observa-se que o dono do cão alimentado de maneira mais saudável gasta menos com veterinários, remédios e a expectativa de vida, em média, dois anos a mais. Para os veterinários consultados, a vantagem da ração industrializada é apenas a praticidade.

Praticidade

Como dissemos anteriormente, uma das principais “desvantagens” de oferecer alimentação natural para nossos pets é a praticidade que temos com a alimentação com ração industrializada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Os tutores que estiverem pensando em oferecer alimentação natural, devem ter em conta que assumir o papel de chef do pet exige um pouco de organização e disciplina, porém dá para preparar as porções rapidamente e congelar por até 30 dias ou mais, o que agiliza tudo.

Você vai precisar de espaço no freezer ou congelador pois, felizmente, a dieta caseira não conta com conservantes e aditivos sintéticos e por isso precisa ser armazenada no freezer ou congelador para não estragar.

Benefícios

Nossos peludos se beneficiam tremendamente de receber uma dieta natural. De acordo com especialistas, é muito difícil que um pet se mantenha saudável recebendo exclusivamente dieta seca, industrialmente processada e preparada com uma abundância de alimentos que ele jamais consumiria na natureza, como milho, trigo e soja e destacam que a maioria das rações são assim porque esses ingredientes têm custo baixo para os fabricantes e não porque são saudáveis.

Apontam, ainda, que muitas doenças que vemos nos pets hoje em dia são causadas ou agravadas pelo consumo prolongado de ração seca à base de grãos e indicam diversos bons motivos para aposentar a ração industrializada como falta de umidade, excesso de carboidratos, a presença de alimentos transgênicos, conservantes e aditivos.

Felizmente é frequente ver a saúde do canino restaurada em pouco tempo quando a ração é substituída por uma dieta caseira fresca. Pelos mais brilhantes e macios, com queda reduzida, e menos “cheiro de cachorro”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Uma dieta caseira contém 7x mais água que a ração seca! Esse monte de água naturalmente embutida nos alimentos naturais poupa os rins e o sistema urinário porque mantém o animal hidratado. Ao passar a receber uma alimentação hidratada, muitos cães dão um susto na gente: reduzem drasticamente o consumo de água, mas continuam produzindo xixis abundantes e muitas vezes mais clarinhos do que quando comiam ração e esvaziavam a tigela de água. Isso acontece porque a água presente na comida é muito melhor aproveitada pelo organismo, resultando inclusive em uma melhor digestão.

Outra vantagem e a diminuição das fezes e de seu odor. Por não apresentar o excesso de fibras grosseiras e carboidratos que compõem as rações convencionais, a alimentação natural apresenta um aproveitamento superior, gerando pouco resíduo para o corpo eliminar. Na prática isso significa um volume menor de cocô, menos fedido e mais sequinho. É a comprovação de que o seu peludo está recebendo o “combustível” certo.

Antes de iniciar a alimentação natural, que tal fazer um check-up geral de saúde no seu pet?

Nosso pet pode parecer estar perfeitamente saudável e na verdade estar apresentando algum problema de saúde que ainda não manifestou sintomas. A verdade é que sem um check-up geral periódico não há como saber a quantas anda a saúde do nosso peludo. Por isso é muito importante ver como está a saúde do seu pet.

Para filhotes que aparentam estar saudáveis (vermifugados e vacinados, sem diarreia ou vômitos, bem nutridos, fortinhos, com pelagem bonita) é possível pular essa etapa. Para cães adultos, é recomendado uma visita ao veterinário clínico-geral para um exame e análises complementares.

Periodicamente, a cada seis meses ou pelo menos uma vez por ano, leve seu amigão ao veterinário para uma avaliação completa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Nas próximas semanas, voltaremos ao assunto e traremos algumas receitas e experiências de tutores que optaram pela alimentação natural.

Siga o BDF na rede

         

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
X

Send this to a friend