Somente ‘abayas’ em incomum e recatado desfile em Nova York

A estilista indonésia Vivi Zubedi estreou na Semana de Moda de Nova York no domingo e cativou o público com sua coleção composta apenas por túnicas, esperando capitalizar no recente mercado da moda recatada e muçulmana.

Em setembro, Zubedi havia mostrado algumas de suas peças em um desfile conjunto na NYFW com outros estilistas de seu país. Ela se saiu tão bem que, desta vez, embarcou sozinha para Nova York com a meta de multiplicar os negócios.

“Estou muito animada!”, riu Zubedi nos bastidores após ser abraçada por familiares e amigos, e depois de tirar selfies com estilosos blogueiros de moda que admiram seu estilo islâmico moderno, embora não sejam muçulmanos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“Tenho um monte de clientes aqui”, contou com um sorriso.

As modelos desfilaram com abayas em estampas batik, em veludo preto e azul profundo, véus com pérolas bordadas nos extremos e bonés de beisebol colocados sobre os hijabs.

Os cabelos das modelos não eram vistos e até as mãos estavam cobertas por luvas de couro, ou ao menos por mangas largas de renda.

A peça emblemática de Zubedi é a “abaya”, túnica larga e comprida – até os pés – que as mulheres obrigatoriamente devem vestir na Arábia Saudita, e que foi adotada pelas muçulmanas mais religiosas em outros países.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Mas o look de Zubedi difere muito de um grande traje preto.

Seus tecidos luxuosos, cheios de cristais, com pérolas bordadas no pescoço e nas mangas, e com babados são um encontro da tradição com o hip hop. E, por cima, uma ousada jaqueta preta de couro com zíper.

– ‘Espetacular’ –

“Acho que o desfile foi espetacular”, disse a blogueira e estilista de moda Dyandra Raye à AFP. “Usaria todas! Sou super dramática!”.

A escritora de moda Kristen Martin, uma das várias convidadas do desfile, também ficou encantada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“Me fascinou totalmente”, disse Martin à AFP. “Acho que é muito importante aceitar outras culturas”.

Desde que Zubedi fundou a marca que leva seu nome, em 2011, a moda modesta, designada para a mulher muçulmana religiosa, com dinheiro e moderna, ganha terreno em um momento em que os estilistas estudam o potencial consumidor das comunidades conservadoras no mundo.

A Dolce & Gabbana já produziu uma coleção de hijabs e abayas. Em 2016, a Burberry fez sua primeira coleção para o Ramadã, tal como DKNY, Tommy Hilfiger, Oscar de la Renta e as gigantes espanholas Zara e Mango. A japonesa Uniqlo também entrou neste mercado.

Na quinta-feira, a grande loja americana Macy’s começará a vender um amplo leque de roupas recatadas que inclui vestidos, blusas e hijabs, criados para uma mulher que tem dificuldades de encontrar roupas depois de se converter ao Islã.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Após seu desfile conjunto na NYFW de setembro, Zubedi disse que atraiu clientes de Dubai, Hong Kong e Estados Unidos.

E a sua próxima ambição é abrir uma loja para clientes estrangeiros, que atualmente só podem comprar suas criações on-line.

“De qualquer lado, mas fora da Indonésia”, disse a designer, que trabalha em Jacarta. “Em um grande depósito seria perfeito!”.

BDF na Rede

         

PUBLICIDADE

Agosto, 2018

Filtrar eventos

30jun(jun 30)18:0009set(set 9)00:00Na Praia ° 2018

18ago(ago 18)23:0019(ago 19)17:00PsycoTrance 2018

PUBLICIDADE
X

Send this to a friend